Blog

Felipe Carreras: "Eu tenho o sonho de governar o Recife"

Publicado em 21/02/2019 às 22h00

Divulgação

                                                      Divulgação

Não é novidade que o deputado federal Felipe Carreras (PSB) tem o sonho de ser prefeito do Recife. No entanto, nesta quinta-feira (21), o pessebista foi direto em participação no programa Folha Política ao falar sobre o assunto. “Eu tenho o sonho de governar o Recife”, afirmou. 

Carreras, durante a conversa, garantiu que tem “disciplina e história” política. “Eu tenho disciplina política, tenho história política, tenho apenas um partido na minha vida. Tenho uma trajetória política e sei o tempo da política, a gente que deixar as coisas acontecerem”, disse. 

Apesar de ressaltar suas qualidades, o parlamentar deixou claro que o PSB tem grandes quadros. “Um grande amigo, o grande condutor desse processo é um grande gestor, que é o prefeito Geraldo Julio (PSB). João é um grande quadro da política brasileira”, elogiou. 

Durante a entrevista, Felipe Carreras também falou que não é contra o projeto do presidente Jair Bolsonaro (PSL) quanto a leiloar o aeroporto internacional do Recife/ Gilberto Freyre, mas pede a equalização de condições nas negociações. "Não queremos mais do que ninguém, queremos ser tratados iguais como os outros. Essa é nossa luta", ressaltou.

Fonte :Leia Ja.

Comentários (0) e Compartilhar

Mais de 2,6 milhões de eleitores faltosos poderão ter o título cancelado caso não regularizem situação

Publicado em 21/02/2019 às 21h00
título

Um total de 2.645.785 eleitores identificados como faltosos pela Justiça Eleitoral poderão ter o título cancelado caso não regularizem sua situação no período de 7 de março a 6 de maio. A partir desta quarta-feira (20), os cartórios eleitorais disponibilizarão ao público as relações contendo os nomes e os números dos títulos desses cidadãos.

Eleitor faltoso é aquele que não votou nem justificou a ausência nos três últimos pleitos (regulares ou suplementares), sendo cada turno considerado uma eleição. Conforme previsto no parágrafo 1º do artigo 7º da Lei nº 4.737/1965 (Código Eleitoral), enquanto não regularizar sua situação junto à Justiça Eleitoral, o eleitor estará sujeito a uma série de impedimentos (veja lista abaixo).

Os prazos para a execução dos procedimentos relativos ao cancelamento dos títulos eleitorais, bem como para a regularização da situação dos eleitores que deixaram de votar nas três últimas eleições e de justificar o voto, estão previstos na Resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nº 23.594/2018.

De acordo com o cronograma estabelecido pela norma, os cartórios eleitorais deverão afixar, nesta quarta-feira (20), os editais contendo as listagens dos eleitores faltosos aos três últimos pleitos. Somente aqueles que estiverem nessa condição deverão regularizar sua situação nos cartórios no período de 7 de março a 6 de maio.

Ainda segundo o cronograma, a Justiça Eleitoral cancelará, no período de 17 a 20 de maio, as inscrições dos eleitores que não tiverem regularizado sua situação até a data-limite estabelecida. Enquanto os cancelamentos estiverem sendo efetuados, não serão feitas atualizações no cadastro eleitoral.

A partir do dia 21 de maio, as atualizações cadastrais serão retomadas, e a Justiça Eleitoral divulgará, a partir do dia 24 do mesmo mês, as relações contendo os nomes dos eleitores e os números dos respectivos títulos cancelados por ausência aos três últimos pleitos.
 
Comunicados não são enviados por e-mail

É importante ressaltar que tais comunicados não são enviados por e-mail e que os eleitores devem redobrar os cuidados ao receber mensagens nesse sentido. Mensagens falsas começaram a circular contendo comunicados de cancelamento do documento e, em geral, pedem a atualização de dados cadastrais com link de origem duvidosa. Para se certificar de que não há pendências em seu documento, o eleitor deve consultar sua situação na página do TSE ou no cartório eleitoral mais próximo de sua residência.

Tais mensagens utilizam de forma indevida o nome e a imagem do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o objetivo de induzir o eleitor ao erro.

Estatísticas

Dados estatísticos divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que o maior número de faltosos foi registrado na região Sudeste, somando um total de 1.319.454 eleitores. São Paulo foi o estado brasileiro com mais cidadãos nessa condição (717.653), seguido do Rio de Janeiro, com 312.783. Em terceiro lugar, está Minas Gerais, com 239.710 eleitores faltosos, seguido do Rio Grande do Sul, com 126.255, e do Paraná, com 114.625. Roraima foi a unidade da Federação com menos eleitores faltosos: 5.836.

Já os municípios com mais ausentes aos três últimos pleitos foram: São Paulo (SP), com 209.444 eleitores; Rio de Janeiro (RJ), com 131.995; Brasília (DF), com 113.427; Goiânia (GO), com 41.845; e Manaus (AM), com 39.646. A cidade de Campinas (SP), embora não seja capital de nenhum estado, registrou um número elevado de eleitores faltosos: 29.459.

No quesito gênero, foram contabilizados 1.452.268 homens faltosos, contra 1.192.699 mulheres. Do total de eleitores nessa condição, 818 não informaram seu gênero à Justiça Eleitoral.

Já a faixa etária com mais cidadãos na situação de faltoso foi a de 25 a 34 anos, com 838.890 pessoas. Em seguida, estão os eleitores de 35 a 44 anos, com 609.616 eleitores faltosos; de 45 a 59 anos, com 489.339; e de 21 a 24 anos, com 421.089.

Conheça os impedimentos para o eleitor que não regularizar a situação

  • Obter passaporte ou carteira de identidade;
  • Receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público, autárquico ou paraestatal, bem como de fundações governamentais, empresas, institutos e sociedades de qualquer natureza, mantidas ou subvencionadas pelo governo ou que exerçam serviço público delegado, correspondentes ao segundo mês subsequente ao da eleição;
  • Participar de concorrência pública ou administrativa da União, dos estados, dos territórios, do Distrito Federal, dos municípios ou das respectivas autarquias;
  • Obter empréstimos nas autarquias, nas sociedades de economia mista, nas caixas econômicas federais e estaduais, nos institutos e caixas de previdência social, bem como em qualquer estabelecimento de crédito mantido pelo governo, ou de cuja administração este participe, e com essas entidades celebrar contratos;
  • Inscrever-se em concurso ou prova para cargo ou função pública, e neles ser investido ou empossado;
  • Renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo;
  • Praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda;
  • Obter certidão de quitação eleitoral, conforme disciplina a Resolução-TSE nº 21.823/2004;
  • Obter qualquer documento perante repartições diplomáticas a que estiver subordinado.
Fonte : TSE.
Comentários (0) e Compartilhar

Lava Jato denuncia operadores de Beto Richa

Publicado em 21/02/2019 às 20h00

Os operadores foram alvos da Operação Integração II, 58ª fase da Lava Jato, que tornou Beto Richa réu no final de janeiro  / Foto: Marcelo Camargo / ABr
Os operadores foram alvos da Operação Integração II, 58ª fase da Lava Jato, que tornou Beto Richa réu no final de janeiro

Foto: Marcelo Camargo / ABr
Estadão Conteúdo
 

A força-tarefa da Operação Lava Jato denunciou nesta quinta-feira (21) os operadores financeiros Luiz Abi Antoun e Dirceu Pupo Ferreira por organização criminosa e corrupção passiva. Ligados ao ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB), os operadores são acusados envolvimento em desvios de R$ 8,4 bilhões por meio de supressões de obras rodoviárias e aumento de tarifas, em concessões do Anel de Integração. As informações foram divulgadas pela Procuradoria da República.

O Ministério Público Federal no Paraná - com apoio dos procuradores de Ponta Grossa, Paranavaí e Apucarana - protocolaram duas denúncias, porque Luiz Abi Antoun deixou o Brasil em setembro de 2018. O operador e primo de Beto Richa foi solto por uma liminar do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), no âmbito da Operação Rádio Patrulha, do Ministério Público do Paraná (MP-PR).

Lava Jato

Luiz Abi Antoun foi alvo de um mandado de prisão temporária na 58ª fase da Lava Jato. Segundo a Lava Jato, "não há notícias de seu retorno ao Brasil, encontrando-se evadido para o Líbano sem previsão de volta". Os procuradores informaram que vão buscar cooperação jurídica internacional para citar o operador.

A nova acusação é um desdobramento da Operação Integração II, 58ª fase da Lava Jato, que tornou réus no final de janeiro Beto Richa, seu irmão, Jose Richa Filho (Pepe Richa) - ex-secretário de Infraestrutura e Logística do Estado -, sua mulher, Fernanda Richa e o contador da família, Dirceu Pupo Ferreira. Também foram denunciados outros agentes públicos e privados envolvidos no esquema.

A investigação aponta que Luiz Abi Antoun exercia o papel de "caixa geral de propinas" arrecadadas em diversos setores do governo do Estado em benefício de Beto Richa. De acordo com a Lava Jato, Dirceu Pupo Ferreira tinha a função de reinserir na economia formal os valores ilícitos recebidos por Abi Antoun em nome do ex-governador por meio de operações de lavagem de dinheiro de aquisição de imóveis.

"Pupo operacionalizou o recebimento de pelo menos R$ 2,7 milhões, os quais foram utilizados na aquisição de imóveis em nome da empresa Ocaporã, pertencente à família Richa", informou o Ministério Público Federal.

De acordo com a denúncia, os valores usados por Dirceu Pupo Ferreira "para as aquisições dissimuladas de imóveis em favor da empresa da família Richa tinham como origem as propinas recebidas em espécie pelos operadores financeiros Luiz Abi e Pepe Richa em nome de Beto Richa e, posteriormente, repassadas a Dirceu Pupo Ferreira".

Os procuradores afirmam que Luiz Abi administrava uma espécie de caixa geral de propinas e Pepe Richa, por sua vez, arrecadava a propina diretamente de empresas que mantinham contratos com a Secretaria de Infraestrutura e Logística, dentre as quais as concessionárias de pedágio.

"No que diz respeito aos repasses de recursos a Dirceu Pupo, a partir de dados de celulares e de registros de entradas no Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR), a investigação detectou a ocorrência de diversos encontros de Dirceu Pupo tanto com Luiz Abi quanto com Pepe Richa", registraram os procuradores em nota.

Os procuradores identificaram mensagens no celular de Dirceu Pupo Ferreira que indicariam que ele e Ricardo Rached (já denunciado) gerenciavam o pagamento de despesas pessoais de Beto Richa. Em tais mensagens, Rached e Pupo referiam-se ao ex-governador como "chefe". Em outras mensagens identificadas, Beto Richa, apesar de não ter qualquer vínculo formal, convocava Pupo para que comparecesse em reuniões no Palácio Iguaçu e em sua casa.

Quanto a Luiz Abi Antoun, foram identificados registros de encontros dele tanto com Pepe Richa como com Dirceu Pupo. A Lava Jato aponta que, para tais encontros, "foram adotadas formas atípicas de registro de Luiz Abi no prédio do DER/PR, sem que constassem dados essenciais como o número de sua identidade e o funcionário que visitaria".

"Há evidências de que tais encontros foram utilizados para promover o repasse de recursos de propina arrecadados por Luiz Abi perante as concessionárias de pedágio", afirmaram os procuradores.

A Lava Jato aponta Luiz Abi como destinatário de "sobras" de dinheiro de campanhas políticas de Beto Richa. A acusação narra que o operador financeiro foi beneficiado diretamente com pelo menos R$ 646.800,00 que foram recebidos do Comitê Eleitoral de Carlos Alberto Richa em 9 de outubro de 2014 por intermédio de supostas prestações de serviços de locação de equipamentos (som ambulante, trios elétricos e palcos para comícios) 'que nunca existiram'.

Na cota ministerial que acompanha a denúncia, os procuradores apontam a existência de novas provas, as quais reforçam a necessidade da manutenção da prisão de Dirceu Pupo Ferreira e evidenciam que ele, contador e procurador das empresas de Fernanda Richa e filhos, estava, na prática, subordinado diretamente a Beto Richa.

A denúncia oferecida indica também que no dia 8 de agosto de 2018, antes de visitar a testemunha Carlos Albertini, Dirceu Pupo recebeu uma ligação do Comitê Eleitoral do PSDB em Curitiba Além disso, registros telefônicos demonstraram que, na mesma data, pouco mais tarde, ocorreu um possível encontro de Dirceu Pupo com Beto Richa.

"Tais elementos probatórios revelam indícios de que o ex-governador acompanhou com proximidade a atuação de Pupo em face de testemunhas dos pagamentos em espécie", afirma o Ministério Público Federal.

"Ainda, outros registros telefônicos demonstraram que Dirceu Pupo, no mesmo dia 8 de agosto, procurou Valmir Maran, testemunha que recebeu pagamentos em espécie do grupo criminoso e que, em fato envolvendo a compra do lote do condomínio de luxo Beau Rivage, presenciou a entrega de R$ 930mil em espécie feita por Dirceu Pupo em nome da empresa Ocaporã. Segundo apurado, em tal contato, Dirceu Pupo teria alertado a Valmir Maran "que todos estavam preocupados com as investigações". Nessa tarde do dia 8 de agosto de 2018, o celular de Pupo e também o de Beto Richa foram captados a 100 metros de distância da incorporadora Paysage."

Para os procuradores, diante da presença de elementos que demonstram a disposição de Pupo em obstruir as investigações contra Beto Richa, deve ser mantida a sua prisão para assegurar a instrução criminal.

A reportagem está tentando contato com os citados e deixou o espaço aberto para manifestação.

Fonte :JC.

Comentários (0) e Compartilhar

Bolsonaro adia reunião com líderes governistas para amenizar insatisfações

Publicado em 21/02/2019 às 19h00
Foto: Isac Nóbrega/Presidência da República
Foto: Isac Nóbrega/Presidência da República

Estadão Conteúdo

Com a ainda latente insatisfação entre governistas e a possibilidade de ter um quórum esvaziado, o Palácio do Planalto adiou uma reunião que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) realizaria na manhã desta quinta-feira (21) com líderes de partidos que devem compor a base aliada na Câmara. A avaliação feita pelo governo é de que é preciso ganhar tempo para apaziguar os ânimos de modo a não desperdiçar a chance de ter uma aproximação mais efetiva do presidente com a sua possível rede de apoio.

O encontro será realizado na próxima terça-feira (26), pela manhã. Bolsonaro pretende conversar com os parlamentares sobre a proposta de reforma da Previdência. A ideia é que o próprio presidente explique pontos da matéria e tire dúvidas. Ele deve, no entanto, ouvir críticas e reclamações sobre a condução da articulação do seu governo com o Congresso.

Foram convidados os partidos que o governo acredita que estarão em sua base de apoio. Já da oposição, foram chamados apenas o PSB e o PDT. Os líderes do PT, PCdoB, PSOL, Rede e PPL não foram convidados.

O líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO) afirmou ao Broadcast Político (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) que a decisão de adiar o encontro foi tomada porque o texto da reforma da Previdência foi apresentado oficialmente ao Congresso nesta quarta, 20, e seria melhor dar tempo aos parlamentares se aprofundarem na questão.

“Estivemos na quarta com os líderes quando o presidente foi levar a PEC da previdência. Já foi um movimento importante. Achamos melhor, então, dar um tempo maior para a leitura e estudo da proposta por parte dos líderes, para aproveitar a oportunidade da semana que vem e falar sobre a nova Previdência na reunião”, disse o parlamentar.

Para ele, o encontro mostrará ao Congresso que o governo quer “prestigiar as lideranças partidárias” e que “estará aberto para negociações” porque sabe que o projeto será modificado pelo Congresso.

Um outro motivo que levou ao adiamento da reunião foi a possível falta de alguns líderes ao encontro. À reportagem, deputados afirmaram que não compareceriam porque já tinham outros compromissos marcados em seus estados. Agora, o Planalto tem reforçado o convite.

O governo pretende formar uma base aliada que chegue a 350 deputados. O número é considerado como fundamental para garantir a aprovação da reforma da Previdência na Câmara. Por se tratar de uma emenda à Constituição, é necessário ter o voto de 308 parlamentares para aprovar o texto. A expectativa é de que ele tenha sua tramitação concluída na Câmara até o fim do primeiro semestre. Depois, seguirá para análise do Senado.

Os encontros de Bolsanaro com lideranças partidárias começaram a ser articuladas na semana passada como uma forma de aproximar o governo do parlamento. Na quarta, o presidente se reuniu com a bancada do PSL no Palácio do Planalto. O objetivo é que eles sejam os primeiros a fazer uma defesa enfática do texto que foi enviado pelo governo ao Congresso no mesmo dia.

Fonte : Blog de Jamildo.

Comentários (0) e Compartilhar

Paulo Câmara, Maia e Alcolumbre vão à mesa na casa de Wolney

Publicado em 21/02/2019 às 18h00
Paulo Câmara e Wolney
Paulo Câmara e WolneyFoto: Divulgação

Por ocasião do Fórum dos Governadores no Distrito Federal, Paulo Câmara já se encontrava junto com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ontem. Seguiram de lá para casa do deputado federal Wolney Queiroz, que preside o PDT em Pernambuco. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, também foi. Wolney costuma ser anfitrião de encontros cujo propósito é trabalhar a conciliação e convivência entre partidos, de forma a viabilizar a vida legislativa. A despeito da regularidade com que os encontros na casa do pedetista costumam ocorrer, ontem a reunião se deu no pós-eleição da Mesa Diretora, quando algumas relações terminaram azedadas. Foi oportunidade, por exemplo, para Rodrigo Maia, apaziguar os ânimos com o PT. Wolney convidou líderes partidários. O pedetista Mário Heringer participou. Dos petistas, estavam: José Guimarães, Carlos Zarattini e Rui Falcão. Do PSB, Tadeu Alencar marcou presença. Aguinaldo Ribeiro representrou o PP, uma vez que o líder dos progressistas, Arthur Lira, encontrava-se fora do Brasil. Lira teve o nome no páreo da disputa pela presidência da Câmara, mas acabou desistindo. O PT, por pouco, não terminou isolado na Casa. O PSB deixou o bloco com comunistas e pedetistas para dar as mãos aos petistas, o que, por sua vez, gerou celeuma com o PCdoB. Dos comunistas, compareceram Renildo Calheiros e Orlando Silva. Nesse processo da Mesa, restaram faíscas entre PCdoB e PT, depois que os petistas chegaram a questionar a fusão do PPL com o PCdoB. Do DEM, além de Maia, estava Fernando Filho, herdeiro no novo líder do governo Jair Bolsonaro, Fernando Bezerra Coelho. Os parlamentares enxergam esses almoços de Wolney como um campo neutro para partidos de diversas matizes, ocasião em que as diferenças são minimizadas e abre-se espaço para uma troca de ideias mais amena. A presença de Paulo Câmara, que vem ampliando a visibilidade de suas articulações nacionais, não deixa de ser um símbolo. Mas, para os parlamentares, os problemas de articulação do Governo Bolsonaro na Câmara Federal são, por si só, naturalmente, um prato cheio.

Menu tradicional
Pouco depois da prisão do ex-presidente Lula, quando a oposição entrara em obstrução totaL, a casa de Wolney Queiroz serviu também de palco para que Rodrigo Maia negociasse os termos da retomada do diálogo.

Bombeiro > Com a formalização de Fernando Bezerra Coelho na liderança do governo no Senado, a conversa no Congresso Nacional, ontem, era a seguinte: "Mandaram chamar os profissionais, porque os amadores não resolvem".

Ar...> Será amanhã, às 11h30, no Jardim Botânico do Recife a transmissão de cargo ao novo secretário de Meio Ambiente da cidade, José Neves Filho. O local é a menina dos olhos do prefeito Geraldo Julio.
 
...puro > Na sequência, haverá inauguração do anfiteatro, que será palco de shows culturais, encontros teatrais, entre outros.
 
Eco para... > Líder do governo, o deputado Isaltino Nascimento sugeriu, na Comissão de Finanças, que sejam reverberadas, na Alepe, as discussões sobre o pacto federativo que o deputado Silvio Costa Filho está encabeçando no Congresso Nacional.
 
...Silvinho > “Muito feliz a ideia do deputado Silvio em construir a frente parlamentar", enalteceu Isaltino. O deputado João Paulo Costa se vai auxiliar na realização da audiência pública.
 
Escola > O ex-deputado estadual José Humberto Cavalcanti assumiu a Superintendência da Escola do Legislativo de Pernambuco e vai trabalhar para proporcionar capacitações tanto na esfera estadual como na municipal. Pretende viabilizar projetos voltados para o “fortalecimento das Câmaras Municipais”.

 

Fonte :Folha de PE.

Comentários (0) e Compartilhar

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||