Blog

Infiltração pode ter causado conta milionária na Arena

Publicado em 23/05/2018 às 09h15

Divulgação/Alepe                                       Divulgação/Alepe

O líder do governo na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), o deputado Isaltino Nascimento (PSB), respondeu ao questionamento da parlamentar Priscila Krause (DEM) sobre o valor de R$ 1,2 milhão na conta de água da Arena de Pernambuco, que o Governo de Pernambuco teria que pagar somente neste mês. “Há algo de muito errado. Ou o Governo resolve isso ou assina o atestado de incompetência”, disparou Krause durante sessão plenária. 

Isaltino disse que Krause estava “equivocada” e justificou que “uma das possibilidades” para o aumento do consumo pode ter relação com infiltração na rede coletora de esgoto, já que os valores das contas entre junho de 2016 a setembro de 2017 foram no valor de R$ 19 mil. “É importante frisar que a Arena não pagou conta com o valor indevido. A administração do espaço pediu a revisão do abastecimento, que está sendo atendido pela Compesa. Em qualquer consulta ao site da companhia é possível verificar que as segundas vias das contas não estão sendo visualizadas por estarem em revisão”, explicou o deputado. 

O pessebista ainda declarou que a Arena de Pernambuco é reconhecida por ser uma das mais sustentáveis do Brasil em questão de preservar o meio ambiente. Segundo ele, o equipamento possui dispositivos para reaproveitar a água de chuva e reuso de enfluente, o que geraria uma economia de cerca de 60% no consumo de água. 

Nesta terça-feira (22), a Arena de Pernambuco celebra cinco anos da sua primeira partida oficial do estádio. Ao todo, o estádio sediou 209 jogos, teve 508 gols e mais de 2.2 milhões de torcedores. 

Fonte:Leia Ja.

Comentários (0) e Compartilhar

Mais de 3,3 milhões de eleitores já baixaram o e-Título

Publicado em 23/05/2018 às 08h15
A ferramenta auxiliará o eleitorUm relatório gerado a partir da base de dados do Cadastro Eleitoral contabilizou, até esta segunda-feira (21), a emissão de mais de 3,3 milhões de e-Títulos. O aplicativo, que permite aos eleitores acessarem uma via digital do título eleitoral por meio de smartphones ou tablets, pode ser baixado nas lojas da Apple Store e Google Play.

De acordo com o relatório, do total de 3.330.628 e-Títulos baixados, 2.878.890 pertencem a eleitores que já fizeram o cadastramento biométrico (por meio das impressões digitais). São Paulo foi o estado com o maior número de e-Títulos baixados: 849.902. Em seguida, vêm os estados da Bahia, que registrou 228.576 downloads do documento, e do Rio de Janeiro, com 222.771 baixados.

Para gerar o e-Título, basta baixar o aplicativo, disponível para dispositivos iOS, Android e tablets. O eleitor deverá preencher os dados pessoais exatamente como estão registrados no Cadastro Eleitoral. Caso haja divergência entre as informações inseridas no aplicativo e as lançadas no documento original, o sistema não validará o cadastro.

O e-Título informa o endereço do local de votação georreferenciado e fornece informações sobre a situação do eleitor. Mas a principal novidade é que, para os eleitores que já fizeram o recadastramento biométrico e têm sua foto na base de dados da Justiça Eleitoral, o documento digital poderá ser utilizado para a identificação perante o mesário na hora de votar.

Com o aplicativo, o cidadão terá suas informações eleitorais sempre seguras e disponíveis, diminuindo os riscos de extravios e danos ao título de eleitor. Também será reduzido o tempo de atendimento nos cartórios eleitorais em casos de serviços de impressão, assinatura e entrega do título.

Acesse o relatório de emissão de e-Título por unidade da Federação.

Fonte :TSE.

Comentários (0) e Compartilhar

Rodrigo Maia anuncia que governo vai diminuir tributos sobre combustível

Publicado em 23/05/2018 às 05h15

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciou, por meio de sua conta no Twitter, que o governo federal vai reduzir impostos sobre os combustíveis e alegou que os recursos vindos do projeto da reoneração serão "todos utilizados para reduzir o impacto do aumento do diesel." De acordo com Maia, o acordo foi firmado entre ele, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE) e o governo federal. 

"Os recursos da reoneração serão todos utilizados para reduzir o impacto do aumento do diesel. E também acertamos com o ministro da Fazenda que a CIDE (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) será zerada com o mesmo objetivo: reduzir o preço dos combustíveis", postou o presidente da Câmara.
 
Ele não deu mais nenhum detalhes sobre as mudanças. O anúncio antecipou os movimentos do Palácio do Planalto sobre o tema. O presidente Michel Temer demonstrou grande preocupação quanto a alta dos preços dos combustíveis.
 
De manhã, houve uma reunião entre os ministros da Fazenda, Eduardo Guardia, de Minas e Energia, Moreira Franco, e o presidente da Petrobras, Pedro Parente. Até então, o governo federal não se manifestou sobre o tema. O Ministério da Fazenda ainda não respondeu aos questionamentos. O projeto de reoneração da folha de pagamento está na Câmara dos Deputados desde o ano passado. Foi aprovado a urgência para a votação, mas o relator, deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) ainda não apresentou o parecer.
 
O governo federal e os parlamentares não chegaram a um acordo sobre quantos setores seriam beneficiados com a desoneração da folha de pagamento. Maia ressaltou ainda que convocou o presidente do Cade para participar da comissão geral dos combustíveis no dia 30 (quarta-feira). "Vamos discutir a concentração no mercado de combustíveis também", alegou.
 
Diario de PE.
Comentários (0) e Compartilhar

Sílvio Costa diz que retirar Marília da eleição é um desserviço à democracia

Publicado em 23/05/2018 às 05h00

Vice-líder da oposição ao governo Michel Temer (MDB) na Câmara Federal e pré-candidato ao Senado, o deputado Sílvio Costa (Avante) afirmou, em debate na rádio CBN/Recife, que a retirada da pré-candidatura da vereadora Marília Arraes (PT) ao governo seria um “desserviço” à democracia e ao processo eleitoral em Pernambuco. Ressaltando que é uma “questão interna do PT”, Sílvio Costa acusou, porém, o governador Paulo Câmara (PSB) de cometer uma violência contra Marília ao pressionar o PT para retirar a sua pré-candidatura. “Marília está lutando como uma guerreira pela candidatura. Se ela for candidata, vai ao 2º turno com Armando Monteiro (PTB). É disso que o PSB tem medo”, disse o deputado.

De forma crítica, Sílvio Costa relembrou que o PSB “traiu” o ex-presidente Lula no momento em que o líder petista mais precisava, ao votar a favor do impeachment da presidente Dilma. O deputado destacou que, historicamente, o PSB sempre esteve ligado ao PT, o que não foi suficiente para impedir que os socialistas abandonassem os aliados petistas. “Apenas dois dos 34 deputados do PSB votaram contra o impeachment. Paulo Câmara chegou a liberar seus secretários para votarem a favor. Agora, por mero cálculo eleitoral, Paulo Câmara rasteja atrás do PT implorando para retirar Marília. Eu defendo a pré-candidatura de Marília, eu defendo o máximo de candidaturas. É democrático”, analisou.

O vice-líder da oposição na Câmara diferenciou, por outro lado, a lealdade e o desempenho do senador e pré-candidato ao governo pelas oposições Armando Monteiro (PTB), tanto no governo Dilma quanto no episódio do impeachment. “Armando tem dimensão nacional. Foi ministro de destaque e foi solidário (a Lula e Dilma). Votou contra o impeachment e trabalhou para evitá-lo. O senador já disse que vota em Lula se ele for candidato a presidente. O palanque de Armando será um palanque plural”, revelou Sílvio Costa.

O deputado reafirmou que é pré-candidato ao Senado, mas que a definição da chapa que irá compor está dependendo de definições como a do PT sobre a pré-candidatura de Marília Arraes, o que deve correr no encontro do PT no dia 10 de junho. “Leio a Constituição e o regimento do Senado diariamente, tenho estudado sobre educação, economia e orçamento público. Se o for a vontade da maioria, estou pronto para representar Pernambuco. Agora, eleição majoritária depende das circunstâncias, não de um desejo”, ponderou.

O deputado disse que a tentativa de colocar pechas em palanques, como palanques de Temer e de Lula, não vai encontrar respaldo na população, que deverá votar “pensando em mudança no Estado”. Como exemplo, Sílvio Costa apontou o PSB como integrante do palanque de Temer. “O PSB votou pelo impeachment e o MDB está no palanque de Paulo Câmara, que tem ainda o PP, o PR e o PSL, todos da aliança de Temer”, projetou Sílvio Costa.

Apontou, ainda, o palanque de Paulo Câmara (PSB) como o que hospeda o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). “O PSL de Luciano Bivar (presidente) e Bolsonaro apoia o governo. Quero ver o PSB colocar o PT e Bolsonaro no mesmo palanque”, ironizou.

Fonte : Blog Edmar Lyra.

Comentários (0) e Compartilhar

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||