Blog

Fernando fica mais fortalecido para liderar oposição

Publicado em 12/12/2018 às 18h00

Deputado estadual, federal, prefeito de Petrolina, secretário de estado, ministro e senador, Fernando Bezerra Coelho construiu uma trajetória política que lhe deu condição de almejar ser governador de Pernambuco. Nas eleições deste ano ensaiou uma candidatura a governador depois de ingressar no MDB mas por conta do imbróglio jurídico envolvendo o comando do partido, acabou ficando de fora da disputa.

Pesava contra Fernando uma investigação envolvendo seu nome, a respeito de um suposto recebimento de propinas de empreiteiras na refinaria de Suape. O Supremo Tribunal Federal entendeu que não havia qualquer indício de culpa do senador, que teve a denúncia arquivada pela segunda turma do STF.

Com a decisão do STF e o resultado eleitoral que inviabilizou os três candidatos da chapa majoritária da oposição, o senador Fernando Bezerra Coelho larga na frente para liderar a oposição pelos próximos quatro anos e novamente fica com a condição de pré-candidato a governador, desta vez com tempo de sobra para decidir se continua disputando o comando do MDB com o também senador Jarbas Vasconcelos ou até mesmo chega a um entendimento com o colega de partido, uma vez que Jarbas só tem no seu horizonte a conclusão dos seus oito anos de mandato, ou segue para um novo partido para ter o comando e tornar-se efetivamente o líder de uma sigla.

O senador terá quatro anos para fazer o contraponto ao PSB em Pernambuco e buscar liderar o grupo que foi derrotado ainda no primeiro turno nas eleições deste ano. O impasse que lhe deixava mergulhado no processo político já não existe mais, cabendo a ele trabalhar diariamente no sentido de construir uma alternativa ao PSB, que em 2022 completará dezesseis anos à frente do Palácio do Campo das Princesas.

Oposição – O PRTB atendeu a orientação da executiva nacional do partido e decidiu que seus três vereadores do Recife, Hélio Guabiraba, Alcides Teixeira Neto e Samuel Salazar, e o deputado estadual Marco Aurélio, terão que integrar a oposição na Câmara Municipal do Recife e na Assembleia Legislativa de Pernambuco. Caso algum vereador decida desrespeitar a orientação partidária, poderá incorrer na infidelidade partidária e consequentemente ter seu mandato questionado na justiça.

Motivo – A decisão do PRTB de migrar para a oposição se deu sobretudo porque o prefeito Geraldo Julio não teria cumprido compromissos acertados na eleição de 2016. Dono de uma das maiores bancadas na Câmara Municipal, o PRTB esperava um espaço proporcional ao seu tamanho eleitoral na gestão, fato que não se confirmou e deu margem para o rompimento, que diminui o tamanho da base governista na Câmara e já começou a criar problemas para o prefeito, que ontem não teve quórum para votar matérias de seu interesse na Casa José Mariano.

Sintonizados – O deputado federal Fernando Rodolfo deu mais uma demonstração de sintonia com o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira, quando recepcionaram juntos o ministro dos Transportes Valter Casimiro, em Caruaru, para o anúncio de seis passarelas, sendo duas em Garanhuns e quatro em Caruaru. Fernando Rodolfo deverá ingressar no PR pelas mãos do prefeito de Jaboatão, que trava uma disputa interna pelo comando do partido.

Próxima semana – A respeito das especulações envolvendo nomes que comporão o secretariado, interlocutores do governador Paulo Câmara afirmam que somente na próxima semana que haverá algumas definições em relação a quem será mantido, substituído ou remanejado para o segundo governo que se inicia em 1º de janeiro de 2019.

RÁPIDAS

Comemorando – Presidente da Comissão de Educação da Câmara Federal, deputado Danilo Cabral (PSB), comemorou o arquivamento do projeto da chamada Escola sem Partido na comissão especial que analisava a proposta. “É uma vitória dos que acreditam na organização da luta do povo. Foi a mobilização da sociedade, especialmente daqueles que fazem a educação pública do país, que levou essa Casa a tomar essa acertada decisão, de arquivar um projeto que era uma verdadeira ‘lei da mordaça’ na educação brasileira”, celebrou o parlamentar.

Fundaj – Caso seja mesmo indicado para a presidência da Fundação Joaquim Nabuco, o ex-ministro Mendonça Filho terá condições de abrigar toda sua equipe em Pernambuco. A instituição tem ótimos cargos que permitem aos seus ocupantes morarem em Recife com remuneração no padrão de Brasília.

Inocente quer saber – Clodoaldo Magalhães é o favorito para ganhar a primeira-secretaria da Assembleia Legislativa de Pernambuco?

Fonte : Blog Edmar Lyra.

Comentários (0) e Compartilhar

Prefeitura de São Lourenço da Mata realiza blitz educativa

Publicado em 12/12/2018 às 17h00

Por Secom

Foto: Jardel Colen/SECOM

A Diretoria de Trânsito de São Lourenço da Mata, em parceria com o Batalhão de Polícia Rodoviária de Pernambuco (BPRV/PE) e a operação Lei Seca, realizou na manhã desta quarta-feira (12), na av. Belmino Corrêa, uma blitz educativa com o objetivo de orientar os condutores do transporte municipal alternativo a regularizarem sua situação.

A operação também teve como objetivo o combate ao transporte clandestino no município e durante a realização da blitz houve dois veículos apreendidos por estarem realizando o transporte alternativo de forma clandestina e estavam com a documentação irregular. A Diretoria de Trânsito realizará outras operações no município com o propósito de organizar o trânsito, melhorando o tráfego e garantindo mais segurança aos 

Fonte: Secretaria de Comunicação.

Comentários (0) e Compartilhar

José Múcio tem relações do TCU e obras paradas em foco

Publicado em 12/12/2018 às 16h00
Ao tomar posse como presidente do TCU, José Múcio Monteiro externou gratidão ao ex-presidente Lula e ao ex-governador Roberto Magalhães
Ao tomar posse como presidente do TCU, José Múcio Monteiro externou gratidão ao ex-presidente Lula e ao ex-governador Roberto MagalhãesFoto: Divulgação

Ele deixou a política há nove anos, quando ingressou no Tribunal de Contas da União, mas o tempo, ainda que tenha passado ligeiro, não diluiu seu conhecido perfil articulador. Em sua posse, ontem, como presidente do TCU, o pernambucano José Múcio Monteiro reuniu futuros ministros, como Paulo Guedes e Sérgio Moro, além do atual, Moreira Franco, e de Michel Temer, entre outros. Cuidou de dirigir agradecimentos ao ex-presidente Lula e ao ex-governador Roberto Magalhães, sem deixar de citar familiares e o povo de Pernambuco, que lhe conferiu cinco mandatos. "É, exatamente, do meu temperamento. Eu sei conviver com os contrários", pondera ele à coluna. Responsável por saudá-lo durante a solenidade, o ministro Benjamin Zymler realçou a generosidade do novo presidente. Benjamin, muito flamenguista, brincou que José Múcio, de tão generoso, seria capaz até de reconhecer a vitória do Flamengo em 1987. A disputa entre o time carioca e o Sport pelo título brasileiro foi parar na Justiça. À coluna, José Múcio informa que, à frente da presidência daquela Corte, pretende "estimular a relação institucional do tribunal com os outros poderes para que nós conversemos mais, combinemos mais as coisas, sem fugir à nossa atividade principal, que é o controle externo". Ele detalha: "O tribunal é um orgão muito importante pelo lado pedagógico, mas nós aparecemos muito pelo lado de multar, tomar, inabilitar, pelo lado policial nosso, fiscalizador”. E emenda: “A gente precisa também engrandecer o bom gestor, quem faz bem". Quando sugere estreitar relações com outros poderes, José Múcio refere-se à interlocução com o terceiro setor, com a Imprensa, orgãos públicos, outros orgãos de controle e tribunais estaduais. Defende uma necessidade de "estar perto". E avisa que vai procurar saber qual é a pauta do governo Bolsonaro, citando a retomada de obras paradas. "Acho que o governo vai querer dar agilidade a reiniciar esse monte de obras paradas e o Tribunal de Contas vai ver onde estão os gargalos, se tem alguma coisa conosco, se não tem. Há preocupação com a agenda econômica, com gerar empregos e fazer o Brasil voltar a crescer", arremata José Múcio. 

Jantar sela André na liderança
Ele fez questão de conseguir assinaturas dos 34 deputados eleitos e
ainda dos quatro suplentes do PSD. Por unanimidade, André de Paula torna-se líder de seu partido na Câmara Federal e um jantar em Brasília, ontem, sedimentou a construção.

Vizinhança - Foi na casa do deputado Fábio Faria (RN) o jantar que André de Paula ofereceu aos correligionários, os quais tiveram, ontem, ainda reunião com Jair Bolsonaro. 
 
Bancada - O PSD terá posição de independência em relação ao governo Bolsonaro. Mas André lembra que dois terços do partido já apoiavam o presidente no episódio eleitoral. Ele rejeita “jogar contra”.
 
Segurança > Paulo Câmara permaneceu em Brasília, onde prestigiou, ontem, as posses de José Múcio e de Ana Arraes no TCU. Estará na reunião dos governadores eleitos com Bolsonaro hoje, quando haverá apresentações de Sérgio Moro e Raul Jungmann. 
 
Sem... > Sindicatos de professores comemoram o encerramento dos trabalhos da Comissão Especial que discute o projeto Escola Sem Partido. O presidente do colegiado, Marcos Rogério, arquivou, ontem, a proposta.
 
...partido > A Aduferpe, Associação dos Docentes da UFRPE, por exemplo, produziu um Manual de Orientação e Resistência Docente, para que os professores defendam o seu direito constitucional de liberdade de cátedra.

 

Fonte : Folha de PE.

Comentários (0) e Compartilhar

Tucanos propõem que Aécio se licencie do partido para evitar expulsão

Publicado em 12/12/2018 às 15h00
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Estadão Conteúdo

 A cúpula do PSDB vai pressionar o senador Aécio Neves (MG) a se afastar do partido, mesmo que temporariamente. Uma das ideias em estudo para evitar a expulsão de Aécio, eleito deputado federal, é que ele peça uma licença partidária. Em conversas reservadas, dirigentes tucanos avaliam que, se ele não fizer isso, acabará sendo obrigado a deixar a sigla.

A estratégia para evitar que a crise envolvendo Aécio aumente ainda mais o desgaste do PSDB foi discutida nessa terça-feira (11) quando a Polícia Federal e o Ministério Público cumpriram mandados de busca e apreensão em imóveis de Aécio, no Rio e em Minas.

Instalada pela PF, a Operação Ross investiga denúncia de que a JBS teria pago propina de R$ 128 milhões ao tucano e a seus aliados, de 2014 a 2017, tendo parte dessa cifra servido para alimentar a compra de apoio político na campanha eleitoral de quatro anos atrás. As delações do empresário Joesley Batista e de outros executivos do grupo J&F também indicam o pagamento de uma “mesada” de R$ 50 mil ao senador. Aécio nega e diz não poder aceitar que “delações de criminosos confessos e suas versões se sobreponham aos fatos”.

Nos bastidores, deputados do PSDB asseguram que, se alguma representação contra Aécio der entrada no Conselho de Ética do partido, a tramitação será muito rápida e a expulsão, bastante provável porque os tucanos querem mostrar à sociedade que não compactuam com malfeitos. O colegiado foi criado há menos de duas semanas e é presidido pelo deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), que foi secretário da Casa Civil do governo de Geraldo Alckmin em São Paulo.

Diante desse cenário de revolta na bancada do PSDB, aliados de Aécio propõem como alternativa a licença partidária para que ele possa se explicar, evitando mais uma “contaminação” da legenda. A situação do senador é considerada “crítica” até mesmo por seus amigos. Desde as primeiras denúncias contra Aécio, que presidia o PSDB e foi obrigado a passar o bastão, no ano passado, o partido vem enfrentando um problema atrás do outro. Na esteira da crise, o ex-governador Alckmin, que comanda a legenda, perdeu a eleição para o Palácio do Planalto.

Fonte : Blog de Jamildo.

Comentários (0) e Compartilhar

Paulo deve recriar a Secretaria de Recursos Hídricos

Publicado em 12/12/2018 às 14h00

O novo secretariado do governador Paulo Câmara virá com a possível recriação da pasta de Recursos Hídricos. O tema é bem presente no debate e nas ações do governo, que aumentou a oferta de água no estado. Câmara, como reforçam seus aliados, fez o maior investimento em saneamento básico da história de Pernambuco. Em decorrência desse protagonismo, argumentam palacianos, a área de Recursos Hídricos não pode continuar como uma executiva da Secretaria de Planejamento. Para comandar a pasta, o nome mais forte é o do atual presidente da Compesa, Roberto Tavares.

Entre as prioridades da secretaria, que vai ter a Companhia de Saneamento como vinculada, está a manutenção do investimento na realização de obras de eficiência hídrica, uma marca do atual governo. A convivência com a seca será outra prioridade da potencial secretaria – os relatos dos sertanejos quanto ao problema preocupam o governo, que vai investir mais no segmento.

A favor de Roberto Tavares, que é da cozinha do governador, pesa seu conhecimento de causa – ele tem total domínio das ações de saneamento do governo –, além da sua articulação em Brasília. Tavares conhece os caminhos e sabe como chegar aos recursos que podem ser liberados pela União.  

O desenho feito pelo governador e seus principais assessores não aumenta o número de secretarias. Para criar a de Recursos Hídricos, outra pasta deve ter suas atribuições incorporadas por uma já existente. Paulo quer passar a ideia de austeridade, sem inchaço da máquina pública, algo que combateu durante toda a sua primeira gestão.

Prestígio – Altamente prestigiada a posse no novo presidente do Tribunal de Contas da União, José Múcio Monteiro, e da sua vice, Ana Arraes. Figura reconhecida por seu talento agregador, Múcio juntou muita gente na cerimônia, e em um jantar no dia anterior. Uma comitiva de pernambucanos de todas as cores foi à Brasília para o evento - faltou até vaga nos voos. O ato também contou com muitos figurões da política nacional. Múcio vai comandar, pelos próximos dois anos, o órgão que julgará as contas da maioria desses políticos.
 

Prestígio 2 – Em entrevista ao Frente a Frente, o deputado federal eleito Fernando Monteiro, sobrinho de José Múcio, sublinhou que a Presidência do TCU coroa a carreira de sucesso do tio, com quem começou na política. Fernando reforçou que será um defensor intransigente do Nordeste no seu mandato. O parlamentar também assegurou apoio à reeleição de Rodrigo Maia para presidente da Câmara Federal.

Mensagem clara – Além da sua proximidade com Paulo, a possível convocação do deputado estadual Rodrigo Novaes para o secretariado tem uma mensagem bem clara: a cúpula do governo desaprova o desempenho do grupo que comanda a Secretaria das Cidades. Francisco Papaleo e Charles Ribeiro, atuais dirigentes da Secid e do Detran, são nomes que o governo não cogita para 2019.

Homem de confiança – Gilson Neto, multi empresário pernambucano de hotelaria, entretenimento, agronegócio e comunicação (homem de confiança de Bolsonaro), recepcionou, com o presidente eleito, os artistas sertanejos em almoço na capital federal. Gilson também é sanfoneiro e cantor; sua Banda Brucelose já realizou mais de 3.500 shows, e ele tem 200 composições de sucesso.

CURTAS

11 EM CAMPO – Não um, nem dois, mas 11 aliados do prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque, se lançaram como pré-candidatos à sucessão do petista. Isso sem falar nos pretendentes da oposição. Democrático, Duque liberou todos do grupo para que construam suas candidaturas. No tempo certo, segundo o prefeito, com base em pesquisas e ausculta à base, ele definirá o escolhido. Duque também não confirmou preferência por Márcia Conrado, atual secretária de Saúde.

PEGOU PARA CRIAR – Com passagem comprada para o PR, o futuro deputado Fernando Rodolfo caiu nas graças do prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira, que vai retomar o comando do partido. Beneficiado na disputa com Sebastião Oliveira porque conseguiu levar federais para a sigla, Anderson pegou Fernando Rodolfo para criar, como se diz. Ontem, o prefeito assegurou com o ministro dos Transportes, que é do PR, a construção de seis passarelas para pedestres em Caruaru e Garanhuns, onde o pupilo foi votado.

OCASO – Que ocaso triste na sua outrora vistosa carreira está tendo o neto de um dos maiores políticos que este país já viu. De tão diminuído que ficou depois de denúncias e mais denúncias de corrupção, Aécio Neves deixou de ser quem um dia já foi, o poderoso governador de Minas e presidenciável, para se tornar a vergonha da família. A linhagem política de Tancredo foi para a lama. Seu neto vai entrar para a história como o “quase presidente” que terminou levando regulagem de um sujeito chamado Joesley. Triste fim.

Perguntar não ofende: Depois dessa absolvição no STF, FBC vai emergir do mergulho?

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Blog do Magno Martins. 

Comentários (0) e Compartilhar

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||