Blog

35 anos de dedicação e profissionalismo

Publicado em 15/12/2018 às 21h15

Todos sabemos que não é fácil enfrentar estradas e as dificuldades que o dia a dia nos em ponhe aos profissionais do volante sobretudo nos dias de hoje.

Nesta sexta-feira-(14)na festa de confraternização da empresa Mobibrasil na entrega das placas aos profissionais que se dedicam todos os dias.

Esta e um pequena homenagem ao motorista que eu tem o prazer ser seu cobrador diariamente Laércio Cipriano recebendo a placa do presidente da empresa José Chaves pelos seus 35 anos de dedicação e profissionalismo



 

 

 

Comentários (0) e Compartilhar

Ministério do Trabalho será fatiado em duas secretarias

Publicado em 15/12/2018 às 20h00

O futuro governo precisará editar uma Medida Provisória no dia 1 º de janeiro de 2019 para estabelecer os novos ministérios / Foto: Agência BrasilO futuro governo precisará editar uma Medida Provisória no dia 1 º de janeiro de 2019 para estabelecer os novos ministérios

Foto: Agência Brasil
Estadão Conteúdo
 

Com a extinção do Ministério do Trabalho no futuro governo Jair Bolsonaro, grande parte da atual estrutura da pasta será fatiada entre duas secretarias especiais do Ministério da Economia, segundo apurou o Estadão/Broadcast, plataforma de notícias em tempo real do Grupo Estado.

O secretário especial de Previdência, Rogério Marinho, vai ficar responsável pelas áreas que cuidam das relações do trabalho e da fiscalização. Marinho também cuidará das negociações para aprovar a reforma da Previdência. Já o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos da Costa, responderá pelas competências da atual Secretaria de Políticas Públicas de Emprego, que cuida de qualificação profissional. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Costa antecipou que o próximo governo vai lançar o Plano Nacional de Qualificação de Capital Humano para elevar a qualidade da mão de obra do País.

A área que cuida dos registros sindicais - recentemente alvo de investigações - ficará sob o comando do futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, como já havia informado o ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni.

O desenho final das estruturas ainda está sendo fechado pela equipe de transição, mas já está decidido que o Ministério da Economia terá sete secretarias especiais. Antes, a denominação usada era secretaria-geral, mas a mudança foi feita porque o termo já é historicamente usado com outro sentido em pastas como Relações Exteriores.

Inicialmente, Guedes previa seis secretarias em seu ministério, mas acabou desmembrando a Previdência da Arrecadação para sinalizar a importância da reforma nas regras de pensão e aposentadoria no País.

Receita Federal

No novo desenho, a Receita Federal manterá o status atual no segundo escalão do Ministério da Economia, em vez de ficar sob o guarda-chuva de uma das secretarias. Com isso, Guedes quer evitar a insatisfação da categoria, que poderia trazer consequências para a arrecadação do governo. O economista Marcos Cintra será o secretário especial da Receita Federal e terá um secretário adjunto.

A Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), órgão de assessoria jurídica do Ministério, deve continuar se reportando diretamente ao ministro da Economia, como é hoje no organograma do Ministério da Fazenda. A Secretaria Especial de Fazenda, que terá como titular Waldery Rodrigues Junior, vai comandar as atuais estruturas do Tesouro Nacional, Secretaria de Orçamento Federal (hoje no Planejamento) e Secretaria de Política Econômica.

O futuro governo precisará editar uma Medida Provisória no dia 1 º de janeiro de 2019 para estabelecer os novos ministérios. Bolsonaro vai reduzir das atuais 29 pastas para 22.

Na Economia, Guedes já indicou que pretende cortar 20% dos cargos atuais. Segundo apurou o Estadão/Broadcast, esses cortes devem ocorrer sobretudo em áreas de apoio ao trabalho da pasta, já que haverá redução nas estruturas de gabinetes.

O número total de secretarias que ficarão abaixo das secretarias especiais pouco deve mudar. A estrutura física dos ministérios também deve ter pouca alteração. Com cerca de 3 mil funcionários por prédio, será difícil reorganizá-los de maneira ágil.

Fonte:J C.

Comentários (0) e Compartilhar

Programa Ponto a Ponto faz análises dos Governos Bolsonaro e Temer

Publicado em 15/12/2018 às 19h00

Faltando poucos dias para a posse do presidente eleito Jair Bolsonaro, o semanal Ponto a Ponto recebe neste sábado (15), o cientista político Gaudêncio Torquato para fazer uma análise sobre o tema “Governos Bolsonaro e Temer. Início e final”. O programa será exibido à meia noite (Horário de Brasília) pela BandNewsTV e será apresentado pela jornalista Mônica Bergamo e pelo sociólogo Antonio Lavareda.

Prestes a deixar a presidência da República, Michel Temer teve seu governo avaliado por 64% da população como ruim ou péssimo. Foi o que mostrou a Pesquisa XP-Ipespe, realizada em novembro deste ano.

Outro ponto analisado foi quanto à expectativa para o governo de Bolsonaro. 57% dos entrevistados esperam que o governo seja ótimo ou bom. Já 20% acreditam que será ruim ou péssimo. Outros 6% da população não souberam responder.

Quanto à montagem do governo Bolsonaro e as primeiras medidas anunciadas, 63% das pessoas responderam que aprovam o que tem sido anunciado pelo futuro governo. O programa Ponto a Ponto ganha reprise no domingo (16), às 17h30 (Horário de Brasília).

Fonte: Blog Ponto de Vista.

Comentários (0) e Compartilhar

PRTB sai da base governista e Hélio Guabiraba se posiciona contra

Publicado em 15/12/2018 às 18h00
Por meio de nota, o vereador Hélio da Guabiraba (PRTB) informou que se manterá na bancada do governo como vice-líder da situação até o final deste ano
Por meio de nota, o vereador Hélio da Guabiraba (PRTB) informou que se manterá na bancada do governo como vice-líder da situação até o final deste anoFoto: Divulgação / Câmara Municipal do Recife

Na última semana, por meio de uma notificação oficial, o Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) comunicou uma mudança no posicionamento da sigla com relação à gestão municipal. PRTB passa agora a integrar a bancada de oposição na Câmara e a orientação é para que os parlamentares que integram o partido, adotem à medida.

O comunicado foi lido em Plenário pelo presidente da Casa nesta terça-feira (11), mas a notícia não foi bem recebida por alguns. O vereador Hélio Guabiraba, filiado ao PRTB e vice-líder do governo, se disse surpreso com o direcionamento por “não ter ocorrido nenhuma reunião da bancada municipal para tomar tal decisão”.

O vereador se posicionou por meio de uma nota divulgada pela assessoria e informou que se manterá na bancada do governo como vice-líder da situação até o final deste ano.

Leia a nota na íntegra:

“Na última semana, fui surpreendido ao receber uma notificação do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), informando sobre sua nova postura em relação ao governo municipal. Segundo a nota, a partir de agora, o PRTB viraria oposição à gestão Geraldo Júlio, e todos os parlamentares do partido deveriam seguir o novo direcionamento e votar contra os projetos do executivo na Câmara do Recife. Meu ingresso no PRTB se deu no ano de 2015, naquele momento, Geraldo Júlio estava no primeiro mandato como prefeito do Recife. No ano seguinte, disputei as eleições pelo partido, que fez parte da coligação que reelegeu o prefeito da nossa cidade. Durante estes últimos dois anos de mandato na Câmara, toda a bancada do PRTB fez parte do governo, inclusive me indicando como vice-líder da bancada.

O posicionamento repentino do PRTB em seguir para a oposição me deixa surpreso, pelo fato de não ter ocorrido nenhuma reunião da bancada municipal para tomar tal decisão. Reafirmo minha postura de continuar defendendo os projetos de interesse da cidade e do povo do Recife, para isso que fui eleito por 4.836 eleitores. Na posição de vice-líder, até o final do ano, sigo fazendo parte da bancada de governo. Reafirmo não ter nenhum interesse em abandonar os quadros do PRTB, pelo contrário. Irei lutar dentro do partido para que essa mudança de postura seja revista e a nossa legenda continue participando da gestão que ajudou a eleger. Estive, estou e estarei do mesmo lado, ao lado dos interesses do Recife!”.

Fonte :Blog da Folha de PE.

Comentários (0) e Compartilhar

Vereador denuncia crise política em Camaragibe

Publicado em 15/12/2018 às 17h00

Reprodução/Facebook                              Reprodução/Facebook

Um ano após ser eleito para assumir a Câmara dos Vereadores de Camaragibe pela mesa diretora da Casa, o vereador Toninho Oliveira (PTB) alega que vem sofrendo perseguição política por parte dos aliados do prefeito Demóstenes Meira (PTB). Segundo o vereador, Meira vem se “organizando” politicamente para evitar que ele possa assumir a cadeira de presidente da Câmara no próximo ano. 

Toninho afirma que a perseguição política começou quando ele virou oposição por não aceitar a forma como o atual prefeito vem trabalhando no munícipio. Segundo o vereador, o prefeito Meira tenta anular o resultado da eleição que o colocou como presidente da Câmara, realizada em 2017, registrada em cartório e publicada no Diário Oficial do Município. Toninho foi o segundo mais votado na eleição de 2016. 

“Ele está usando todas as suas forças para anular a eleição da mesa diretora realizada há um ano. O prefeito Meira não quer que eu sente na cadeira como presidente da Câmara. Durante todo este ano eu me destaquei pelos meus projetos sociais e pela minha oposição por não permitir aceitar as vontades do prefeito, as quais não acho corretas. Ele alega que é uma questão de honra anular essa eleição onde saí vitorioso para colocar alguém ligado a ele”, argumentou. 

No início deste mês, ocorreu a primeira sessão na Câmara Municipal de Camaragibe, onde os parlamentares entraram com um requerimento pedindo a anulação da eleição, porém o presidente da Câmara, Roberto da Loteria, não colocou o requerimento em pauta, enviando o mesmo para o jurídico da Casa. Outra sessão foi remarcada para esta semana, mas acabou não ocorrendo por falta de quórum.

Outro assunto bastante comentado na cidade nos últimos dias é a votação dos projetos de lei de autoria do Executivo, referentes à Lei Orçamentária Anual (LOA), para o exercício de 2019, e o Plano Plurianual (PPA). Segundo Roberto da Loteria o Poder Executivo vem interferindo nas atividades do Legislativo, dizendo que matérias importantes como a LOA e o PPA, de natureza orçamentária, podem não ser aprovadas neste mês o que, de acordo com o parlamentar, resultaria uma série de problemas financeiros para o munícipio.

“O prefeito tem se preocupado mais em anular a eleição da Comissão Executiva da Câmara para o biênio 2019/2020, mesmo com a decisão judicial na esfera de 2º insistência provocando um conflito de interesse, ao invés de se preocupar com o futuro da cidade”, lamentou.

Fonte Leia Ja.

Comentários (0) e Compartilhar

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||