Blog

Praias limpas só na emergência

Publicado em 17/10/2019 às 08h00

Sem fazer referências ao volume de recursos que caberá a cada Estado, o líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB), antecipou, ontem, a decisão do presidente Bolsonaro de liberar recursos para limpeza das praias nordestinas atingidas pela forte e descontrolada descarga de óleo cru de petróleo.

Um detalhe que chamou atenção é que somente será beneficiado o Estado que decretou estado de emergência para enfrentar o drama. Sergipe, um dos mais atingidos, foi um deles. Não vi nenhuma medida nesse sentido anunciada pelo governador Paulo Câmara. O litoral sul e norte do Estado apresenta, igualmente, uma extensa área de praias marcada pela crueldade que não se sabe de que mão assassina partiu.

Navios venezuelanos que cruzaram a costa nordestina são os mais suspeitos, segundo atestam estudos preliminares de universidades. O grande nó está na exibição das provas.

Energia atômica – Seis deputados estaduais visitam, hoje, o complexo de usinas nucleares de Angra dos Reis, no litoral do Rio, sob a coordenação de Alberto Feitosa (SD), autor da PEC que altera na Constituinte estadual o poder de vedar o uso de energia alternativas. Pernambuco e Minas disputam a sede da primeira unidade do projeto de expansão no País de energia atômica.

Tira dúvidas – Caberá ao presidente da Eletronuclear, Leomam dos Santos Guimarães, na função desde que o pernambucano Fernando Filho esteve à frente do Ministério de Minas e Energia, tirar, hoje, todas as dúvidas da comissão parlamentar quanto aos riscos de uma usina nuclear, principalmente em relação ao lixo atômico, maior receio da população de Itacuruba.

Relapso – Não se sabe a razão, m as o deputado João Paulo (PCdoB), relator da PEC de Feitosa que excluir da legislação estadual a vedação da instalação de usina nuclear, farrapou e não justificativas para ausência na visita de hoje ao complexo 1,2 3 de Angra dos Reis. Mesmo não tendo ainda opinião formada, o deputado José Queiroz (PDT) integra a missão ao Rio.

O adeus – Um rio de lágrimas foi derramado, ontem, no leito seco do rio Ipojuca, em Caruaru, nos funerais do empresário Luiz Lacerda, patrono do Central, que partiu aos 94 anos. Pai da ex-deputada Miriam Lacerda e sogro do deputado Tony Gel, “seu” Luiz era unanimidade no País de Caruaru.

Bodocó – Ainda sem partido, o comerciante Klevinho Xavier desponta como o provável fato novo da sucessão em Bodocó. Já foi lançado, inclusive, o movimento “Inova Bodocó” como start da sua candidatura a prefeito. Bacia leiteira importante do Estado, Bodocó não tem tido sorte com gestores.

PUNIDO – O prefeito de Bom Jardim, João Lira (PSD), levou uma baita derrota, ontem, no Tribunal de Contas do Estado, que constatou grave ilegalidade na contratação de 797 servidores pela janela. Foi multado e suas secretárias também responsabilizadas pelo pulo do gato.

Perguntar não ofende: Felipe Carreras segue o exemplo de Tábata e recorre à justiça para deixar o PSB sem perder o mandato?

Fonte : Blog do Magno Martins.

Comentários (0) e Compartilhar

Metade dos brasileiros vive com apenas R$ 413 por mês, mostra IBGE

Publicado em 17/10/2019 às 07h00
Mais de 100 milhões de pessoas ganham R$ 413
Pixabay
 

desigualdade de renda no país alcançou patamar recorde em 2018 dentro da série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), iniciada em 2012 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A metade mais pobre da população, quase 104 milhões de brasileiros, vivia com apenas R$ 413 mensais, considerando todas as fontes de renda.

No outro extremo, o 1% mais rico - somente 2,1 milhões de pessoas - tinha renda média de R$ 16.297 por pessoa. Ou seja, essa pequena fatia mais abastada da população ganhava quase 40 vezes mais que a metade da base da pirâmide populacional.

Em todo o país, 10,4 milhões de pessoas (5% da população) sobrevivem com R$ 51 mensais, em média. Se considerados os 30% mais pobres, o equivalente a 60,4 milhões de pessoas, a renda média per capita subia a apenas R$ 269.

Mesmo passada a crise econômica, a desigualdade se agravou. A renda domiciliar per capita dos 5% mais pobres caiu 3,8% na passagem de 2017 para 2018. Ao mesmo tempo, a renda da fatia mais rica (1% da população) cresceu 8,2%.

O Índice de Gini da renda domiciliar per capita - medida de desigualdade de renda numa escala de 0 a 1, em que quanto mais perto de 1 maior é a desigualdade - subiu de 0,538 em 2017 para 0,545 em 2018, patamar auge na pesquisa.

Os mais pobres ficaram mais pobres, os mais ricos ficaram mais ricos, confirmou Maria Lucia Vieira, gerente da Pnad. Para a pesquisadora, o fenômeno tem relação com a crise no mercado de trabalho, que afetou especialmente o extrato de trabalhadores com menor qualificação e menor remuneração.

"Continuam no mercado de trabalho aqueles que ganham mais", justificou Maria Lucia Vieira.

Quando começou a melhora na geração de vagas, os desempregados que conseguiram retornar ao mercado de trabalho passaram a ganhar menos em funções semelhantes ou a atuar em postos informais, que também remuneram menos.

"Quando as pessoas perdem seus trabalhos, elas vão arrumar outras ocupações em que elas consigam ter alguma remuneração. Se o momento tem mais demanda por trabalho do que oferta, as pessoas acabam aceitando trabalhos com remunerações mais baixas" explicou a gerente da Pnad.

Com mais pessoas trabalhando, a massa de renda de todas as fontes cresceu de R$ 264,9 bilhões em 2017 para R$ 277,7 bilhões em 2018. Como a concentração de renda aumentou, os 10% mais pobres detinham apenas 0,8% da massa de rendimentos, enquanto que os 10% mais ricos concentravam 43,1% desse bolo.

Se considerados apenas os trabalhadores com renda do trabalho, a fatia de 1% mais bem remunerada recebia R$ 27.744 mensais, o que corresponde a 33,8 vezes o rendimento dos 50% dos trabalhadores com os menores rendimentos, que recebiam, em média, R$ 820, menos que o salário mínimo em vigor no ano. A diferença foi a maior da série histórica da pesquisa.

O índice de Gini da renda do trabalho também registrou piora na passagem de 2017 para 2018, subindo de 0,501 para 0,509 no período, o patamar mais elevado da série.

Fonte :por Agência Estado.

Comentários (0) e Compartilhar

Ex-prefeito de Ipojuca, Carlos Santana deixa PSDB

Publicado em 16/10/2019 às 21h00
Ex-prefeito de Ipojuca, Carlos Santana deixa PSDB
Após 28 anos de filiação, Carlos Santana encerrou seu ciclo no Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), única sigla à qual pertenceu em sua trajetória política, que engloba quatro gestões como prefeito do município de Ipojuca e dois mandatos como deputado estadual. Em seu pedido de desfiliação, o ex-prefeito alegou motivos de ordem pessoal.
 

“Muito obrigado a todos que fazem parte da direção pelo acolhimento neste período”, declarou Santana, que é prefeiturável às eleições de 2020 em Ipojuca. No momento, ele avalia suas opções para novo partido.

Fonte : Blog do Elielson Lima.

Comentários (0) e Compartilhar

TCE julga ilegal processo de admissão de pessoal em Bom Jardim

Publicado em 16/10/2019 às 20h00

A Segunda Câmara do TCE julgou ilegal, na última terça-feira (15), um processo de admissão de pessoal da Prefeitura de Bom Jardim (n° 1855584-6), no exercício financeiro de 2018. A análise, sob relatoria do conselheiro substituto Luiz Arcoverde Filho, apontou irregularidades nas contratações temporárias de 797 servidores para ocupar diversas funções no município. 

As admissões foram feitas na gestão do prefeito João Francisco de Lira e, segundo relatório de Auditoria, não houve seleção simplificada ou concurso público prévio, no caso dos cargos de Agentes de Combate às Endemias. Além disso, foram encontradas três irregularidades: ausência de necessidade excepcional que deve reger as contratações temporárias, extrapolação dos limites para as despesas com pessoal da Lei de Responsabilidade Fiscal e acúmulo ilegal de funções. 

Fora o gestor, duas secretárias municipais foram responsabilizadas pelas admissões ilegais, tendo em vista que assinaram os contratos, Ivonete Braz (Secretaria de Assistência Social) e Josefa da Silva (Secretaria de Saúde). Desta forma, os respectivos registros das contratações foram negados pelo relator, com determinação de levantamentos acerca da necessidade de pessoal para execução dos serviços ordinários da municipalidade e da necessidade de Agente de Combate às Endemias, para realização de processo seletivo público.

Os interessados ainda podem recorrer da decisão do TCE. Representou o Ministério Público de Contas na sessão, a procuradora Maria Nilda da Silva.

Fonte :TCE-PE.

Comentários (0) e Compartilhar

Arymarcio confirma apoio a Vinicius Labanca

Publicado em 16/10/2019 às 19h00

Arymarcio é um jovem empresário Sãolourencense e um dos membros do Grupo Direita Pernambuco-São Lourenço da Mata, grupo responsável diretamente pela coordenação da Campanha do Presidente Jair Bolsonaro em nosso município.

O mesmo ira caminhar com Vinícius Labanca e é pré-candidato a vereador nas eleições de 2020 em São Lourenço da Mata.

 

Comentários (0) e Compartilhar

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||