Blog

Oposição vai anunciar metade da chapa e esperar decisão do Palácio

Publicado em 21/05/2018 às 11h00
Coluna da Segunda: Oposição vai anunciar metade da chapa e esperar decisão do Palácio

 Na próxima segunda, dia 28, a frente da Oposição vai anunciar metade da chapa que vai concorrer nas eleições deste ano. Já não é novidade pra ninguém que o senador Armando Monteiro (PTB), será ungido na disputa pelo comando do Governo e o ex-ministro da Educação e deputado federal, Mendonça Filho (DEM), será apresentado para o Senado.

Muitas especulações giram em torno dos outros nome que vão compor a chapa, mais um senador e o vice. Uma fonte revelou ao blog que a ‘demora’ para anunciar se deu pela espera do grupo em atrair outros partidos e lideranças que estão insatisfeitas ou ficarão.

A mesma fonte diz que a Frente Popular e o governador Paulo Câmara não conseguirá abraçar todos que estão ao seu redor hoje. Porque no momento que anunciarem a chapa palaciana, partidos importantes pularão do barco e vão declarar voto a Oposição. Com esse objetivo, a Oposição ‘guardará’ essas duas vagas para compor com os recém-chegados. Essa mesma fonte do alto escalão da Oposição revelou que está bem encaminhado a vinda dos  Ferreiras para o bloco oposicionista.

Em resumo, a estratégia da Oposição ficou muito clara, adiaram o anúncio dos nomes para tentar uma composição de última hora.

Demonstração de força – A vereadora do Recife e pré-candidata a governador, Marília Arraes (PT), reuniu na capital pernambucana – ontem – milhares de militantes e adeptos para defender seu nome na disputa eleitoral pelo Palácio do Campo das Princesas. Muito bem posicionada nas pesquisas, a neta de Arraes teve sua primeira prova de fogo e se saiu muito bem!

Vaias – O senador Humberto Costa foi citado pelo Secretário nacional de Cultura durante o discurso, os participantes respondeu com uma sonora e forte vaia. Isso demonstra como está o clima dentro do Partido dos Trabalhadores em Pernambuco.

Rápidas

Unidos – A relação dos Uchoas com o senador Armando Monteiro está de vento e polpa, a união política de Joaquim Lapa com Junior Uchoa em Carpina não só teve o consentimento de Ricardo Teobaldo como a benção do próprio senador, depois de receber a visita de ambos em seu escritório.

Habilidoso – O deputado federal Augusto Coutinho (SD), está ganhando fama dentro do meio político por sua habilidade e trato com seus aliados. Por exemplo, em menos de dois anos ele destinou mais de R$ 4 milhões entre convênios, projetos e emendas para a cidade de Lagoa do Carro. A prefeita Judite tem discurso de sobra para defender seu candidato.

Vicência – O prefeito Guiga (PSDB), lotou o Ginásio Municipal para realizar a festa das Mães. Ainda na sexta, ele realizou um ato bastante prestigiado para apresentar Antônio Moraes e Daniel Coelho como seus candidatos na eleição deste ano.

Pinga-fogo: O que pesa sobre Humberto Costa para defender com unhas e dentes a saída de Marília? 

Fonte Blog do Elielson Lima.

Comentários (0) e Compartilhar

Campanha “Lula livre” foi um dos acertos do ex-presidente

Publicado em 21/05/2018 às 10h00

Campanha em favor de “Lula livre” começa a tomar corpo em várias partes do Brasil

Lula continua sendo o maior líder popular da história do Brasil depois de Getúlio. Mas como todo mortal comum comete erros e acertos. Errou quando impôs Gleisi Hoffmann como presidente nacional do PT, mas acertou ao “politizar” a sentença do juiz Sérgio Moro que o condenou a 12 anos e 1 mês de prisão. Com a ajuda de militantes do PT e de outros partidos, o ex-presidente comanda de dentro da cela a campanha “Lula livre”, que está se disseminando pelo Brasil e pelo exterior, deixando dúvida na cabeça de muitas pessoas sobre se de fato ele é culpado ou inocente. Quase todos os dias o ex-presidente crie um “factóide”, seja pelas “cartas” que envia a Gleisi, seja pelas opiniões que manifesta aos que o visitam na prisão. A versão de que seria “preso político”, por exemplo, começa a ser assimilada até por não petistas, assim como a de que não há provas contra ele no caso do tríplex do Guarujá. É o “lulismo” falando sozinho sem que haja o contraditório por parte do juiz que o condenou nem dos procuradores “fundamentalistas” que o denunciaram a pediram sua condenação. É claro que do ponto de vista do Judiciário isso não terá efeito algum. A sentença da primeira instância já foi confirmada pelo TRF da 4ª Região e pelo Supremo Tribunal Federal, não havendo mais o que discutir sob o ponto de vista da legalidade. Agora, sob o ângulo da política, a campanha pelo “Lula livre” está em efervescência em universidades, nas plateias de shows artísticos e nas redes sociais. Se isto terá ou não influência nas próximas eleições, ainda é muito cedo para avaliar.

O Plano B em ação

Achando-se “líder” do PT, Gleisi Hoffmann passou a cobrar dos governadores do partido que façam a defesa de Lula e acabem com essa história de “plano B”, que é rechaçado pelo ex-presidente. Como diz o jornalista Elio Gaspari, entre Lula e nada, o PT prefere o “nada”. Mas como político não se suicida, o governador Flávio Dino (PCdoB-MA) e o ex da BA, Jaques Wagner, já conversam com Ciro Gomes (PDT).

A traição – A cúpula do MDB parece decidida a lançar amanhã a candidatura de Henrique Meirelles a presidente da República sustentada no documento “Encontro com o futuro”. Coitado do ex-ministro! Não terá apoio em PE (Jarbas vai com Geraldo Alckmin), nem em Alagoas (Renan vai com o PT), nem no PR (porque Roberto Requião vota em qualquer um, menos nele).

Pelo centro – O senador Cristovam Buarque (DF), que já passou pelo PT e pelo PDT e hoje se abriga no PPS, desencantou-se com a “esquerda” e deslocou-se para o “centro”. É um dos signatários de um documento em defesa da unidade do “centro”, para se contrapor a Lula (PT) e a Bolsonaro (PSL).

Vice de Ciro – Se o PSB aliar-se oficialmente ao PDT na próxima eleição presidencial, já tem um bom vice para Ciro Gomes: Márcio Lacerda, ex-prefeito de Belo Horizonte e pré-candidato a governador de MG. Ele já disse que aceita tanto a aliança como a indicação para ser vice.

O desânimo – Bateu o desânimo no comando da campanha de Geraldo Alckmin (PSDB), que o considera um candidato “pouco animado” e “tímido” na busca de apoio de outros partidos. Se isto ocorre em SP, base principal do PSDB e onde Alckmin foi governador 4 vezes, imagine o que se dirá de Pernambuco onde o partido não tem sequer candidato a governador.

E o presidente? – Próximo dia 28 a frente de oposição “Pernambuco quer mudar” vai apresentar o senador Armando Monteiro (PTB) como seu candidato a governador, mas sem qualquer alinhamento com a eleição presidencial. Armando não tem candidato a presidente, o de Bruno Araújo (PSDB) é Alckmin e o de Mendonça Filho (DEM) é Rodrigo Maia (DEM).

Fonte :Blog de Inaldo Sampaio

Comentários (0) e Compartilhar

Túlio Gadelha defende conversas entre PSB e PDT nacionalmente

Publicado em 21/05/2018 às 09h00
Foto: reprodução do Instagram
Foto: reprodução do Instagram

Túlio Gadelha, pré-candidato a deputado federal pelo PDT de Pernambuco, defendeu neste domingo (20) as articulações nacionais entre o seu partido e o PSB. “É uma construção natural. São dois partidos de centro-esquerda que estão dialogando e esse é o momento de diálogo mesmo”, afirmou. Ex-presidente do Instituto de Terras e Reforma Agrária do Estado de Pernambuco (Iterpe), ele foi demitido do governo Paulo Câmara (PSB) em janeiro, dois meses depois de assumir, e tem feito críticas tanto à gestão socialista quanto ao presidente estadual do próprio partido, o deputado federal Wolney Queiroz. “O PSB de Pernambuco é uma coisa, o PSB nacional é outra coisa.”

“Faço críticas ao governador Paulo Câmara pela forma como ele tem feito a gestão, mas não seria por isso que não deveria existir uma aliança visando um projeto nacional para o partido”, afirmou.

As negociações entre PSB e PDT cresceram depois que o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa abriu mão da candidatura à presidência. Os socialistas podem chegar a ocupar a vice de Ciro Gomes.

Em Pernambuco, hoje, o PDT integra a base de apoio do governo e tem uma secretaria, a de Agricultura, a que o órgão que foi presidido por ele está ligado. 

Questionado se considera que o partido deveria deixar de ser aliado de Paulo Câmara, respondeu: “eu sou a favor do PDT ser mais democrático, chamar os membros da direção estadual, chamar os membros do diretório nacional, os presidentes de movimentos. A comissão que hoje é presidida pelo presidente Wolney se reuniu apenas duas vezes em quatro anos. Eu acho que a gente precisa rever a forma de fazer política e construir partido no Brasil”.

Gadelha esteve neste domingo no ato realizado pela vereadora do Recife Marília Arraes (PT), em defesa da sua pré-candidatura ao Governo de Pernambuco, contra Paulo Câmara. O PT hoje está dividido entre ter um nome próprio ao Palácio do Campo das Princesas ou apoiar a gestão socialista, posição adotada pelo senador Humberto Costa. “Acho que a democracia ganha com a candidatura de Marília, o povo de Pernambuco ganha. E eu acho que já se foi o tempo de conchavos e apoios políticos espúrios que tentam impedir candidaturas legitimas. A candidatura de Marília é legitima”, defendeu.

A aliança entre PT e PSB em Pernambuco depende do cenário em Minas Gerais, onde também há uma construção envolvendo o PDT. Segundo informações de bastidores, os petistas impõem para desistir de ter candidatura própria no Estado o apoio dos socialistas em Minas à reeleição do governador Fernando Pimentel, do PT. Para isso, o ex-prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda (PSB) não deveria disputar o governo. Ele é cotado para a vaga de vice de Ciro Gomes (PDT) depois que Joaquim Barbosa desistiu.

Fonte:Blog do Jamildo.

Comentários (0) e Compartilhar

Não vejo problema, diz Humberto Costa sobre vaias em ato de Marília

Publicado em 21/05/2018 às 08h00

Humberto Costa foi vaiado quando teve seu nome citado durante ato em defesa a candidatura de Marília Arraes ao governo do Estado neste domingo (20) / Foto: DivulgaçãoHumberto Costa foi vaiado quando teve seu nome citado durante ato em defesa a candidatura de Marília Arraes ao governo do Estado neste domingo (20)

Foto: Divulgação

Amanda Miranda, do Blog de Jamildo

Após as vaias quando o seu nome foi citado durante ato para reforçar a pré-candidatura de Marília Arraes ao governo de Pernambuco, neste domingo (20), o senador Humberto Costa afirmou que é um movimento normal. "Em muitos encontros do PT, muita gente já recebeu vaia, isso é normal, isso reflete o acirramento que tem nessa discussão, não vejo nenhum problema", minimizou. "Além do mais, é uma parte da militância que estava lá, outra parte não estava e não agiria dessa maneira".

Humberto Costa é um dos defensores da aliança entre PT e PSB. As vaias foram durante o discurso do secretário nacional de cultura do PT, Marcos Tavares, que citou uma entrevista do parlamentar em que ele advoga pelo apoio aos socialistas no Estado.

Marília Arraes afirmou que não ouviu a frase que provocou as vaias e não poderia opinar. "Tentamos conduzir a militância para o respeito à opinião divergente", disse, no entanto. A vereadora também negou que o PT esteja dividido. "O que há é uma divergência de opinião em relação à melhor tática a ser utilizada", explicou a vereadora. 

Aliança

Se o partido decidir pela aliança, Humberto Costa pode ter espaço na chapa majoritária de Paulo Câmara para disputar a reeleição ao Senado. A outra vaga deve ser de Jarbas Vasconcelos (MDB), opositor histórico do PT.

O partido marcou para 10 de junho um encontro de delegados para decidir se haverá candidatura própria ou aliança. Trezentos delegados vão votar. Além de Marília, se colocaram como pré-candidatos o deputado estadual Odacy Amorim e o militante petista José de Oliveira.

Fonte : JC.

Comentários (0) e Compartilhar

Petistas se reúnem no Recife e pedem oficialização de Marília Arraes ao Governo

Publicado em 20/05/2018 às 20h00
Vereadora do Recife e pré-candidata ao Governo do Estado, Marília Arraes (PT-PT) também fez coro por 'Lula Livre'
Vereadora do Recife e pré-candidata ao Governo do Estado, Marília Arraes (PT-PT) também fez coro por 'Lula Livre'Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Milhares de petistas se reuniram no Clube Internacional do Recife, na Zona Norte da cidade, para reforçar o coro que pede a liberdade do ex-presidente Lula - preso desde 7 de abril pelo caso do triplex Guarujá - e a oficialização da vereadora Marília Arraes como candidata ao Governo de Pernambuco. Depois de ter percorrido o interior do Estado em mais de 40 atos de diretórios municipais, a vereadora recifense realizou na manhã deste domingo (20), seu primeiro grande evento na capital pernambucana.

Na solenidade, estiveram presentes muitas personalidades políticas, dentre elas, a deputada estadual Teresa Leitão (PT-PE), o prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT), o vereador do Recife, Jairo Brito (PT) e diversos outros parlamentares do interior do Estado. Além de artistas como Sérgio Mamberti, Cláudio Ferrari e pré-candidatos ao parlamento estadual, como Carlos Veras (PT) e Fernando Ferro (PT). Todos estão aqui em "defesa de Lula Marília", como ressaltou Veras. 

No evento, durante suas falas, todos os petistas tem aproveitado para reforçar a importância de se ter uma candidatura própria. Em seu discurso, o vereador do Recife, Jairo Brito, falou sobre a atuação de Marília Arraes na Câmara Municipal e lembrou a ausência da militância petista nas ruas nos últimos anos. "Marília resgata tudo isso".

Veras também reforçou que em caso da opção da nacional pela candidatura própria em Pernambuco, o partido "não estará isolado" e admitiu conversas sobre alianças com outros partidos como o PSOL, o AVANTE e o PRB.

De acordo com Luciano Duque, em resposta às declarações polêmicas do presidente municipal da sigla, Oscar Barreto, afirmando sobre o evento da vereadora do Recife ser um "motim", o prefeito de Serra Talhada declarou que se tratava, sim, de um "motim de todos, da militância".

Fonte : Blog da Folha de PE.

Comentários (0) e Compartilhar

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||