Blog

João Fernando Coutinho vai sair do PSB e estará ao lado de FBC, em novo partido

Publicado em 20/07/2017 às 16h30
Foto: Divulgação
                                Foto: Divulgação

Nos bastidores da política local, o que se comenta é que o racha no PSB terá inevitavelmente reflexo sobre a bancada federal. Alguns falam em revoada, com políticos buscando se reacomodar.

Entre os nomes mais citados, João Fernando Coutinho desponta com folga. Acredita-se que ele estará ao lado do projeto do grupo de FBC, em função da proximidade que construíram nos anos recentes. Na última eleição da mesa da Câmara, FBC trabalhou para incluir o nome do socialista, mas aliados do PSB trabalharam contra. FBC conseguiu eleger a líder do partido, Tereza Cristina, que acaba de entrar em uma polêmica no partido ao admitir que uma ala do partido negociava entrada no Democratas ou mesmo PMDB.

A primeira amargura de João Fernando Coutinho ocorreu nas eleições de Jaboatão dos Guararapes, quando Eduardo Campos estimulou a disputar, mas depois optou por outro candidato. No caso, em troca de indicar Heraldo Selva vice, deu apoio a reeleição de Elias Gomes (PSDB). Nas eleições passadas, mais uma vez preterido, agora com Heraldo Silva candidato a prefeito pelo PSB, não trabalhou pelo candidato socialista, pedindo votos para o adversário Neco, do PDT.

“Não serão apenas os deputados. Quando os prefeitos virem o rolo compressor, vão se abraçar com ele (FBC)”, conta um observador da cena local.

Oficialmente, João Fernando Coutinho não é peremptório. “Eu aposto sempre no esgotamento da capacidade de diálogo que possamos exercer na busca do reagrupamento e do fortalecimento da unidade do PSB. Tenho conversado com parte dos insatisfeitos do partido para que tenham paciência, calma. Mas esperamos o aceno concreto por parte das principais lideranças do partido”, relatou.

A atuação parlamentar tem sido alvo de constrangimento. O deputado é um dos integrantes do PSB que entraram na mira da direção nacional do partido por ter votado a favor da reforma trabalhista. O parlamentar virou alvo do conselho de ética da legenda

Entre os defensores da reforma trabalhista, também está o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB), a quem João Fernando Coutinho é ligado.

Para fustigar os aliados, João Fernando Coutinho lembra Eduardo Campos. “O então candidato a presidente Eduardo Campos defendia uma flexibilização da legislação trabalhista, uma legislação da década de 40 em que sequer computador existia. Agora as relações de trabalho são bem distintas. Essa é uma decisão (votar pela reforma trabalhista) que busca valorizar o emprego formal, novos empreendedores. Foi baseado nisso que tomamos o nosso posicionamento de votar a favor da reforma”, disse ao JC, nesta quinta.

João Fernando Coutinho diz que a Executiva nacional do PSB tem sido injusta.

“Parte do partido deseja a expulsão de alguns parlamentares, inclusive a minha, ou a punição. Eu, que tenho uma história de mais de 20 anos de militância do PSB, que não comecei hoje no partido. Sou do tempo das vacas magras, do tempo em que éramos oposição ao primeiro governo Jarbas Vasconcelos (PMDB, hoje aliado do PSB). Naquele instante, após a derrocada do partido em 98 poucas pessoas tiveram a disposição de enfrentar as urnas e ajudar na última eleição de Miguel Arraes”, destacou.

“Não estou em uma lista dos insatisfeitos. A relação em que me encontro é dos que receberam processos no conselho de ética. O PSB, que historicamente nunca teve esse tipo de comportamento por parte da direção nacional do partido, nos coloca numa posição desconfortável”, declarou.

Fonte :Blog de Jamildo.

Comentários (0) e Compartilhar

Armando: "Pernambuco está sem rumo"

Publicado em 20/07/2017 às 16h00
Armando Monteiro, senador
Armando Monteiro, senadorFoto: Folha de Pernambuco

Por Daniel Leite
Da Folha de Pernambuco

Um dia após se encontrar com o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB), que está no centro especulações sobre a ida de dissidentes socialistas para o DEM ou PMDB, o senador Armando Monteiro Neto (PTB) partiu para o ataque ao governador Paulo Câmara (PSB). O petebista fez uma avaliação da gestão e apontou uma série de problemas, como o aumento da violência no Estado.

"Fiquei um tempo sem dar opinião sobre o governo Estadual e agora, depois de 30 meses, já é possível fazer uma avaliação. Infelizmente a avaliação é ruim. Pernambuco está sem rumo e sem presença no cenário nacional", disse, nas redes sociais, após entrevista à Rádio Santa Maria FM.

Na sua visão, o Estado "vive um retrocesso", que pode ser traduzido pelos índices de violência. "Tudo o que conquistamos desde 2007, estamos perdendo. Esse semestre foi o mais violento em Pernambuco dos últimos tempos. É inaceitável. Assaltos, homicídios, insegurança nas ruas. A família pernambucana vive insegura porque o Estado não é capaz de oferecer respostas".

Por fim, o senador destacou que o governador não conseguiu se apresentar como líder. "O problema é que o governador não foi para a linha de frente, não assumiu a responsabilidade. O verdadeiro líder tem que se apresentar e convocar a sociedade. E isso faltou no atual governador".

Fonte : Blog da Folha de PE.

Comentários (0) e Compartilhar

Autuações da Lava Jato chegam a R$ 12,8 bilhões

Publicado em 20/07/2017 às 13h00

As autuações da Receita Federal decorrentes da Lava Jato totalizam R$ 12,8 bilhões desde o início da operação, de acordo com dados divulgados ontem pelo órgão. No primeiro semestre deste ano, o montante foi de R$ 2,7 bilhões.

Quase 2 mil procedimentos de fiscalização foram feitos no âmbito da Lava Jato. Desses, 383 foram concluídos em 2017 e outros mil estão em andamento. "Nossa expectativa é superar até o fim deste ano os R$ 15 bilhões em lançamentos na Lava Jato", afirmou o subsecretário de Fiscalização da Receita, Iagaro Martins. Foram autuadas pessoas físicas e empresas. O Fisco multou ao menos 82 empreiteiras.

Fonte  :  As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Estadão. 

Leia Ja.

Comentários (0) e Compartilhar

Prazo de prestação de contas do Projovem 2014 é ampliado

Publicado em 20/07/2017 às 12h00

O prazo para prestação de contas dos recursos destinados ao Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem) da edição de 2014 foi ampliado. A Resolução 8/2017 foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) no dia 17 de julho. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) alerta que as diretrizes começam a valer ainda neste ano para os Entes federados. Estados e Municípios terão até o dia 30 de setembro para comprovar a utilização dos valores repassados, destinados às modalidades Urbano e Campo – Saberes da Terra.

A medida visa a garantir o maior atendimento de jovens que não puderam concluir o ensino fundamental na idade certa. O programa é uma política de educação de jovens e adultos do Ministério da Educação (MEC) que por meio da estratégia de promoção da igualdade, proporciona a jovens entre 18 e 29 anos que saibam ler e escrever, mas que não concluíram o ensino fundamental, participem do programa.

A mudança anunciada, conforme determinação do MEC, vai ampliar o prazo em três meses, permitindo que Estados e Municípios concluam as ações do programa utilizando os recursos que ainda estão disponíveis nas contas dos entes executores.

Para utilização desses recursos, Estados e Municípios terão que aderir à edição especial do Projovem, que será publicada em breve conforme orientação do MEC.

Acesse aqui Resolução 8/2017

Fonte :CNM.

Comentários (0) e Compartilhar

Raquel pode presidir PSDB

Publicado em 20/07/2017 às 11h00

O ex-prefeito de Jaboatão, Elias Gomes, está prestes a virar a nova vítima das malandragens do PSDB pernambucano. Numa linguagem bem humorada, a Viúva Porcina, aquela que foi sem nunca ter sido. Refiro-me ao acordo fechado com o deputado Antônio Moraes para assumir a presidência estadual por dois anos. Pelo que ficou previamente acertado, ele teria assumido em junho, mas agosto já está batendo à porta e continua a ver navios.

Tem um ingrediente novo: uma corrente forte da tucanada botou na cabeça – e vem trabalhando nessa direção – para a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, substituir Antônio Moraes na presidência. A preferência por ela ultrapassa o território pernambucano e chega a Brasília: conta com a simpatia da direção nacional, que enxerga nela o início do processo de renovação do partido no Estado. Raciocinam que há outro ingrediente: Caruaru é a maior cidade do Nordeste de viés tucano.

Brasília sofre influência ainda do pai da prefeita, o ex-governador João Lyra Neto, que tirou o mandato tampão de nove meses após a renúncia do ex-governador Eduardo Campos para entrar na disputa presidencial. Moral da história: Elias Gomes foi jogado numa grande frigideira e tende a tostar, o que pode antecipar a sua revoada do partido junto com o filho Betinho Gomes, deputado federal.

Ministro das Cidades e maior liderança tucana no Estado, o deputado licenciado Bruno Araújo não quer nem ouvir falar em assumir a presidência do partido e já teria sinalizado para o presidente nacional em exercício, Tasso Jereissati, que o melhor nome, capaz de oxigenar a legenda no Estado, seria o de Raquel. Presidente estadual do PSDB, a prefeita ganharia uma tribuna e abriria diretamente uma articulação com o diretório nacional.

Desde a morte do ex-senador Sérgio Guerra, que controlava o PSDB com mão de ferro, o partido vem perdendo força e prestígio. A eleição de Raquel é uma aposta nova e por isso mesmo anima correntes que não querem se submeter aos caprichos de Elias Gomes, que tenderia a transformar o mundo tucano no Estado numa espécie de republiqueta de Jaboatão.

Fonte: Blog do Magno Martins.

Comentários (0) e Compartilhar

left show fwR|left tsN uppercase fwB|left show fwB fsN uppercase|bnull|||login news fwB tsN fwR tsY c05|normalcase fwR c15 fsI|b01 c05 bsd|login news c10|tsN normalcase fwR fsI c15 b01 bsd|b01 normalcase bsd c05|content-inner||