Blog

Entenda a importância do deputado estadual e do federal

Publicado em 19/09/2018 às 14h00

Nas eleições marcadas para outubro deste ano, além de os eleitores definirem quem serão os próximos políticos a ocupar os cargos de presidente e vice-presidente da República, governador e vice-governador de estado e senador, eles também deverão eleger deputados estaduais e federais. Entenda a importância desses cargos:

O deputado estadual tem três funções principais: fiscalizar, legislar e representar. Ele é responsável por fiscalizar o trabalho do governador por meio de comissões permanentes ou especiais, como a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), e receber denúncias, apurá-las e encaminhá-las para os órgãos competentes, como é o caso do Ministério Público.

Ao legislar, o deputado estadual também pode apresentar projetos de lei e propor mudanças na constituição estadual através de uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC). Além disso, ele deve se posicionar sobre os projetos de lei encaminhados pelo governador do estado ou por determinados setores da sociedade.

Esse político também é responsável por representar a sociedade diante do governo e da tribuna, apresentando as demandas das pessoas e chamando atenção para as causas nas quais ele também deve propor soluções. Entre as atribuições do parlamentar que ocupa esse cargo também está cuidar das contas do estado, decidir os impostos estaduais a serem pagos pela população, e definir o valor do próprio salário, o do governador e o do vice. Por fim, por meio  da assembleia legislativa, o deputado estadual aprova indicações para agências reguladoras e órgãos estaduais, como os conselheiros do Tribunal de Contas do Estado.

Já o deputado federal representa a população em escala nacional e atua em conjunto com os senadores. Esse parlamentar geralmente é eleito com o apoio de algum setor da sociedade no qual ele irá defender frente aos demais parlamentares, tentando convencê-los a votar nos projetos de lei que julgam mais importantes. Ele também é responsável por resolver problemas mais específicos da população, além de fiscalizar o presidente da República junto aos senadores e ao Tribunal de Contas da União.

Ao deputado federal cabe, inclusive, aprovar o orçamento do governo federal e autorizar a abertura de processos contra o presidente, caso haja crime de responsabilidade como o que resultou no impeachment da ex-presidente petista Dilma Rousseff em 2016.

Em conjunto com os senadores, a câmara dos deputados é responsável ainda pela votação de projetos de lei. Essa tarefa funciona da seguinte forma: o projeto é votado primeiro pelos deputados e depois é encaminhado para o senado que irá revisá-lo, em seguida o projeto é enviado para o presidente, que pode aprovar ou vetar o texto.

Nesse caso, os deputados e senadores se reúnem em uma sessão conjunta para decidir se o veto do presidente será mantido ou derrubado. Por fim, esses políticos também participam de reuniões formais e informais entre as bancadas, líderes de cada partido, ministros e até na residência oficial do presidente da câmara ou do presidente da República.

Fonte :Leia Ja.

Comentários (0) e Compartilhar

Com "risco" Bolsonaro, desafio é criar ponte até com PSDB

Publicado em 19/09/2018 às 13h00
Fernando Haddad
Fernando HaddadFoto: Ricardo Stuckert

Fernando Haddad já acenou para "possibilidade de diálogo com o PSDB". No último domingo, quando fez caminhada em São Paulo, afirmou o seguinte: "A autocrítica do PSDB é muito importante e constrói possibilidade de diálogo depois das eleições". A aliados, Haddad já defende acordo com Ciro Gomes e Geraldo Alckmin, de forma que quem for ao segundo turno apoie o outro. A lógica é evitar vitória de Jair Bolsonaro. Ontem, após evento da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), na Capital paulista, Ciro, por sua vez, flexibilizou o discurso ao ser indagado se estaria junto com Haddad "Se nós olharmos para trás, é fato. Estivemos juntos ao longo dos últimos 16 anos em que eu ajudei", pontuou. E ponderou: "Mas o projeto que advogo para o Brasil não é o mesmo projeto do PT". Ainda em agosto, indagado se em um cenário de segundo turno com Haddad e Bolsonaro apoiaria alguém, Ciro fora mais resistente: "Vale morrer?". Pesquisa Ibope divulgada ontem apontou crescimento de 11 pontos do presidenciável petista, que passa a figurar isolado na vice-liderança com 19% (tinha 8%), enquanto Jair Bolsonaro lidera, com 28% (tinha 26%). Ciro manteve-se com os mesmos 11% da pesquisa anterior, Alckmin tem 7% (tinha 9%) e Marina 6% (tinha 9%). Na última segunda, Haddad apostou em unidade da centro-esquerda no 2º turno: "Continuarei lutando para que estejamos juntos - não foi possível no primeiro turno, será possível no segundo, e, mais ainda, no governo...". Haddad toma para si o desafio de ser o ponto de unidade do que petistas definem como "forças democráticas". Esse debate em torno de acordo com Ciro e Alckmin, ainda não teve início internamente, segundo o presidente estadual do PT, Bruno Ribeiro, mas ele, à coluna, faz a seguinte reflexão: "A luta contra o risco Bolsonaro diz respeito aos padrões civilizatórios. As forças democráticas terão que encontrar um entendimento". 

Entendimento à vista
Presidente do PT em Pernambuco, Bruno Ribeiro adverte: "Quando tem ameaça totalitária, o que chamo de forças democráticas têm a missão de preservar a sociedade se entendendo". 

Ponto... >
 A "hipótese Bolsonaro", na avaliação do presidente do PT em Pernambuco, "coloca valores acima das disputas partidárias, coloca um ponto de unidade acima das divergências partidárias e até de conteúdo político".

...de unidade > "Alckmin não está dando sinais de que vai chegar. Mas se, por acidente, não for Haddad que chegar, o PT estará com qualquer candidato que represente o mínimo de equilíbrio e não essa agenda fascista e alucinada de Bolsonaro. Estamos confiantes que Haddad vai para o 2º turno", observa Bruno.
 
Digital 1 > O candidato a governador Maurício Rands será recebido, hoje, às 10h, por empresários e gestores do Porto Digital para debate sobre tecnologia da informação e comunicação, economia criativa, empreendedorismo e inovação. 
 
Digital 2 > O encontro será e faz parte de uma série com os principais candidatos e será no Apolo 235.
 
Recordar 1 > Rands tem realçado que o "Brasil começou a desandar no governo de Dilma Rousseff, que foi escolhida por Lula". 
 
Recordar 2 > Tanto no debate promovido pela Rádio Liberdade, ontem, como no Roda Viva Pernambuco, Rands repisou o assunto, ao criticar Paulo Câmara por terceirizar a culpa. "Parece até que o governo Dilma foi uma beleza. Aliás, Temer e Dilma foram eleitos na mesma chapa", alfinetou.

 

Fonte:Folha de PE.

Comentários (0) e Compartilhar

PSL errou ao não lançar candidato em Pernambuco

Publicado em 19/09/2018 às 12h00

O pensamento de “direita” em Pernambuco sempre foi forte desde a fase anterior ao golpe de 64

Bolsonaro tem hoje em Pernambuco 17% das intenções de voto, segundo a última pesquisa do Ibope divulgada pela TV Globo. Ele perde apenas para Fernando Haddad, que tem 26% e ainda com chão para crescer, graças ao apoio do ex-presidente Lula. Isso significa que o PSL se equivocou ao não lançar o seu próprio candidato ao governo estadual. Provavelmente perderia, mas poderia eleger uma boa bancada de deputados federais e estaduais na esteira do “bolsonarismo”, que se manifesta forte em Pernambuco. Aqui, o pensamento de “direita” sempre foi forte desde o período que antecedeu o golpe militar de 64. Apenas os políticos identificados com esse pensamento tinham vergonha de se assumir como “de direita” para não serem apontados como co-responsáveis pela queda do governador Miguel Arraes, as prisões arbitrárias, as torturas e a supressão das liberdades que se seguiram àquele período. Agora, não. Quem é de “esquerda” se assume como tal, e quem é de “direita”, idem. E não há nada demais nisso, pois seria inadmissível que num país com 200 milhões de habitantes as concepções de mundo fossem as mesmas. Assim, o coronel PM Luiz Meira, se não tivesse sido impedido de disputar, poderia estar hoje com 5% ou 6% de intenções de voto, o suficiente para levar a disputa ao 2º turno e arrastar consigo pelo menos dois deputados federais e quatro estaduais.

Novo livro de Magalhães

Será lançado em meados de outubro o novo livro de Roberto Magalhães intitulado “Lições do passado e desafios do século XXI”. Ele externa suas impressões sobre parte da história do Brasil, e de Pernambuco, em particular, exaltando todos os nossos mártires. E conclui: “Nós, brasileiros, devemos nos envergonhar do Brasil de hoje, e nos orgulhar do Brasil do passado”.

Bom debate – O debate entre Paulo Câmara (PSB), Armando Monteiro (PTB), Maurício Rands (PROS) e Dani Portela (PSOL) promovido ontem pela Rádio Liberdade (Caruaru) teve grande audiência no Agreste porque foi transmitido por um “pool” de emissoras daquela região.

A desgraça – Do advogado Paulo Henrique Maciel, defensor de presos políticos durante o regime militar: “A pior desgraça que há na política brasileira, hoje, é esse Jair Bolsonaro, que teve a insensatez de fazer elogios ao general Carlos Alberto Brilhante Ustra, o único torturador brasileiro reconhecido pela Justiça”.

Com tudo – A tropa de Paulo Câmara (PSB) começa a ocupar, a partir de hoje, todas as cidades da área metropolitana para tentar evitar um 2º turno entre ele e Armando Monteiro (PTB). É voz corrente na Frente Popular que se Paulo não vencer no 1º, pode se complicar no segundo.

De volta – Se as pesquisas estiveram certas, Renan Calheiros (AL) e Eunício Oliveira (CE) estarão de volta ao Senado a partir de fevereiro, assim como Jarbas Vasconcelos (PE). Quem não está muito bem em Roraima é Romero Jucá (3º colocado). Todos pertencem ao MDB.

Aviso prévio – Por equívoco, a coluna informou ontem que os candidatos a senador do prefeito do Cabo, Lula Cabral, eram Jarbas Vasconcelos e Bruno Araújo (PSDB). Na verdade, são Bruno e Humberto Costa (PT). Lula avisou previamente ao governador que não apoiaria Jarbas.

Fonte : Blog de Inaldo Sampaio.

Comentários (0) e Compartilhar

Governo Temer tem aprovação de 4%

Publicado em 19/09/2018 às 11h00

Pesquisa Ibope, divulgada ontem, mostra os seguintes percentuais de avaliação do governo do presidente Michel Temer (MDB):

•    Ótimo/bom: 4%
•    Regular: 16%
•    Ruim/péssimo: 78%
•    Não sabe/não respondeu: 2%

Na pesquisa anterior do Ibope, divulgada em junho, 79% consideravam o governo "ruim/péssimo"; 16%, "regular"; e 4% o avaliavam como "bom/ótimo".

A pesquisa ouviu 2.506 eleitores entre domingo (16) e terça-feira (18).

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Fonte :Blog do Magno Martins.

Comentários (0) e Compartilhar

A novela do PDT de Pernambuco

Publicado em 19/09/2018 às 10h00
Coluna da quarta: A novela do PDT de Pernambuco

Após anunciar apoio formal a candidatura de Maurício Rands pra governador e ainda fazer composição de chapa com Isabela de Rondão na vice. Ontem, o deputado federal Wolney Queiroz voltou a protagonizar um apoio formal ao governador Paulo Câmara, em evento na cidade de Caruaru.

Fica cada vez mais claro que a chapa produzida no apagar das luzes foi mera conveniências de momento. Além disso, o próprio PDT ainda mantém cargos no Governo do Estado sem nenhum inquietação. Lembrando que foram essas instabilidades que levou o saudoso Guilherme Uchoa lá trás sair da sigla que estava filiado a anos.

Por sua vez, Maurício Rands chegou a ser carimbado como linha auxiliar de Paulo, fato que ele conseguiu reverter com seus discursos incisivos contra a gestão do governador. Rands que é filiado ao PROS, partido que está na base de Haddad, por sua vez preferiu declarar voto a Ciro Gomes do PDT, candidato que nem mesmo os pedetistas no Estado estão fazendo força na eleição.

Por fim, essa novela do PDT foge a qualquer script da teledramaturgia e parece que está longe do fim. Uma pergunta que fica é: quem comandará o partido no Estado pós-eleição se os Queiroz não sairem bem das urnas? A resposta pra isso será a chave para o futuro.

Reapareceu – O senador Fernando Bezerra Coelho que andava meio sumido da campanha de rua de Armando Monteiro reapareceu em dois atos importantes, um em Petrolina – sua cidade natal – e outro no Recife. FBC foi eleito pelo DIAP como um dos 100 ‘cabeças’ do Congresso.

Candidatura – Depois de ter sido impugnado pelo TRE, o candidato a deputado federal Everaldo da Joia conseguiu impetrar um recurso e reverter essa situação. Segundo o candidato, foi uma falha na prestação de contas da campanha municipal de 2016 que não havia sido concluída.

Fake news – Ontem uma imagem do candidato João Campos circulou em dezenas de grupos do Whatshap, onde o filho de Eduardo estaria utilizando supostamente uma luva para cumprimentar eleitores. João utilizou suas redes sociais para combater essa montagem e disse que “não faz campanha nos escritórios, mas na rua com o povo”.

Rápidas

Lagoa de Itaenga – A Câmara de Vereadores de Lagoa de Itaenga só voltará ter sessão ordinárias após o pleito eleitoral. A última foi realizada na última segunda, lá as reuniões são quinzenais. O presidente Pedro Epifânio alertou para a importância do voto consciente no dia 7 de outubro.

Ampliando – O candidato a federal Paulo Roberto (Patriota) anunciou outra importante dobradinha com Sergio Leite (PSC). Esse apoio vem dá um gás nessa reta final da campanha e poderá ser decisiva.

Pinga-fogo: A eleição em Pernambuco terá segundo turno?

Fonte : Blog do Elielson Lima.

Comentários (0) e Compartilhar

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||