A margem segura de cada chapa pra federal e estadual

Publicado em 12/03/2018 às 10h15

Estamos a menos de 30 dias para fechar a janela partidária para a filiação de deputados estaduais e federais, o panorama dos partidos ainda está indefinido, como por exemplo o caso do MDB que não se sabe ainda se integrará a Frente Popular ou se irá para a oposição, também ainda há dúvidas sobre coligações, se haverá mesmo chapinha para federal, etc.

Porém, apesar das incertezas, já é possível fazer um prognóstico da quantidade de votos necessária para se eleger em cada chapa, tanto de federal quanto de estadual. No cenário de haver chapinha de federal composta por PP, PCdoB, PDT e Solidariedade, é extremamente plausível a hipótese de eleger de quatro a cinco deputados federais, o que daria na melhor hipótese a chance de o último eleito chegar ao mandato com pelo menos 70 mil votos.

O chapão da oposição que pode ser composto por MDB, PTB, DEM, PSDB, PRB, Podemos e Avante, deverá eleger de oito a nove federais, com chances de o último atingir o mandato com cerca de 80 mil votos. Já a Frente Popular, na hipótese de ser composta por PSB, PT, PSD e PR, deverá, no cenário da chapinha se materializar, eleger de 11 a 12 federais, onde na melhor hipótese o último chegaria com pelo menos 100 mil votos. Ainda ficaria a dúvida do caminho do PSC que deve integrar algum chapão e do PSL, que pode liderar uma chapinha ou fazer parte da que é composta pelo PP, PCdoB, PDT e Solidariedade, mas não deverá promover grandes alterações no quadro.

Na disputa para deputado estadual a conta do chapão, que seria composto por PSB, PT, PR, PSD e PDT, seriam necessários pelo menos 50 mil votos para disputar uma das 16 ou 17 vagas destinadas a chapa liderada pelo partido do governador. Já no chapão da oposição composto por PTB, MDB, PSDB e DEM, devem ser destinadas de doze a treze vagas, as contas giram em torno de 40 mil votos para garantir a vitória. A chapinha liderada pelo PP deverá eleger entre 10 a 12 deputados estaduais, garantindo a maior bancada da Alepe em qualquer cenário, e para estar garantido serão necessários 32 mil votos, podendo se eleger com menos.

As demais chapinhas formadas por PSOL, PRP, PSL, PPS, Patriota, Solidariedade e PHS, devem entre eleger de um a dois deputados. A de PRTB/PV deve eleger de dois a três estaduais, enquanto a do PSC pode ficar com três a quatro cadeiras. As primeiras chapas devem eleger um deputado com 30 a 35 mil votos. A de PRTB/PV deverá eleger o terceiro com cerca de 20 a 25 mil votos, assim como a do PSC deverá eleger o quarto com essa votação. É evidente que esses números ainda não são definitivos, podendo oscilar para mais ou para menos, tanto a quantidade de vagas quanto a de votos, mas é pouco provável que alguma chapa eleja um deputado federal com menos de 60 mil votos e um deputado estadual com muito menos de 20 mil votos.

Prazo – A expectativa é que no dia 20 deste mês possa haver um desfecho no enfadonho caso do MDB. Jarbas Vasconcelos e Raul Henry, nos bastidores, já reconhecem que não terão outro caminho que não seja sair do partido. Eles inclusive já decidiram que se filiarão ao PSD do deputado federal André de Paula. Além de Jarbas, que disputará o Senado, e Raul Henry, que tentará um mandato de federal, irão para a sigla Tony Gel e Ricardo Costa. Gustavo Negromonte, por sua vez, deverá se filiar ao PSC.

Suspenso – O prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira (PSDB), teve que suspender o concurso que seria realizado este fim de semana. A ordem veio do Tribunal de Contas do Estado (TCE), a pedido do Ministério Público de Contas de Pernambuco (MPCO). O procurador do MPCO, Ricardo Alexandre, argumentou que a empresa não possuia inquestionável reputação, uma vez “que não fez concursos públicos para órgãos federais ou tribunais judiciais”. Outro ponto foi a empresa possuir apenas 2 empregados cadastrados. Também pesou haver “indícios de graves irregularidades praticadas pela mesma empresa na Prefeitura de Buíque”. O consórcio CONIAPE, presidido pelo prefeito Edson Vieira, tentou derrubar a cautelar no Poder Judicário durante o plantão do fim de semana, mas não conseguiu.

Aposta – Nos bastidores da política muita gente acredita que Humberto Costa não terá votos para se eleger deputado federal no chapão da Frente Popular, e por isso ele estaria trabalhando no sentido de ser o senador do PT na chapa do governador, pois acredita que suas chances na majoritária seriam melhores do que na proporcional.

Ex-deputado – Por não ter votos suficientes para se reeleger deputado federal, Betinho Gomes sonha em escapar da derrota tentando ser candidato a deputado estadual. O problema é que da mesma maneira que ele não tem muita chance de chegar a 80 mil votos pra federal, também seria muito difícil fazer 40 mil votos para estadual, uma vez que suas maiores bases, Jaboatão e Cabo, possuirão muitos candidatos que diminuirão suas chances de atingir expressivas votações para qualquer cargo que vier a disputar.

RÁPIDAS

Trânsito – O vereador Marco Aurélio estará nesta segunda-feira na Av. Antônio de Góes para fazer um levantamento de quantos ônibus passarão entre 6:30 e 10 horas da manhã, bem como o intervalo entre um ônibus e outro na Faixa Azul. Marco Aurélio tem enfrentado com bastante veemência a CTTU por conta do caos que se tornou o trânsito do Recife.

Indefinido – A pré-candidata a deputada estadual Fabiola Cabral ainda não definiu qual será o seu partido para a disputa por uma cadeira na Assembleia Legislativa de Pernambuco. Por ter condições de sair majoritária do Cabo de Santo Agostinho e com potencial de 60 mil votos, muitas siglas querem que ela ingresse na chapa para ajudar a eleger mais deputados.

Inocente quer saber – Como um petista pedirá votos para Jarbas Vasconcelos na disputa pelo Senado em caso de aliança do PT com a Frente Popular?

Fonte :Blog de Edmar Lyra.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||