Acenos ainda na posse e aposta na governabilidade confortável

Publicado em 05/01/2019 às 16h00
Bolsonaro

                BolsonaroFoto: Folha de Pernambuco

Desde o dia primeiro, quando o presidente Jair Bolsonaro tomou posse, alguns parlamentares já identificaram, ali, sinais de alinhamento entre o chefe do Planalto e o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia. Durante o discurso de Bolsonaro, deputados anotaram que ele referiu-se a Maia como "meu caro amigo e companheiro". Avaliaram o trato como um afago. Na sequência, o PSL anunciou apoio à candidatura de Maia e, em seguida, a liderança do PRB divulgou nota, informando que o deputado João Campos (GO) estava retirando sua candidatura à Presidência da Casa. Os movimentos representaram avanços no sentido da consolidação de Rodrigo e de externar ao mercado que que a Câmara terá um mandatário comprometido com as reformas do governo. "Caso Rodrigo ganhasse sem apoio de Bolsonaro, não faria o que Eduardo Cunha fez com Dilma (Rousseff), porque Bolsonaro não é Dilma e ele não é Eduardo. Mas, agora que o PSL está com ele, a contrapartida é correta", observa um deputado federal. Em outras palavras, o presidente da Câmara ter compromisso com as reformas que interessam ao governo é um componente de peso e equivale à redução do risco de o governo ir para disputa e ser derrotado. Um insucesso no primeiro embate não seria estratégico e poderia minar as apostas na aprovação das reformas que o governo vem defendendo. Com o jogo em andamento, o apoio a Rodrigo se dá no sentido de conferir tranquilidade para colocar em prática o que foi prometido. Nas palavras já empregadas pelo presidente do PSL, Luciano Bivar, a arrumação vai dar, ao Planalto, "uma governabilidade extremamente confortável para viabilizar as reformas que a sociedade exige”.

Trocando figurinhasO prefeito de Custódia, Manuca de Zé do Povo, é do PSD, presidido em Pernambuco por André de Paula. O dirigente da sigla é amigo irmão do gestor. Ontem, Paulo Câmara assinou Ordens de Serviço para a construção do Sistema Adutor para abastecimento da cidade. Durante a solenidade, Paulo e André trocaram figurinhas.

Simbolismo > André de Paula teve a maior votação da história de Custódia: mais de seis mil votos. O governador teve votação representativa lá.

Quase... > Ao juntar o secretariado todo em Custódia, ontem, a intenção do Palácio das Princesas foi mostrar unidade. Hoje, Paulo Câmara comanda a primeira reunião do secretariado, às 8h30, no Salão das Bandeiras.

...todos > O único a levar falta no ato em Custódia, ontem, foi Pedro Eurico, titular de Justiça e Direitos Humanos, que afastou, em entrevista ontem, a possibilidade de ataques em Pernambuco como houve no Ceará.

Das antigas > Indicação do MDB para a pasta de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Marcelo Bruto foi diretor de Cidades, quando André de Paula era o secretário. O presidente do Detran, Roberto Fontelles, foi chefe de gabinete de André de Paula na antiga Secretaria das Cidades.

Overdose > Ainda incomoda a aliados de Paulo Câmara o que eles definem como "overdose de PSB" no primeiro escalão.

Em... > Ainda que não seja mais o presidente do PR-PE, Sebastião Oliveira segue negociando o comando do Porto do Recife com o governo.

..curso > Em jogo nas negociações de Sebastião estão também estão o Procon e uma secretaria na Prefeitura do Recife.

Lista > Paulo Câmara reconduziu Francisco Dirceu Barros para mais um mandato à frente do MPPE. A lista tríplice tinha ainda o chefe de gabinete, Paulo Augusto, e o coordenador de Patrimônio Público, Maviael Silva.

Fonte :Folha de PE.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||