André pode não ser anunciado ainda, mas é esperado na chapa

Publicado em 08/06/2018 às 14h00
André
                            AndréFoto: Divulgação

A interlocutores, o deputado estadual André Ferreira já teria sinalizado a intenção de promover um evento, mesmo que em momento posterior, para anunciar sua postulação ao Senado. O assunto, segundo pessoas próximas, estaria praticamente definido entre ele e membros da oposição. Ontem, havia quem nem descartasse que o nome dele viesse a ser anunciado na próxima segunda-feira, quando serão lançados, em evento, o senador Armando Monteiro Neto como cabeça de chapa e o deputado federal Mendonça Filho, como um dos postulantes à Casa Alta. A estratégia dos oposicionistas, no entanto, seria não divulgar a chapa completa ainda, de forma a aguardar novos movimentos que poderão acontecer. O PSC, partido de André, seria um a mais a agregar ao bloco dos oposicionistas, razão pela qual tucanos vinham incensando essa costura, admitindo, inclusive, indicar a vice e deixar o espaço do Senado a ser ocupado por André. Ontem, o deputado estadual participou de uma reunião nacional do PSC, em Brasília, na qual ficou entendido que sua postulação à Casa Alta é prioridade para o partido. Leia-se: se não há espaço na chapa de Paulo Câmara, com quem André teve várias conversas, essa candidatura deverá ser concretizada nas hostes oposicionistas. Nesse processo, a pessoas próximas, André já revelou que o presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Uchoa, a despeito de sua relação estreita com o Palácio das Princesas, não seria empecilho. O pedetista já teria ingressado no PSC ciente dessa possibilidade e já viu o PDT, seu antigo partido, votar em Armando Monteiro, enquanto ele defendeu Paulo Câmara. Ontem, André já dizia a aliados que julho - tempo estabelecido pelo PT para seus encontros estaduais - ficou tarde demais. Se o PSB, então, aguarda o tempo do PT, o PSC, visando ao projeto majoritário, vai definindo seu futuro antes disso com o bloco da oposição.

Ciro na pauta
Como a coluna adiantara, o governador de São Paulo, Márcio França, desembarcou em Brasília, na última quarta-feira. Foi à mesa com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. O apoio do PSB a Ciro Gomes foi à pauta. No PSB, essa composição nacional com Ciro vem sendo dada como certa. França, segundo aliados, segue no apoio a Geraldo Alckmin, embora tenha relação estreita e diálogo aberto com o pedetista.

Flerte > Nas coxias do bloco oposicionista, circulava, ontem, que um flerte passou a se dar com o secretário de Transportes, Sebastião Oliveira. Ventilava-se o nome dele para ser vice na majoritária.

Almoço > O ex-ministro Aldo Rebelo vai à mesa, hoje, com Paulo Câmara, às 12h30, no Palácio das Princesas. É a primeira passagem dele pelo Estado e a terceira pela região Nordeste depois de anunciar sua pré-candidatura à Presidência da República pelo Solidariedade.

Sem chance > Márcio Lacerda descartou deixar a corrida pelo governo de Minas, visando a apoiar Fernando Pimentel . Em entrevista ao Estado de São Paulo, disse que "essa troca, PT apoiando o PSB em Pernambuco e vice-versa aqui, nunca teve uma base concreta que chegasse até mim - e isso foi desmentido pela direção nacional do PSB também". 

Adição > Nas hostes oposicionistas, uma observação vem sendo feita sobre a pesquisa recente Vox Populi encomendada pelo PT: os nomes do deputado federal Mendonça Filho e do senador Fernando Bezerra Coelho foram aferidos no páreo da corrida pelo Governo do Estado, mas nenhum dos dois concorrerá. FBC e Mendonça Filho estão no mesmo campo de Armando Monteiro Neto.

Fonte Folha de PE.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||