As opções do senador Fernando Bezerra Coelho

Publicado em 03/01/2019 às 14h00

Ao lado do prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira, o senador Fernando Bezerra Coelho foi um dos poucos vitoriosos do processo eleitoral do ano passado no grupo oposicionista que perdeu a eleição para a Frente Popular, quando reelegeu Fernando Filho para a Câmara Federal e elegeu Antonio Coelho para a Assembleia Legislativa de Pernambuco. Fernando tentou se cacifar para a disputa, mas acabou ficando de fora e apoiando Armando Monteiro.

O principal fator que o inviabilizou para a eleição foi o imbróglio jurídico envolvendo o MDB, que por uma liminar do ministro Ricardo Lewandowski, está parada até hoje a troca de comando do partido em Pernambuco. Apesar disso, a situação não foi de toda ruim, uma vez que já há um indicativo do diretório nacional proibindo a renovação do diretório estadual, o que certamente obrigará o ministro Lewandowski a tomar uma posição até julho deste ano.

Caso confirme o comando do partido em julho, o senador que já é filiado, poderá filiar o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, à sigla e naturalmente terá uma importante máquina partidária para pavimentar sua candidatura ao governo de Pernambuco em 2022, uma vez que a reeleição para o Senado enfrentando em tese o atual governador Paulo Câmara seria dificílima, devido o capital político obtido pelo governador nas eleições do ano passado.

Na hipótese de não conquistar o comando do MDB em julho, Fernando ainda tem uma opção bastante interessante. Na condição de senador, e tendo o filho prefeito de Petrolina, Fernando tem um ativo político importante para qualquer partido, e o caminho natural seria o DEM, pois os deputados Fernando Filho e Antonio Coelho já estão na legenda, e a entrada de um prefeito e de um senador garantiria força suficiente para convencer a executiva nacional do partido a proporcionar-lhe o comando no estado.

Um dos grandes empecilhos para o senador trilhar um caminho próprio rumo ao Palácio do Campo das Princesas foi não ter um partido para chamar de seu, mas agora as circunstâncias políticas e eleitorais lhe deram a possibilidade de ter pelo menos o comando de um partido importante, podendo até ficar com as duas siglas, DEM e MDB, na melhor das hipóteses, para pavimentar sua postulação ao governo de Pernambuco na sucessão de Paulo Câmara.

Mesa diretora – Já se comenta que a mesa diretora da Assembleia Legislativa de Pernambuco pode ser composta por Eriberto Medeiros na presidência, Diogo Moraes na primeira vice-presidência, Manoel Ferreira na segunda vice-presidência, Clodoaldo Magalhães ou Francismar Pontes na primeira-secretaria, Claudiano Filho na terceira vice-presidência, Alvaro Porto na segunda-secretaria, Antonio Coelho na terceira-secretaria e Aglailson Victor na quarta-secretaria.

Cobrança – O deputado estadual eleito Romero Albuquerque criticou o governador Paulo Câmara por não ter criado uma secretaria voltada para a defesa dos animais, que é a sua principal bandeira. Ele lembrou o caso do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, que prontamente montou uma pasta para criar políticas públicas voltadas para os animais.

De ônibus – O primeiro ato público do governador Paulo Câmara após a sua posse será uma viagem com todo o secretariado para a cidade de Custódia. O governador e seus auxiliares viajarão de ônibus até a cidade para a assinatura de ordem de serviço para obras de abastecimento. A postura já mostra que o governador quer imprimir uma marca de mais trabalho e mais resultados para Pernambuco.

Igarassu – Esteve presente em Brasília, na posse do presidente Jair Bolsonaro uma das apostas do PSL para 2020 na região metropolitana do Recife, o ex-vereador Ernandes Bob, da cidade de Igarassu, que faz parte do grupo do deputado federal Luciano Bivar, viabilizando-se como futuro candidato a prefeito, na sucessão de Mario Ricardo.

RÁPIDAS

Força – Aliado do presidente Jair Bolsonaro desde o primeiro momento, o pernambucano Gilson Machado Neto tem sido visto como um dos principsis interlocutores de Pernambuco com o presidente da República. Ele deverá cumprir papel fundamental na formação dos espaços federais no estado. 

Suape – Caso se confirme Marcelo Barros para a presidência de Suape, será uma excelente escolha do governador Paulo Câmara. Marcelo já foi secretário de Recife, Ipojuca e da Fazenda do estado, portanto tem experiência de sobra para tocar um dos principais órgãos do estado que é o Porto de Suape. 

Inocente quer saber – Quando o governador Paulo Câmara oficializará o segundo escalão? 

Fonte : Blog Edmar Lyra.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||