Bolsonaro está jogando fora a grande chance que o país lhe deu

Publicado em 29/03/2019 às 14h00

  1. Após 14 anos de governos petistas – dois mandatos de Lula e dois de Dilma Rousseff, sendo que o último desta última foi complementado por Michel Temer, o Brasil resolveu apostar numa “coisa nova” na eleição presidencial de 2018.
  2. Tinha opções melhores que o PT, como Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB), mas resolveu apostar numa rutura.
  3. O candidato escolhido foi o ex-capitão do Exército, Jair Bolsonaro, que nem partido político tinha. Filiou-se ao PSL a seis meses da eleição após descartar o Patriotas que era sua primeira opção depois do PSC (ao qual estava filiado).
  4. Que Bolsonaro não tinha preparo para ser presidente da República, todos que o olhavam sem preconceito sabiam disto. Mesmo assim, 57 milhões de brasileiros resolveram confiar-lhe o voto esperando mudanças nos costumes políticos, na segurança pública e na retomada no desenvolvimento.
  5. Hoje, passados 90 dias da posse do novo presidente, qual o saldo político e econômico desses três primeiros meses? Brigas políticas desnecessárias, fuxicos, fofocas, demissão do ministro Bebiano por ordem do vereador Carlos Bolsonaro, ministros que ainda não sabem o que fazer com as suas pastas, desarticulação da base governista no Congresso Nacional, etc.
  6. O presidente joga o futuro do seu governo na reforma previdenciária, no que está absolutamente correto, mas nada faz de concreto para aprová-la.
  7. Como foi deputado federal durante 28 anos, sabe por experiência própria que ainda não se aprova nada de graça. Os deputados exigem cargos no governo em troca de votos – isso é a cultura brasileira – e não adiante dizer que não terão.
  8. O presidente chama isto de “velha política” e diz que não haverá o “toma lá dá cá” no seu período de governo. Escolheu seus ministros sem se submeter a esse jogo e fará a mesma coisa com os ocupantes de segundo escalão.
  9. Isso na teoria pode até ser simpático, mas na prática não funciona. Ou abre espaço para os parlamentares ou não aprovará nem votos de pesar.
  10. O que há de bom no governo é a área econômica, mas até ela está engessada pela reforma previdenciária, pois nada propôs ate agora para reduzir a taxa de desemprego em nosso país. Ou Bolsonaro abre os olhos e começa a governar ou teremos pela frente dias sóbrios. Quem viver, verá.
  11. É isso aí.

RETORNO AO HOSPITAL 

O deputado Gonzaga Patriota (PSB) voltou a sentir-se mal, em Brasília, na última quarta-feira (27), e após submeter-se a uma série de  exames foi diagnosticado com um hematoma na região abdominal. Ele já foi transferido para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde recentemente passou 20 dias internado com uma diverticulite, para submeter-se a novos exames. O repouso que os médicos recomendaram não foi obedecido. O parlamentar trabalha de domingo a domingo e como já passou dos 70 anos, isso compromete a sua saúde.

NOVO PORTAL  

A Junta Comercial do Estado de Pernambuco lançou novo portal na internet, que permite aos usuários o acesso rápido e preciso às informações de seu interesse. O projeto foi desenvolvido pela equipe de TI da própria autarquia. A presidente Taciana Bravo diz que a Jucepeestá empenhada em oferecer ao cidadão um serviço cada vez mais eficiente e mais desburocratizado.

COM A CARGA TODA

Após um período de internamento, em São Paulo, para tratar-se de uma depressão, o deputado estadual Diogo Moraes (PSB) voltou ao trabalho com a carga toda. Sua mais recente ação foi uma visita ao Palácio das Princesas junto com o prefeito de Sertânia e seu aliado político, Ângelo Ferreira (PSB), para solicitar a Paulo Câmara melhorias para o município. A principal reivindicação é a cessão de um terreno para instalação de um distrito industrial, dado que o município não possui indústrias de nenhuma natureza.   

47ª EXPOCOSE

O prefeito Ângelo Ferreira (PSB) aproveitou a audiência para solicitar ajuda ao Governo do Estado à realização da 47ª Exposição de Caprinos e Ovinos de Sertânia EXPOCOSE), que é uma das maiores do Nordeste. “A Expocose é um dos grandes eventos do nosso município, que atrai, anualmente, milhares de expositores e visitantes. Além da programação técnica, também são levadas atrações artísticas regionais e nacionais, atraindo gente de diversos municípios vizinhos e até de outros Estados”, afirmou o prefeito.

À POLÍTICA

Atuando em Olinda com hospital próprio para o atendimento de animais, o veterinário Magno José está seriamente inclinado a disputar mandato eletivo nas eleições do próximo ano. Ele já foi procurado por políticos do governo e da oposição, mas ainda não decidiu a que partido pretende filiar-se. Por meio de uma ONG, o veterinário atende no seu hospital de Jardim Atlântico a população de baixa renda que não tem condições de levar os animais a uma clínica particular. Não custa lembrar que o prefeito Professor Lupércio (SD) foi a “zebra” das eleições de 2016.

MAIS AGÊNCIAS

O Sicredi, cooperativa de crédito que foi destaque em janeiro deste ano na revista “IstoÉ Dinheiro” como uma das melhores opções para investimento em 2019, anunciou em Petrolina (PE) que vai ampliar a oferta de serviços no Vale do São Francisco com a abertura de mais duas agências. Uma será construída em terreno já adquirido na Avenida da Integração e outra na cidade Senhor do Bonfim (BA). O anúncio foi feito pelo presidente do Conselho de Administração da Cooperativa, Antônio Vinicius, durante assembleia geral ordinária que reuniu um número recorde de associados.

FILIAÇÃO AO PSD

Após uma passagem conflituosa pela Rede, o ex-prefeito de Petrolina, Júlio Lossio, decidiu filiar-se ao PSD a convite do deputado federal e presidente regional do partido, André de Paula (PSD), para disputar novamente a prefeitura no próximo ano. “Na Rede nós tivemos um conflito no meio da campanha. Não se entendeu os apoios (de eleitores de Bolsonaro) que nós estávamos recebendo e na política os apoios são sempre bem vindos, devem ser valorizados e não rejeitados. As pessoas tinham a opção de votar em outros candidatos a presidente e isso não foi entendido pela Rede, que na minha visão sucumbiu durante o processo”, disse o ex-prefeito. 

MEIO DE CAMPO

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), defende um diálogo permanente entre Congresso Nacional e o Poder Executivo para a construção de um ambiente de “compreensão e entendimento” a fim de facilitar a aprovação da Reforma da Previdência. Após reunião com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e líderes de partidos no Senado, Bezerra Coelho afirmou que o governo está identificando os interesses de cada bancada para melhorar a interlocução com os congressistas. “Entram os bombeiros, bota água na fervura, restabelece o diálogo e vamos encontrar um caminho para estabelecer essa parceria da Câmara e do Senado com o Poder Executivo”, afirmou o líder do governo.

CADÊ AS BARRAGENS?

O deputado Clodoaldo Magalhães (PSB), 1º secretário da Assembleia Legislativa, cobrou do governo Paulo Câmara a conclusão das barragens de contenção de enchentes na região da Mata Sul. Em discurso nesta quarta-feira (27), ele disse que a barragem de Gatos, em Lagoa dos Gatos, pode ser concluída com R$ 28 milhões e que com o dobro desse valor é possível construir a barragem de Panelas 2, em Cupira. Até agora, o governo construiu apenas a barragem de Serro Azul, em Palmares.

SALÁRIO EM DIA

Se é ou não para fazer inveja ao governador Paulo Câmara, não se sabe. Mas a Prefeitura do Recife, todos os meses, faz questão de informar aos seus  servidores a data de pagamento da folha de pessoal, que sempre é feita dentro do mês. Nesta sexta-feira (29), por exemplo, o prefeito Geraldo Júlio (PSB) pagará o salário de março dos 38.780 servidores da administração direta e indireta do município. A folha totalizará R$ 166 milhões

TROCA DE COMANDO

O Tribunal Regional Federal da 5ª Região terá uma nova gestão a partir próximo dia 3. Os desembargadores Vladimir Carvalho, Rubens Canuto e Carlos Rebêlo serão empossados, respectivamente, nos cargos de presidente, vice-presidente e corregedor-geral para o biênio 2019-2021 A solenidade de posse da nova Mesa Diretora será realizada às 17h, no Salão do Pleno, com a presença de vários governadores do Nordeste.

PERFIS DOS DESEMBARGADORES

Natural de Itabaiana (SE), Vladimir Souza Carvalho é graduado em Direito pela Faculdade de Direito de Sergipe (1973). Foi juiz de Direito em Sergipe e juiz federal no Piauí (1984-1985), em Alagoas (1985-1987) e em Sergipe (1987-2008). É desembargador federal desde 2008, compondo a Segunda Turma, e atuou, no biênio 2017-2019, como desembargador eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco. É membro da Academia Sergipana de Letras e da Academia Itabaianense de Letras.

Natural de Maceió (AL), Rubens de Mendonça Canuto Neto é graduado em Direito pelo Centro de Estudos Superiores de Maceió e pós-graduado em Direito Tributário pela Fundação Getúlio Vargas. Foi delegado da Polícia Federal (1999-2000) e advogado da União (2000-2002). Ingressou na Justiça Federal em agosto de 2002, no cargo de juiz federal substituto na 4ª Região. Conseguiu remoção para a 5ª Região em outubro do mesmo ano, onde passou a atuar na Seção Judiciária de Alagoas. Foi promovido por merecimento a desembargador federal do TRF5, em 2015. Atualmente, é presidente da Quarta Turma de julgamento do Tribunal.

Natural de Alenquer (PA), Carlos Rebêlo Júnior é bacharel em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e em Filosofia pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap). É mestre em Direito pela Universidade Federal do Ceará e professor de Direito Internacional Público da Universidade Federal de Sergipe.

Ingressou na magistratura federal em 1988, tendo sido promovido a desembargador federal do TRF5 em setembro de 2015. Atualmente, é membro da Terceira Turma.

CICLO DE PALESTRAS

Márcio Pochmann, economista e pesquisador e professor da Unicamp, esteve ontem (28) para falar sobre “A reforma trabalhista e a precarização do trabalho docente nas universidades públicas”. Pochmann foi o primeiro convidado do Ciclo de Palestras da Aduferpe, Associação dos Docentes da UFRPE, que irá debater ainda a reforma previdenciária. Pochmann foi secretário da Prefeitura de São Paulo na gestão Marta Suplicy e presidente do IPEA nos governos Lula e Dilma. É autor de dezenas de livros, tendo conquistado três prêmios Jabuti nas áreas econômica e social. 

GOLPE OU REVOLUÇÃO?

Golpe ou Revolução? – são perguntas que o documentário “1964 – O Brasil entre armas e livros” se propõe a responder. O filme foi produzido pela Brasil Paralelo e faz um revisionismo histórico sobre a ditadura que durou 21 anos em nosso país. O longa tem a participação de escritores, historiadores, jornalistas e filósofos, tais como Percival Puggina, William Waack (ex-TV Globo), Rafael Nogueira, Olavo de Carvalho, Alexandre Borges e  Andrzej Wojtas, Todos expressam suas opiniões sobre a queda do presidente João Goulart no dia 31 de março de 64. No Recife, em parceria com o grupo Liberta Pernambuco, o documentário será exibido no Cinemark do RioMar Shopping neste domingo (31), a partir das 20h, com ingressos já esgotados.

PROMESSA DE CAMPANHA

Durante audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, o ministro Sérgio Moro foi questionado pelo líder do PT, Humberto Costa (PE), sobre decreto presidencial que autoriza os brasileiros a terem até quatro armas em casa, lembrando que em 2017 mais de 64 mil pessoas foram assassinadas no Brasil com armas de fogo. Moro respondeu, tranquilamente, que Bolsonaro apenas cumpriu uma de suas promessas de campanha.

CADÊ OS PROJETOS?

Ricardo Velez Rodriguez

Independente de permanecer ou não no cargo, o ministro da Educação, Ricardo Veléz Rodriguez, jamais esquecerá desses questionamentos que lhe foram feitos na Comissão de Educação da Câmara Federal pela deputada federal Tábata Amaral (PDT-SP) na última quarta-feira (27):  “Em um trimestre, não é possível que o senhor apresente um powerpoint com dois, três desejos para cada área da educação. Cadê os projetos? Cadê as metas? Quem são os responsáveis? Isso daqui não é planejamento estratégico, isso é uma lista de desejos. Eu quero saber onde que eu encontro esses projetos, quando cada um começa a ser implementado, quando serão entregues e quais são os resultados esperados? São três meses, a gente consegue fazer mais do que isso. A mim, me resta lamentar o que está acontecendo, continuar o meu trabalho de educação, que não começa com este mandato, e esperar que o senhor mude de atitude – o que parece completamente improvável – ou saia do cargo de ministro da Educação”. Paulada maior, impossível! 

CRIME DE LESA-PÁTRIA

Em cerca de 20 dos 27 estados da Federação, o Ministério Público Federal decidiu recomendar aos comandos militares que se abstenham de fazer qualquer tipo de comemoração sobre o golpe militar de 1964 determinada pelo presidente Jair Bolsonaro. Segundo o MPF, “a homenagem por servidores civis e militares, no exercício de suas funções, ao período histórico no qual houve supressão de direitos e da democracia, viola a Constituição Federal, que repudia o crime de tortura e prevê como crime inafiançável e imprescritível a ação de grupos armados, civis ou militares, contra a ordem constitucional e o Estado Democrático de Direito”. Nada obstante, a “ordem do dia” do ministro da Defesa, general Fernando Azevedo, já está pronta e será lida nos quarteis no próximo domingo (31). No Recife, a comemoração será feita no Comando Militar do Nordeste (bairro do Curado).

 
BRIGA ENCERRADA  
 

Até o líder do governo no Senado, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), decidiu entrar em campo para tentar amenizar a briga do presidente Bolsonaro com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Em resposta a este último segundo quem o ex-capitão está “brincando” de governar o país, Bolsonaro chamou de “irresponsável” a declaração. “Não existe brincadeira da minha parte, muito pelo contrário, eu lamento palavras nesse sentido. Até quero não acreditar que ele tenha falado isso”. Depois, numa entrevista ao SBT, Bolsonaro afirmou que Maia está “abalado” por questões pessoais (a prisão do ex-ministro Moreira Franco com quem sua mulher tem parentesco). Rodrigo contra-atacou: “Abalado estão os brasileiros que esperam desde janeiro que o Brasil comece a funcionar. São 12 milhões de desempregados, capacidade de investimento diminuindo. Está na hora de pararmos com esse tipo de brincadeira. Está na hora de ele (Bolsonaro) sentar na cadeira e, em conjunto, resolvermos os problemas do Brasil”. Nesta quinta-feira (28), Bolsonaro disse que a página “foi virada” e que está tudo bem com o presidente da Câmara, que também se reuniu com os ministros Sérgio Moro e Onix Lorenzoni e deu o episódio por encerrado.

Fonte: Blog de Inaldo Sampaio.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||