Chapão da oposição para estadual vira motivo de preocupação

Publicado em 12/09/2018 às 12h00

Nas eleições de 2014 quando Armando Monteiro foi derrotado por Paulo Câmara, a oposição elegeu doze deputados estaduais, pois decidiu realizar um chapão composto por PTB, PRB, PDT, PT e PSC. Naquele pleito Armando sofreu uma derrota por uma diferença de quase 1,7 milhão de votos para Paulo Câmara, o que acabou influenciando negativamente na chapa proporcional.

Nas eleições deste ano, Armando Monteiro é apoiado por quatro chapas proporcionais para deputado estadual. A formada pelo PPS que não deverá eleger deputados, a liderada pelo PRTB que elegerá pelo menos um parlamentar, a liderada pelo PSC que elegerá até seis representantes e o chapão do PTB que poderá ter um resultado aquém das expectativas.

O chapão do PTB é composto pelo PRB, DEM, PSDB e Podemos, e tem cinco deputados estaduais tentando a reeleição, que são Álvaro Porto, Priscila Krause, Socorro Pimentel, José Humberto e Augusto César. O sexto seria Julio Cavalcanti, que acabou desistindo. Além deles, surgem como nomes com chances de disputa Antônio Coelho, Alessandra Vieira, William Brigido, Romero Sales Filho, Gustavo Gouveia, Andrea Mendonça, Terezinha Nunes, Miguel Ricardo, Ramos, Antônio Campos e Elias Gomes.

Na disputa, o candidato a mais votado é Álvaro Porto, que poderá beirar 70 mil votos, e apenas Antônio Coelho tem potencial para passar de 60 mil votos. Os demais são nomes para até 60 mil votos como Romero Sales Filho, Socorro Pimentel e William Brigido, enquanto Alessandra Vieira e Priscila Krause ficam com no máximo 50 mil votos. Os demais nomes oscilam entre 20 mil e 45 mil votos.

Este quadro permite projetar de sete a oito deputados estaduais eleitos pelo chapão do PTB, com Álvaro Porto, Antônio Coelho, Socorro Pimentel, William Brigido e Romero Sales Filho garantidos e Alessandra Vieira, Priscila Krause, Gustavo Gouveia, José Humberto, Augusto César, Elias Gomes, Antônio Campos e Andrea Mendonça disputando duas a três vagas.

Por não ter puxadores e uma cauda consistente, o chapão da oposição liderado pelo PTB evidencia que será um verdadeiro Deus nos acuda a eleição e se havia prognósticos de que seriam necessários menos de 40 mil votos para se eleger, está matematicamente provado que para garantir o mandato serão necessários pelo menos 45 mil votos.

Apoios – O candidato a deputado estadual Aglaílson Victor (PSB) conquistou mais um importante apoio para a sua caminhada rumo à Assembleia Legislativa de Pernambuco. Ele será apoiado pelos vereadores de Itaquitinga Iran Martins, Sargento Maurício, Adérito Guarda e Silvio da Lotérica.

Reforço – Fernando Monteiro esteve na noite da última segunda-feira, na Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco, na Imbiribeira, Zona Sul do Recife, em rodada de conversas sobre as Eleições 2018. O convite partiu do diretor da Universidade Salgado de Oliveira (Universo), Ubirajara Tavares, o Bira. Na ocasião, o empresário falou sobre seu apoio a Fernando Monteiro e Ricardo Costa, candidato a deputado estadual também pelo PP.
 
Salto – No exercício do segundo mandato como vereador do Recife, Eduardo Chera, que ampliou seus votos em relação a 2012, decidiu ser candidato a deputado estadual pelo PSC e tem sido mais um nome da chapa com chances de surpreender na disputa.
 
Rejeição – Na pesquisa Ipespe divulgada pela Folha de Pernambuco, chamou a atenção a rejeição dos dois principais candidatos. Paulo Câmara chegou a 48% em viés de queda, e Armando Monteiro chegou a 46% em viés de alta. O quesito rejeição é imprescindível na hora de determinar o vitorioso.
 
Articulação – Conduzindo com competência a coordenação da campanha de Paulo Câmara no Sertão de Itaparica, com base em Floresta , André Brito e Lourival Simões vêm conseguindo agregar com habilidade novas adesões a cada dia.
 

RÁPIDAS

Sucesso – A entrevista do governador Paulo Câmara ao Roda Viva foi um sucesso de audiência, sendo a sabatina mais bem repercutida nas redes sociais até o presente momento com todos os candidatos a governador.

Crítica – Uma das críticas de um aliado de Armando Monteiro é a de que os candidatos proporcionais estariam abandonando a chapa majoritária, quando era esperado o empenho de todos os candidatos a estadual e federal para fortalecer a campanha do petebista.

Inocente quer saber – Fernando Haddad terá condições de chegar ao segundo turno da eleição presidencial?

Fonte : Blog Edmar Lyra.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||