Chapinhas ampliarão renovação no legislativo

Publicado em 08/08/2018 às 11h00

Nas eleições de 2014 os dois principais chapões, liderados por Paulo Câmara e Armando Monteiro elegeram juntos 24 deputados federais e 38 deputados estaduais, pela primeira vez tivemos um deputado federal eleito pelas chapinhas, que foi Kaio Maniçoba com menos de 29 mil votos. Para deputado estadual, o destaque foi para o PP que elegeu cinco deputados numa coligação com o PROS, enquanto o PSOL atingiu seu primeiro deputado estadual numa coligação com o PMN.

Como as chapinhas mostraram viabilidade em 2014, elas se proliferaram para 2018. Com doze partidos em sua coligação, Paulo Câmara terá o apoio de quatro chapas para federal, que são PSB, MDB, PSD, PPL e PCdoB no chapão, PP, PR, PMN e Solidariedade numa chapinha, Patriota e PRP em outra e o PT indo sozinho para o jogo, juntas elas podem eleger no máximo dezoito parlamentares e no mínimo treze.

Na oposição liderada por Armando Monteiro prevaleceu a ideia de um chapão entre os principais partidos, PTB, PSDB,  PSC, PRB, DEM, Podemos, PMB e PPS e uma chapinha com PSL, PRTB, PV, PHS e PSDC para federal. É provável que o chapão eleja no máximo 7, no mínimo 5 federais, e a chapinha possa eleger até um parlamentar.  Já a candidatura de Maurício Rands juntou PDT, PROS e Avante, que pode eleger de um a dois federais. Por fim existem as candidaturas da Rede Sustentabilidade, do PSOL e do PSTU, que dificilmente elegerão deputados federais.

Na disputa para deputado estadual os dois chapões devem ficar com no máximo metade das vagas em disputa para a Assembleia Legislativa de Pernambuco, com destaque para a liderada pelo PP que pode emplacar até dezesseis parlamentares, e a do PSC que poderá atingir até oito deputados estaduais. As chapinhas menores como as do PRTB, a do PCdoB e a do PROS podem emplacar de um a dois deputados cada, e a do PT pode ficar com até três parlamentares. Como existe uma mudança na disputa pelas sobras, agora todos os partidos que não atingirem quociente eleitoral disputam as sobras, outras siglas nanicas podem emplacar deputados.

O fato é que com a colcha de retalhos que ficou as chapas tanto para federal quanto estadual, aumentará muito a chance de haver renovação nas bancadas, pois deveremos ter quantidade recorde de candidatos tanto a federal quanto a estadual com a decisão de lançar várias chapinhas para a disputa. Quem for deputado de mandato é bom abrir o olho porque poderá ter votos para ser eleito e acabar ficando de fora por ter entrado numa chapa ruim de disputa.

Apoio – A deputada estadual Simone Santana (PSB), que busca a reeleição em outubro, será apoiada pelo ex-candidato a vereador do Recife Igor Alves (PRP) que tem atuação destacada em Coqueiral e no Alto da Bela Vista. Igor promete empenho para renovar o mandato de Simone com uma expressiva votação como ela obteve em 2014.

Salto – O deputado Silvio Costa Filho está dando o salto da Assembleia Legislativa de Pernambuco para a Câmara dos Deputados depois de exercer três mandatos como deputado estadual e destacando-se como líder da oposição. Silvinho conquistou dois municípios importantes para a disputa, herdados de Jorge Corte Real que será candidato a suplente de senador, que foram Condado e Garanhuns, com destaque para o segundo que é governado pelo bem-avaliado Izaias Regis que poderá lhe garantir mais de dez mil votos na cidade.

Apreço – No discurso da convenção do último sábado, o candidato a governador Armando Monteiro (PTB) fez alusão a outra fala, feita dias antes, no Congresso da União dos Vereadores de Pernambuco, dia 27 de julho, em Gravatá. Na ocasião, o petebista defendeu a aproximação do governo do Estado com os vereadores. No ato do Classic Hall, Armando lembrou que seu vice é Fred Ferreira (PSC): “Temos tanto apreço por vocês que fomos buscar um vereador do Recife para ser candidato a vice-governador na nossa chapa”.

Fichas Sujas – A procuradora geral da República, Raquel Dodge, também chefe nacional do Ministério Público Eleitoral, fechou um acordo de cooperação com o Ministério Público de Contas em todo o Brasil para facilitar a identificação de candidatos inelegíveis e o combate de irregularidades eleitorais, como caixa dois, compra de votos, abuso de poder e uso da máquina administrativa. Representou o Ministério Público de Contas na assinatura o presidente do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais de Contas (CNPGC), Ricart César Coelho dos Santos.

RÁPIDAS

Homenagem – Militante histórico do PSB, tendo sido muito próximo de Miguel Arraes, Eduardo Campos e Jarbas Vasconcelos, Adilson Gomes foi oficializado como segundo suplente na chapa de Jarbas Vasconcelos para o Senado. Sua escolha foi uma justa homenagem a quem tem serviços prestados a Pernambuco e a Frente Popular.

Gesto – Apesar de ter uma reeleição completamente organizada, o deputado Nilton Mota abdicou da disputa para ser coordenador de campanha de Paulo Câmara. O gesto de Nilton foi bastante altruísta uma vez que ele poderia ter feito questão de renovar o mandato, mas preferiu ajudar o governador na campanha e distribuindo seus votos com aliados que não tinham muitas chances de vitória e que agora terão melhores condições.

Inocente quer saber  – Geraldo Alckmin pode perder o apoio de Jarbas Vasconcelos em Pernambuco?

Fonte : Blog Edmar Lyra.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||