Comando de órgãos federais na mira de deputados pernambucanos

Publicado em 05/12/2018 às 14h00

O “Modus Operandi” adotado pelo presidente eleito Bolsonaro para a montagem do seu Governo é bem diferente ao que os seus antecessores adotaram. Ao invés de fatiar a Esplanada dos Ministérios entre partidos como moeda de troca para buscar a governabilidade no Congresso, Bolsonaro preferiu prestigiar Militares e técnicos, além de abrir diálogo com as frentes parlamentares do Agronegócio e Evangélica, as de maior expressão nas Casas, contrariando os líderes partidários que agora passaram a ter um papel secundário nas negociações. Restando apenas dois ministérios para apresentar os futuros titulares (Meio Ambiente e o superministério da Cidadania), Jair Bolsonaro dificilmente quebrará a lógica da estratégia que adotou quanto às escolhas dos titulares de seu primeiro escalão.

Apesar de ganhar a simpatia das bancadas do Agronegócio e Evangélica, o futuro presidente sabe que indubitavelmente terá que recorrer à tradicional divisão de cargos junto às lideranças partidárias para conseguir a tão almejada governabilidade, pois dificilmente conseguirá a maioria necessária para lhe dar suporte no Congresso apenas dialogando com as Frentes Parlamentares. Neste cenário entra a partilha do segundo escalão, nível que agrega o comando dos órgãos federais nos estados. Em Pernambuco os órgãos que deverão entrar na mesa de negociação são a Codevasf, Metrorec, Fundaj, Funai, Dnocs, Dnit, Funai, Conhab, Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), Funasa, IPHAN, INSS, SUDENE.

Com exceção dos deputados federais do PSB, PC do B, PDT e PT, que já se colocaram no campo de oposição ao Governo Bolsonaro, é bem provável que o comando desses órgãos federais sejam fatiados entre os deputados do Podemos, PPS, DEM, PP, PHS, PSL, SD, PRB, PP, PATRIOTAS, PSC, PSD e PR, siglas que fletam com o futuro presidente.

Dias contatados – Ganhou corpo a informação de que o futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, pretende proibir a cessão de delegados da polícia federal para cargos em governos estaduais. Caso isso se confirme, o atual secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, não poderá ser mantido no posto. Logo ele que tem conseguido resultados elogiáveis na redução de homicídios no estado.
 

Alternativa – Na possibilidade do futuro ministro vetar a cessão de delegados da PF para os estados, o governador Paulo Câmara só terá uma alternativa para não quebrar a tradição de manter um delegado federal na SDS. Recorrer aos que já se aposentaram. Desde que o PSB chegou ao Governo do Estado em 2007 já passaram pelo comando da SDS os delegados federais Romero Lucena Menezes, Servilho Paiva, Wilson Damázio, Alessandro Carvalho, Ângelo Gioia e o atual Antônio de Pádua.

Sentando na janela – Na ALEPE já tem deputado do PSB se queixando das movimentações do recém-eleito Aglailson Júnior em torno de abocanhar um espaço na Mesa-Diretora. Entre os veteranos corre o sentimento de que os mais antigos precisam estar assegurados de uma boa acomodação para só então abrir espaço para o novato.

Relação antiga – Por outro lado, amparado no histórico relacionamento de sua família com o PSB, onde inclusive ocupará a vaga que em um passado recente foi ocupada por seu pai, Aglailson, o novato Aglailson Victor utiliza tal argumento para legitimar a sua disputa por um lugar ao sol.

É candidata! – Em entrevista a uma emissora de rádio, o prefeito de Orobó, Cleber Chaparral (PSD), afirmou que a sua esposa Juliana Chaparral será candidata a prefeita em 2020. Apesar de não revelar em qual município ela disputará, a expectativa é que a escolha fique entre Bom Jardim e Casinhas. Na eleição deste ano Juliana alcançou expressivos 31.999 votos para deputada estadual e só não foi eleita porque o seu partido não alcançou o cociente eleitoral.
 

Perdeu – O insistente candidato a prefeito de Jataúba, Fábio Mamão, não é mais considerado o líder da oposição ao prefeito Antônio de Roque (MDB). O posto agora passa ser ocupado pelo empresário “Boy”, que na eleição deste ano conseguiu fazer de Alessandra Vieira e Sílvio Costa Filho os deputados mais votados do município.

Refletir – Depois que levou uma lavagem de votos do grupo do prefeito de Paudalho Marcelo Gouveia, a oposição comandada pelo ex-prefeito Pereira precisar fazer uma autocrítica urgente caso não queira que se repita em 2020 os resultados negativos das últimas eleições. Pela frente o grupo terá o desafio de desconstruir a imagem do prefeito que anda com os níveis de aprovação nas alturas.

Despedida – Por sugestão do presidente Eriberto Medeiros, a Assembleia Legislativa de Pernambuco realiza nesta quarta-feira (05) uma homenagem ao deputado Henrique Queiroz pelos 40 anos em que ele exerceu mandato na Casa. Apesar de ter prestado relevantes serviços a todas as regiões do estado ao longo destes tempos, foi ao desenvolvimento da Zona da Mata que Henrique Queiroz mais dedicou a sua carreira pública.
 

Expectativa – Não fosse a articulação do presidente estadual do PRP, Ernesto de Paula, para impedir a candidatura de coronel Meira ao Governo, a eleição sem dúvida teria ido para o segundo turno. Em reconhecimento a este gesto há quem afirme que o PRP pode ser contemplado com um espaço em algum órgão do Governo.

Perigo – Apesar da ideia de Bolsonaro em transferir a embaixada do Brasil em Israel de Tel Aviv para Jerusalém agradar a bancada evangélica, a decisão pode custar caro ao Brasil não só em relação às transações comerciais com países árabes, mas também tornar o país alvo de atentados terroristas promovidos por muçulmanos extremistas.

Fonte: Blog Ponto de Vista.

Fonte: Blog Ponto de Vista

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||