Cúpula alvejada gera risco a projetos eleitorais do PT

Publicado em 27/11/2018 às 18h00
Condenados em segunda instância, a exemplo de Lula, são inelegíveis pela Lei de Ficha Limpa
Condenados em segunda instância, a exemplo de Lula, são inelegíveis pela Lei de Ficha LimpaFoto: Divulgação

Líder-mor do PT, o ex-presidente Lula, que já cumpre pena em Curitiba, mas enfrenta ainda outro processo da Operação Lava Jato que envolve o sítio de Atibaia. Devido à essa condição na qual se encontra a liderança maior da sigla, caiu, há alguns meses, no colo do ex-ministro Fernando Haddad, a missão de concorrer à Presidência da República, este ano, pelo PT. Em 2010, quando Lula encerrara seu segundo mandato, o mesmo desafio de disputar o Planalto fora dado à ex-presidente Dilma Rousseff, que, na última sexta-feira, foi empurrada à condição de ré, na mesma ocasião em que Lula, mais uma vez, também foi. O juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, não só acolheu denúncia contra ela e Lula, como colocou na condição de réus, ainda, mais dois ex-ministros, Antonio Palocci e Guido Mantega, além do ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto. Fernando Haddad, por sua vez, já havia virado réu em outra ação por improbidade, aceita pela Justiça de São Paulo no último mês de agosto. A denúncia que atingiu Lula e Dilma, na última sexta-feira, fora apresentada ainda em setembro de 2017 e é assinada pelo ex-procurador geral da República, Rodrigo Janot. O ex-chefe do Ministério Público Federal aponta supostas práticas criminosas no âmbito do Ministério de Minas e Energia, da Petrobras, da Odebrecht, Andrade Gutierrez, OAS e UTC, e J&F/BNDES. Lula e Dilma junto com Palloci, Mantega e Vaccari são acusados de integrarem "organização criminosa". Com a cúpula do PT alvejada, reflexos podem se dar em projetos eleitorais futuros da sigla, incluindo o pleito de 2022. Condenados em segunda instância, a exemplo de Lula, são inelegíveis pela Lei de Ficha Limpa.

Não convenceu
O deputado Rodrigo Novaes tratou de argumentar, ontem, que a manutenção do aumento, conferido às alíquotas do IPVA e do ICMS ainda em 2015, será válido só até 2023. À coluna, a deputada estadual Priscila Krause dispara: "Isso não me convenceu, lá atrás, em 2015, quanto mais agora!".

Mudança... > Para Priscila, o governo Paulo Câmara "quebrou compromisso aprovado em lei nessa Casa, de que os aumentos de 2015 (referentes a IPVA e ICMS) seriam temporários (até 2019)". 

...de planos > "Ainda bem que não são só os ricos e abastados que podem ter moto e carro. Então, isso atinge toda população em cadeia, como o aumento de água vai atingir dona Flávia, que vive com R$ 266 e complementa sua renda vendendo água no Marco Zero", contestou Priscila Krause na Alepe ontem.
 
Pela tangente > A despeito dos protestos, o pacote de 28 projetos do Executivo, incluindo o aumento de impostos, foi aprovado ontem. Mas houve 14 ausentes e cinco licenciados. A oposição entendeu que "muitos não quiseram votar o aumento de imposto".
 
Nas bases - Isaltino Nascimento citou, ontem, valores recebidos por redutos eleitorais de Priscila Krause (Caruaru) e de Silvio Costa Filho (Garanhuns) como exemplos de repasses, relativos a IPVA e ICMS, feitos pelo Estado aos municípios. "Isso é para empulhar, mas não empulha", assinalou a democrata. 
 
Vídeos para... > Visando a reforçar o combate à violência doméstica no Estado, a Associação dos Magistrados de Pernambuco lançou uma campanha online em que juízes ensinam, à mulher agredida, o caminho para se proteger. 
 
...as mulheres > Magistrados da Vara da Mulher de diversos municípios explicam, em vídeo simples e educativo, o passo a passo que deve ser percorrido pela vítima. A produção marca a estreia do canal TV AMEPE Pernambuco e está disponível no YouTube.

 

Fonte :Folha de PE.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||