DRACO é medida importante mas foi mal elaborada

Publicado em 05/11/2018 às 11h00

A criação do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRACO) apresentada pelo poder executivo estadual gerou uma série de críticas nas redes sociais dando a interpretação de que o governo estaria extinguindo a Decasp no sentido de atrapalhar as investigações realizadas pela delegada Patrícia Domingos.

Porém, a medida implementada pelo governo estadual está sintonizada com outros estados, como São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Bahia e Distrito Federal que fizeram recentemente a modificação e ampliaram os recursos e as condições de trabalho de seus departamentos para reprimir o crime organizado, sobretudo os concernentes à corrupção.

A mudança que era para ser percebida pela população como uma coisa positiva, quando o governo investe mais recursos para ampliar a eficácia das investigações e punir eventuais culpados, terminou tendo uma percepção completamente diferente pela sociedade, e o grande culpado foi o próprio governo, que perdeu a batalha da comunicação para a oposição.

A narrativa construída pela oposição terminou prevalecendo nas redes sociais, e deixou o governo Paulo Câmara na defensiva, quando era para ser exatamente o inverso. Se o estado possui apenas uma delegacia e passa a ter um departamento com mais pessoal, mais recursos, e mais estrutura, é indubitável que o combate à corrupção é uma premissa do governo, e não o inverso.

Caberá ao governador Paulo Câmara e seus auxiliares fazerem a partir de agora o contraponto necessário para que os pernambucanos que lhe deram maioria no último dia 7 de outubro para governar por mais quatro anos continuem confiando no projeto liderado pelo governador, que na segurança pública obteve resultados efetivos, e com esse novo investimento na criação do DRACO tem tudo para ampliar o brilhante trabalho que já era desempenhado pela delegada Patrícia Domingos.

Luciano Bivar – Responsável pela candidatura de Jair Bolsonaro, o deputado federal e presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, tem sido visto como o único interlocutor de Pernambuco com o governo Bolsonaro. Ele terá papel importante em Brasília a partir de 2019.

Força – A prefeita de Ipojuca, Célia Sales, conseguiu fazer do deputado estadual eleito Romero Sales Filho, o mais votado, e ainda deu quase seis mil votos a Ricardo Teobaldo para deputado federal. O desempenho nas urnas de seus apoiados permite reconhecer que a prefeita saiu fortalecida para a reeleição em 2020.

Camaragibe – Com a derrota do deputado Beto Accioly e do candidato a federal apoiado pelo ex-prefeito Jorge Alexandre, o prefeito Demóstenes Meira só tem o que comemorar. Beto ficará sem mandato em 2019 e estará fragilizado para disputar a prefeitura em 2020.

Timbaúba – Majoritário em Timbaúba, o deputado federal Marinaldo Rosendo, que não conseguiu se reeleger, está sendo incentivado por aliados para voltar a disputar a prefeitura daquele município em 2020. Marinaldo obteve quase 30% dos votos válidos para deputado federal na cidade.

RÁPIDAS

Indicativo – Durante a final da Série A2 que sagrou o Petrolina campeão e representante da primeira divisão em 2019, o prefeito Miguel Coelho utilizou uma camisa com a numeração 25, do partido Democratas. O simbolismo evidencia que ele deverá filiar-se ao Democratas, onde já estão filiados os deputados Antonio Coelho e Fernando Filho.

Sintonizado – O deputado federal reeleito Augusto Coutinho ofereceu um jantar em sua residência ao governador Paulo Câmara. O comandante do Solidariedade está cada vez mais sintonizado com o governador e deu uma grande demonstração de fidelidade quando foi pressionado e mesmo assim decidiu manter o partido na Frente Popular.

Inocente quer saber – Felipe Carreras terá algum espaço no segundo governo Paulo Câmara?

Fonte : Blog Edmar Lyra.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||