Elias defende múltiplas candidaturas da oposição em Pernambuco

Publicado em 11/01/2018 às 21h00
Elias Gomes comandará o PSDB nas eleições de 2018
Elias Gomes comandará o PSDB nas eleições de 2018Foto: Rafael Furtado/Folha PE

Pré-candidato ao Governo de Pernambuco, o ex-prefeito de Jaboatão dos Guararapes Elias Gomes (PSDB) defendeu a colocação de três candidaturas na oposição a Paulo Câmara (PSB) nas eleições deste ano. O tucano apresentou sua tese ao partido e deu detalhes de sua visão do jogo político em visita à Folha de Pernambuco, nessa quarta-feira (10). Desfazendo especulações sobre “possíveis segundas intenções” da sua candidatura, Elias sustenta que a candidatura própria é uma forma do PSDB ter o protagonismo na disputa.

Presente no ato organizado pelas oposições no dia 11 de dezembro do ano passado, onde foi o primeiro orador do evento, Elias Gomes é contrário à tese da candidatura única, a qual ele nomeou de “blocão”. “Estrategicamente, a oposição não pode ser um blocão porque receberíamos facilmente o carimbo de apoiadores do Governo Temer. Por isso defendo três candidatos, porque cada um será capaz de competir com a sua própria tese para Pernambuco”, apontou. Elias defende a colocação da sua candidatura como forma de aglutinar as diferenças no partido e demarcar posição no Estado.

Contrário ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), na qual o PSDB liderou a narrativa para afastar a petista do Palácio do Planalto, Elias também diz ser contra a defesa do presidente Michel Temer (PMDB). “Impeachment não é programa partidário. Eu sempre disse que era preciso deixar o PT na presidência, para que ele assumisse os erros da crise que ocasionou. Trocar Dilma por Temer é trocar seis por meia dúzia”, alegou.

Sobre a divisão interna do PSDB, Elias defendeu a realização de prévias tanto no pleito nacional quanto no estadual, para dirimir os dissensos. “O nosso desafio é construir o centro democrático e a melhor alternativa é o governador Geraldo Alckmin (PSDB)”, apontou. O ex-prefeito apontou que a postulação do ministro da Fazenda, Henrique Meireles (PSD), não seria a melhor opção. “O PSD é um projeto do ministro Kassab. Não podemos entregar o País ao PSD porque o ministro Henrique Meirelles não é uma candidatura que catalisa o centro democrático”, acredita.

Fonte :Blog da Folha de PE.

Enviar comentário

voltar para Blog

left show fwR|left tsN uppercase fwB|left show fwB fsN uppercase|bnull|||login news fwB tsN fwR tsY c05|normalcase fwR c15 fsI|b01 c05 bsd|login news c10|tsN normalcase fwR fsI c15 b01 bsd|b01 normalcase bsd c05|content-inner||