FBC irá judicializar convenção do MDB

Publicado em 13/06/2018 às 09h00

O senador Fernando Bezerra Coelho teve papel fundamental para a construção do palanque oposicionista que será liderado por Armando Monteiro como candidato a governador, mas desde o primeiro momento era óbvio que ele trabalhava no sentido de ser o nome que lideraria o processo. Inclusive no próprio anúncio de Armando Monteiro, ele deixou claro que gostaria de estar jogando noutra posição, ou seja, a de candidato ao Palácio do Campo das Princesas.

Fernando teve seu sonho de disputar o governo novamente adiado, desta vez por um movimento feito por Jarbas e Raul Henry que levaram as últimas consequências uma decisão que normalmente é tratada como matéria interna corporis.  A postura de levar para a justiça por parte de Raul foi fundamental para tirar Fernando do páreo. Porém, como é senador e não tem absolutamente nada a perder, FBC tem uma carta na manga.

A decisão que o nomeou presidente estadual do MDB após a dissolução do diretório local pela nacional é suficiente para que ele possa embolar o meio de campo. Se ele decidir, como certamente fará, realizar uma convenção com o MDB na coligação de Armando Monteiro, e Jarbas e Raul fizerem outra na coligação de Paulo Câmara, a confusão tende a ir para os tribunais, tal como ocorreu na dissolução do partido.

Na pior das hipóteses, Fernando poderá tirar Jarbas e Raul da chapa majoritária de Paulo Câmara, uma vez que essa confusão contaminaria o palanque do governador, o que evidentemente ele não poderia pagar pra ver. Nesta confusão tanto Jarbas Vasconcelos quanto Raul Henry ficariam no risco de sequer serem candidatos.

Numa eleição de tiro curto, 45 dias, é possível que termine a disputa e não haja uma definição do partido. E aí é onde entraria a vantagem de Fernando, pois além de tirar o tempo de televisão de Paulo Câmara, mesmo que não consiga levar para Armando, poderá tirar, numa tacada só Jarbas e Raul da disputa. Diferentemente do vice-governador e do deputado, Fernando tem mandato até 2023, e uma vez os dois sem mandato, o senador teria toda legitimidade para conseguir na justiça que a decisão tomada pela executiva nacional seja validada.

Se Fernando no fim das contas ficar com o MDB, saiu num grande lucro, pois mesmo não conseguindo ser candidato a governador, terá um grande partido no estado para poder reivindicar o que quiser no futuro, seja pra ele ou para os seus filhos nas próximas eleições majoritárias.

Caindo a ficha – O Palácio do Campo das Princesas já emite sinais de que percebeu que não tem condições de impor um candidato a vice-governador fora do arco das principais forças partidárias da Frente Popular. Inclusive houve uma conversa recente com Sebastião Oliveira e as coisas podem avançar para um entendimento no sentido de PP, PR e Solidariedade juntos indicarem o substituto de Raul Henry.

Diretrizes – A respeito da falta de apresentação de propostas no lançamento de Armando Monteiro, apoiadores do petebista afirmam que a partir da pré-candidatura colocada oficialmente o diálogo será permanente com a sociedade para apresentar um programa de governo moderno e que represente uma mudança efetiva no modelo de gestão vigente.

Tamanho – Transformando o levantamento do DataFolha no cenário sem Lula, que é mais plausível, Jair Bolsonaro teria 34% dos votos válidos, quando se retira brancos, nulos e indecisos. Isso é algo em torno de 35 milhões de votos.

Aguardando – A respeito dos rumores de que teria fechado o primeiro suplente da sua chapa de senador, Mendonça Filho disse que estava aguardando a definição da segunda vaga de senador da chapa majoritária liderada por Armando Monteiro para dar início às articulações. Qualquer outro movimento antes disso não passa de especulação.

RÁPIDAS

Cautelar – O Tribunal de Contas do Estado (TCE) suspendeu cautelarmente um contrato sem licitação da Prefeitura de Jaqueira, na Mata Sul, com escritório de advocacia. O requerimento foi da procuradora geral do Ministério Público de Contas de Pernambuco (MPCO), Germana Laureano. Segundo o MPCO, o contrato autorizava que o pagamento fosse descontado diretamente da conta de ICMS do município na Caixa Econômica.

Liberdade – O Ministro do Superior Tribunal de Justiça, Nefi Cordeiro decidiu monocraticamente revogar a prisão domiciliar do ex-prefeito de Lagoa do Carro e atual vereador de Carpina, Tota Barreto. O advogado de Tota, Dr. Piero Sial, esclareceu que foi deferido o pedido de liminar em favor de Tota Barreto, após a defesa interpor o Recurso em Habeas Corpus no Superior Tribunal de Justiça e que continua confiante que o seu cliente será absolvido ao fim do processo.

Inocente quer saber – O deputado estadual Rodrigo Novaes e o conselheiro do TCE, Ranilson Ramos, podem ser convidados para uma mesma mesa?

Fonte : Blog Edmar Lyra.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||