Já mudou nove vezes sem ser incoerente

Publicado em 11/10/2019 às 21h00
Coluna Fogo Cruzado – 11 de outubro de 2019

                                  Foto: Agência Brasil

A se confirmar a saída do presidente Bolsonaro do PSL, ele terá consumado a nona mudança de partido, sendo provavelmente, no país, o campeão de mudança partidária. Ele iniciou sua vida pública em 1988 pelo PDC, como candidato a vereador pelo Rio de Janeiro, e a partir de 1990 como deputado federal transitou pelo PP (duas vezes), PPR, PPB, PTB, PFL e PSC. Em 2017, após falta de entendimento sobre sua candidatura presidencial com o pastor Everaldo Pereira, presidente nacional do PSC, filiou-se ao PSL com o qual convive aos trancos e barrancos. O presidente nacional desse partido, Luciano Bivar, em troca de sua filiação, deu-lhe tudo o que foi solicitado – o controle dos diretórios do Rio, São Paulo e Minas e até a presidência do partido, por um ano, para a qual indicou o advogado Gustavo Bebianno. Agora, aparentemente sem motivo, agride Bivar, desnecessariamente, dizendo que o partido está “estagnado” e que seus simpatizantes deveriam esquecê-lo. Com um temperamento Belicoso assim, só mesmo criando um partido para chamar de seu, pois em qualquer outro estará desconfortável. De uma coisa, porém, Bolsonaro não pode ser acusado: de incoerente. Pois mudou de partido nove vezes para continuar sendo o mesmo. 

Contra o Future-se

Nomeado reitor da UFPE, ontem, pelo presidente Bolsonaro, o professor Alfredo Gomes já antecipou a posição do Conselho Universitário sobre o “Future-se”, principal programa apresentado até agora pelo ministro Abraham Weintraub: contra. Segue a posição da UFSC que foi a primeira do país a marcar posição contra.

Olinda 1

Neto do lendário coronel Veremundo Soares, de Salgueiro, o empresário Celso Muniz (Shoppings Boa Vista e Patteo) sempre quis mesmo ser político. Tentou ser vereador no Recife mas não conseguiu. No entanto, se o MDB lhe der a legenda para disputar a prefeitura de Olinda, topa entrar na disputa pois a vida pública é o seu sonho. 

Olinda 2

Quem também sonha com a legenda do MDB para disputar a prefeitura de Olinda é o ex-prefeito José Arnaldo na esperança, diz ele, de expulsar a “comunistada” do município. Refere-se à vice-governadora Luciana Santos e ao deputado Renildo Calheiros.

Saldo da folha

Diferentemente dos governadores, os prefeitos são poder usar os recursos da cessão onerosa do pré-sal para pagamento da folha de pessoal, o que é um absurdo. Pela Lei de Responsabilidade Fiscal, ele podem gastar até 54% da receita corrente líquida com servidores, sendo que em Pernambuco alguns estão gastando mais de 70%.

Pacto federativo

O lider do Republicanos na Câmara Federal, Sílvio Costa Filho, define a cessão onerosa do pré-sal como “primeiro passo” do ministro Paulo Guedes (Economia), ao qual está muito vinculado, na direção do novo “pacto federativo”. Só que esses recursos são finitos e só se pode falar em “pacto” quando houver uma redivisão do bolo tributário.

Ex-constituintes

Dos constituintes pernambucanos de 1989, marcaram época na Assembleia Legislativa João Ferreira Lima Filho, Felipe Coelho, Sérgio Guerra, Geraldo Barbosa, Argemiro Pereira, Antonio Mariano, Osvaldo Rabelo, Geraldo Coelho, Newton Carneiro, José Liberato, Manoel Ramos, Artur Correia, João Lyra Filho e Murilo Paraíso.

Da educação

Da bancada federal de Pernambuco, dois parlamentares fazem da defesa da educação a razão de ser dos seus mandatos: Danilo Cabral (PSB) e Raul Henry (MDB). Gonzaga Patriota (PSB) defende os interesses das Polícias Federal e Rodoviária Federal e Fernando Filho (DEM) o vale do São Francisco. Os outros defendem interesses difusos.      

 Fonte :Blog de Inaldo Sampaio.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||