Jarbas sobre Temer: 'Espero que ele não tome partido'

Publicado em 06/01/2018 às 13h00
Michel Temer e Jarbas Vasconcelos
Michel Temer e Jarbas VasconcelosFoto: Alan Marques/Folhapress

Nesse final de ano, a judicialização da questão do PMDB local foi discutida à exaustão entre o deputado federal Jarbas Vasconcelos e o vice-governador Raul Henry. Quem acompanha o desenrolar de perto garante que a aposta tem sido uma só: primeiro PMDB, segundo PMDB e terceiro PMDB, ainda que a briga só engrosse com o senador Fernando Bezerra Coelho. Se há uma disposição visível de ir às últimas consequências, Jarbas Vasconcelos, por outro lado, tem uma expectativa positiva em relação à postura do presidente da República, Michel Temer, com quem teve um encontro cordial ainda no início de dezembro. "Espero que ele não tome partido disso, que ele leve em conta minha posição, a de Raul. Sobretudo com Raul, com quem ele mantém relação de proximidade há anos. Raul o ajudou ele em momentos decisivos na Câmara dos Deputados", realça o ex-governador. E pondera: "Acho que ele tem que levar em consideração não é nem minha pessoa, com quem ele tem amizade de mais de 30 anos, mas a relação que ele tem com Raul. E Raul não é nada mais, nada menos que presidente do partido aqui e vice-governador do Estado".

À coluna, Jarbas, então, reforça sua crença: "Confio muito nisso, no bom senso e nessa relação de amizade de ambos, que é longa". Em artigo recente, Fernando Bezerra Coelho, cujo filho, Fernando Filho, é ministro de Minas e Energia, chegou a ironizar o fato de Jarbas ter oferecido apoio às reformas do governo Temer em meio ao imbróglio na sigla. Independente do desfecho no PMDB, na bolsa de apostas de oposicionistas, o nome de Armando Monteiro Neto aparece, hoje, nas coxias, como mais cotado para encabeçar uma chapa, mas não se descarta duas candidaturas do grupo e o nome de Fernando segue colocado, enquanto a celeuma corre na Justiça.

Bate e rebate
Nos últimos dias, o clima azedou ainda mais entre Jarbas Vasconcelos e Fernando Bezerra Coelho. O senador diz que resolveu rebater Jarbas em artigo, porque já havia silenciado depois do discurso do peemedebista, considerado, por ele, "virulento" na tribuna, após a convenção nacional da sigla. Dias depois, deparou-se como novo texto do ex-governador "no maior jornal do País". Observa: "Não podia ficar sem resposta".

Recall 1 > O fato de Fernando Bezerra ter mandato na Casa Alta até 2022 leva membros da oposição a compararem a situação dele à de Armando Monteiro, em 2014. 

Recall 2 > "Fernando tem oito anos de mandato. Não perde sendo candidato, só ganha recall. Assim Armando fez e está bem nas pesquisas. Ele pode decidir ser candidato até agosto, quando as convenções se encerram", pontua um oposicionista em reserva.

Sem desculpa > Ex-prefeito de Caruaru, José Queiroz brinca que não pode mais usar a desculpa de que "2018 só em 2018". Resultado: se prepara para começar a tratar de uma candidatura sua de forma mais explícita quando voltar de período na praia.

Detalhe 1 > Presidente do PV no Estado, Carlos Augusto Costa, que levou comitiva até Fernando Bezerra Coelho ontem, é o primeiro a registrar: "Ninguém pode deixar de lembrar: `Carlos Augusto é suplente de Fernando. Ele sendo eleito, Carlos Augusto assume quatro anos de mandato".

Detalhe 2 > O fato de ser suplente define uma aliança com FBC? O dirigente devolve: "Não. Mas é importante? Lógico". Ele lembra que Fernando também presidiu a Comissão sobre Mudanças Climáticas, cuja pauta que o aproxima do PV. De antemão, Carlos Augusto garante que não será candidato este ano.

Fonte :Folha de PE.

Enviar comentário

voltar para Blog

left show fwR|left tsN uppercase fwB|left show fwB fsN uppercase|bnull|||login news fwB tsN fwR tsY c05|normalcase fwR c15 fsI|b01 c05 bsd|login news c10|tsN normalcase fwR fsI c15 b01 bsd|b01 normalcase bsd c05|content-inner||