João vê erro do PCdoB e do PDT. Bloco com PT reflete em 2020

Publicado em 12/02/2019 às 14h00
Renata Bezerra de Melo
Renata Bezerra de MeloFoto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

O PSB foi determinante para que o PT não acabasse isolado na Câmara Federal, como a estratégia original de montagem do bloco de apoio a Rodrigo Maia previa. A bancada socialista, ao firmar um bloco com o PT no legislativo federal, deu um passo a mais visando a 2020. O deputado federal João Campos, que tem o nome cotado para concorrer à Prefeitura do Recife, avalia que o "PSB mostrou maturidade no seu posicionamento", ao abrir mão do bloco com o PDT e o PCdoB e recuar do apoio a Maia. João lembra que o PT "foi aliado importante na eleição de 2018". Em Pernambuco, essa aliança foi determinante para o PSB, cujos planos majoritários para a Capital incluem o PT mais uma vez. A tendência, na análise de João, é de que, "nas eleições futuras, haja entendimento em vários estados, como houve em 2018 entre o PT e o PSB". Indagado se o PSB considerou errada a estratégia do PCdoB e do PDT, João devolve: "O maior erro que pode ter sido cometido pelo PCdoB e pelo PDT foi de ter ficado dando sustentação a uma candidatura que recebe a chancela do presidente Bolsonaro". João Campos lembra que o PDT teve candidato ao Planalto e que o PCdoB indicou a vice do PT na corrida presidencial. "Terminaram que fizeram parte de um grupo que ajudou a recondução do presidente Rodrigo Maia. Mas isso não cabe a gente estar comentando ou não, porque cada partido tem sua dinâmica", assinala João em meio a considerações feitas em entrevista à Rádio Folha FM 96,7.

Bancada Feminina
Vice-presidente da Alepe, Simone Santana recebeu deputadas em almoço, na última sexta, em Muro Alto. Na pauta, o avanço das mulheres na política e a importância da união em torno de pleitos relevantes para as pernambucanas. Ex-parlamentares também foram convidadas, como Laura Gomes e Terezinha Nunes.

Vizinhos > O deputado federal João Campos está morando no mesmo hotel da ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves. Das três vezes que encontrou com ela no rol, em duas ocasiões, o herdeiro de Eduardo Campos estava vestindo rosa.

Pauta > O PSB se reúne, hoje, para tratar de dois temas: a liderança da minoria na Câmara e a liderança do PSB. O líder da oposição à gestão Bolsonaro, no primeiro ano, vai ser do PSB.

Conterrâneos > O deputado Antônio Coelho criticava, ontem, na tribuna, a falta de transparência nas organizações sociais da Saúde. Em aparte, o deputado Lucas Ramos parabenizou "o dom da oratória, o preparo" do conterrâneo: "A gente vê que, realmente, filho de Coelho, coelhinho é".

Currículo > Lucas, então, lembrou que Fernando Bezerra "foi ministro da Integração no governo Dilma, depois serviu como líder do governo Temer lá no Congresso e, hoje, é cotadíssimo pela competência que tem para líder do governo Bolsonaro".

Sugestão > Lucas prosseguiu: "Acho que pode ser daí que a gente pode conseguir recursos". Antonio fizera cobrança também sobre a entrega do Hospital da Mulher de Petrolina, promessa de campanha de Paulo Câmara. 

Decreto > A Câmara Municipal do Recife concede a Medalha do Mérito José Mariano ao ex-ministro Raul Jungmann.

Adeus > Paulo Câmara lamentou a morte do jornalista Ricardo Boechat: “Foi um exemplo de equilíbrio entre seriedade, compromisso e leveza, caracterizada pelo seu humor refinado”.

Retorno > O deputado Diogo Moraes toma posse, hoje, na Alepe, às 14h30. Mas retornará a São Paulo para finalizar seu tratamento. A expectativa é de que, a partir de março, tenha alta.

Fonte :Folha de PE.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||