João Vicente Goulart lança pré-candidatura no Recife

Publicado em 21/03/2018 às 18h00
João Vicente Goulart (PPL)
João Vicente Goulart (PPL)Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Presidenciável pelo PPL, João Vicente Goulart desembarcou no Recife para o lançamento da sua pré-candidatura, em um ato na Câmara de Vereadores, nesta quinta-feira (22). 

Em visita à Folha de Pernambuco na manhã desta quarta-feira (21), onde foi recepcionado pelo diretor operacional, José Américo, o presidenciável falou sobre as reformas de base, propostas para o pleito e o atual contexto político do País. Na ocasião, o pré-candidato relembrou as semelhanças do cenário em 1962, nos anos que precederam o golpe militar e resultaram na deposição de seu pai, João Goulart, à época PTB. 

Apesar de reforçar que o martelo sobre coligações só será batido em 7 de abril, quando se encerra o fim da janela partidária, o pré-candidato admitiu que, em Pernambuco, estará ao lado do governador Paulo Câmara, em uma aliança com o PSB. Para os outros Estados a situação deve ser analisada no “caso a caso”. Nesta quinta, João Vicente fará uma visita de cortesia ao Governador Paulo Câmara. 

De acordo com Edna Costa, presidente da legenda no Estado, o partido já está unido em torno do apoio para a reeleição de Câmara. “São dois políticos que têm intenção de lutar para fazer Pernambuco e o Brasil melhorarem. Já estamos decididos a caminhar com Paulo em Pernambuco e, inclusive, já levamos essa pauta a direção nacional”, afirmou. 

Criticando a postura do presidente Michel Temer (MDB) em lançar mais um ministério, neste caso o da Segurança Pública, ele acredita que “não houve planejamento” prévio sobre a criação da pasta. “O controle da violência são várias vertentes que têm que ser combatidas e o primeiro passo é a reforma urbana e de titulação”, disse.

João Vicente Goulart teme que o assassinato da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL) possa prejudicar a imagem dos militares. “Se não esclarecido [o assassinato] as forças armadas podem ficar desmoralizadas”, uma vez que o atentado se deu, quando a intervenção federal já estava sendo executada. Ainda de acordo com ele, a situação na Bahia é grave como a do Rio, mas a medida foi somente tomada no Estado do Sudeste “porque lá é um foco político”. 

Trajetória 
Filho de João Goulart, Jango, presidente deposto pelo golpe de 1964, viveu o exílio com seu pai quando criança no Uruguai. Filósofo e presidente do instituto Jango, foi finalista do Prêmio Jabuti, em um livro sobre a vida no exílio do ex-presidente.

Nestas eleições, João Vicente, que é ex-deputado estadual pelo Rio Grande do Sul, traz uma pauta nacionalista para o debate.

Fonte:Blog da Folha de PE.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||