Mais uma vitória política do “técnico”

Publicado em 12/07/2019 às 17h00
                             Foto: Heudes Régis

Escolhido por Eduardo Campos para sucedê-lo em 2014, Paulo Câmara ganhou as eleições naquele ano, no primeiro turno e iniciou a sua vitoriosa trajetória política, garantindo também a vaga de senador para Fernando Bezerra Coelho. Discreto e assertivo, Paulo vem colecionando sucessos desde então.

Em 2016, ajudou Geraldo Julio a se reeleger no Recife e o PSB atingiu o número recorde de 70 prefeitos eleitos em Pernambuco. Contabilizando todos os aliados, a Frente Popular obteve 156 prefeituras. No ano passado, novamente a atuação política de Paulo Câmara assegurou uma frente ampla que o reelegeu no primeiro turno, assim como os dois senadores da chapa e o consolidou como maior liderança do partido.

Com a aprovação por unanimidade, nesta quinta-feira, do advogado Carlos Neves para o TCE, Paulo deu mais uma mostra de sua sagacidade e capacidade por apresentar um nome acima de qualquer crítica e totalmente diferente das especulações que tentaram tumultuar o processo.

Digital – A escolha de Carlos Neves teve a digital do governador Paulo Câmara, que escolheu pessoalmente um nome que não recebeu nenhuma resistência entre a sociedade e os parlamentares. Paulo demonstrou que possui uma grande sagacidade política e uma sensibilidade acima da média na hora de tomar decisões complexas.

Empenho – A sessão que escolheu Carlos Neves contou com o empenho dos parlamentares e com a extraordinária articulação do presidente da Casa Joaquim Nabuco, deputado Eriberto Medeiros, que se empenhou pessoalmente para garantir a presença de 42 deputados num momento de recesso parlamentar.

Habitações – O governador Paulo Câmara inaugura, nesta sexta-feira, a primeira etapa de um dos maiores projetos habitacionais do Estado. O conjunto é um modelo de bairro planejado, construído pela Caixa Econômica Federal (CEF) dentro do Programa Minha Casa Minha Vida, que no total terá 2.620 residências. O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, participa da solenidade.

Expulsão – O deputado federal Felipe Carreras ficou numa situação difícil dentro do PSB após a sua votação a favor da reforma da Previdência. O presidente nacional da sigla, Carlos Siqueira, chegou a cobrar R$ 1,3 milhão que foi destinado a sua campanha em 2018 através do fundo partidário. Pelo andar da carruagem, ficou sem clima para Felipe seguir no ninho socialista.

Justiça – O deputado federal Túlio Gadêlha (PDT) entrou com uma ação popular com pedido de tutela de urgência contra o presidente Jair Bolsonaro (PSL) na justiça federal. O texto aponta violação dos princípios constitucionais da administração pública. Além disso, o deputado também apresentou um mandado de segurança com pedido de liminar contra o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, pela liberação de recursos públicos pela aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019 (Reforma da Previdência).

RÁPIDAS

Fragilidade – Setores governistas avaliam que a oposição está tão fragilizada que está precisando fabricar nomes que hoje estão alinhados com o PSB como Raul Henry e Felipe Carreras. Para estes mesmos governistas, a falta de nomes é um sinal que a oposição está mais perdida que cego em tiroteio e não tem nomes para enfrentar o candidato de Geraldo Julio.

Humildade – O governador Paulo Câmara, ao receber o conselheiro Carlos Neves, afirmou que daqui a três anos e meio ele será o seu chefe, uma vez que Paulo é auditor do TCE, cujo cargo é subordinado aos conselheiros daquele órgão. A postura de Paulo denota a sua conhecida humildade.

Inocente quer saber – Ao sinalizar que voltará para o TCE em 2023, Paulo Câmara está decidido a não disputar mandato em 2022? 

Fonte :Blog do Edmar Lira.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||