Marco Aurélio reúne as condições para liderar a oposição

Publicado em 12/01/2019 às 15h00

Eleito deputado estadual no ano passado com 26.783 votos, Marco Aurélio vem numa clara ascensão política, quando elegeu-se vereador pela primeira vez em 2012 ele obteve 5.999 votos, na reeleição atingiu 7.664 votos, e conseguiu assumir a primeira-secretaria da Câmara Municipal do Recife, um cargo que necessita de muito jogo de cintura para conquistar.

Ao dar o salto, Marco Aurélio atingiu 16.075 votos somente na capital pernambucana desbancando muitos nomes tradicionais que tentavam reeleição ou o mandato mesmo tendo histórico de elevadas votações na cidade. Na eleição do ano passado, o deputado foi um dos poucos a defender a candidatura de Jair Bolsonaro desde o início da campanha, e além do mais integra o partido do vice-presidente da República, General Mourão, o PRTB, tendo trânsito direto com o governo federal. 

A oposição, que sofreu a quarta derrota seguida para o PSB, elegeu doze deputados estaduais na disputa passada, e precisa de um líder que tenha voz firme, mas que tenha um trânsito parecido com o que tinha Silvio Costa Filho entre os pares, inclusive governistas. 

Ele integra o grupo do senador Fernando Bezerra Coelho e possui excelente relação com o grupo do prefeito Anderson Ferreira, atualmente os principais nomes da oposição, sendo um deputado que fará uma oposição crítica ao governador mas com a experiência de quem conhece bem a realidade das ruas. Para ter efetividade, mais do que apresentar números e relatórios complexos que não chegam ao entendimento da população, é imprescindível falar a língua da sociedade, e Marco Aurélio é o único deputado oposicionista que reúne tais condições para o posto, num período que será fundamental para a oposição se fortalecer neste início de segundo governo Paulo Câmara. 

Homônimo – O lamentável episódio envolvendo um empresário de Garanhuns acabou gerando uma confusão na política ontem. Quando surgiu a notícia da morte de um Álvaro, muitos pensaram que tinha sido o deputado Álvaro Porto, fato que foi rapidamente desmentido. Porém, a informação chegou em Araripina, terra da primeira suplente da coligação Socorro Pimentel, e alguns chegaram a comemorar a notícia macabra. O alarme foi falso, Álvaro continua vivo e Socorro continua suplente.

Igarassu – A  oposição ao prefeito Mário Ricardo começa a se organizar com vistas às eleições municipais de 2020. Alguns nomes já se movimentam no sentido de disputar a prefeitura, porém o melhor caminho é buscar a unidade, pois o prefeito não tem um sucessor natural, facilitando a chegada do nome que representar melhor o desejo de mudança que existe na cidade.

Projeto – A Prefeitura de Olinda fica proibida de conceder programas de incentivos fiscais a empresas envolvidas em corrupção de qualquer espécie ou em ato de improbidade administrativa e condenadas por decisão judicial transitada em julgado de acordo com Projeto de Lei de autoria do vereador Jorge Federal, presidente da Câmara Municipal. “Trata-se de medida de cunho administrativo voltado para legalidade, moralidade e eficiência administrativa,” explica o vereador.

Animais – O governador Paulo Câmara sancionou a lei n° 16.536/19, que tem por objetivo disciplinar a reprodução, criação, venda, compra e doação de animais de estimação em estabelecimentos comerciais e assemelhados. A lei estadual, de autoria do deputado Joaquim Lira (PSD), além de proibir o comércio irregular de animais de estimação, exóticos ou domésticos, escolhidos para convívio com seres humanos, estipula regras também para eventos de adoção realizados por pet shops ou clínicas veterinárias.

RÁPIDAS

Alexandre Rebelo – Recém nomeado secretário de Planejamento e Gestão de Paulo Câmara, Alexandre Rebelo ficou ainda mais fortalecido para ser uma opção na disputa pela prefeitura do Recife no ano que vem. Homem de confiança de Geraldo Julio e auxiliar de Paulo Câmara, Rebelo é tido como a opção menos traumática da disputa acirrada entre João Campos e Felipe Carreras pela indicação. 

Desserviço – Caso o Senado confirme o favoritismo de Renan Calheiros para a presidência da Casa, os senadores estarão prestando um grande desserviço ao Brasil. Ele representa o que há de mais ultrapassado na política e será uma fonte de crises não só para o Senado como também para o governo Jair Bolsonaro. 

Inocente quer saber – Depois de descumprir acordos com aliados, o Palácio estaria preparando uma cama de gato na eleição da presidência da Alepe?

Fonte : Blog Edmar Lyra.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||