Murilo é o homem certo na hora errada

Publicado em 11/07/2019 às 12h00

A última vez que o MDB elegeu o prefeito do Recife foi em 1992 com o hoje senador Jarbas Vasconcelos. Seguiram-se Roberto Magalhães, João Paulo (dois mandatos), João da Costa e Geraldo Júlio (dois mandatos). Talvez tenha chegado a hora de o MDB disputar com chapa própria em 2020 e o candidato natural seria Murilo Cavalcanti, secretário de Segurança Urbana da prefeitura da capital. Foi ele quem inaugurou em Pernambuco, há mais de uma década, o debate sobre como enfrentar a violência com políticas sociais. E insistiu tanto nesta tese que o atual prefeito do Recife acabou rendido à construção de duas unidades do Centro Comunitário da Paz, equipamentos copiados de Medellín, na Colômbia, onde se trava com essas armas o combate à insegurança, ao tráfico de drogas e às desigualdades sociais. Murilo já foi mais de 30 vezes ao país vizinho, muito parecido com o nosso, tendo levado em sua companhia o governador Paulo Câmara, deputados federais e estaduais, além de prefeitos de todas as regiões do Estado. Ele merece ter uma chance como prefeito do Recife porque tem discurso, projetos e serviços prestados. O que pesa em seu desfavor é o fato de Geraldo Júlio já ter escolhido o seu candidato, que é o deputado federal João Campos (PSB), provavelmente com um vice petista. É, portanto, o homem certo na hora errada.

Morte por inanição

A Seplag do Governo do Estado pensa ser possível tapar o sol com a peneira para explicar a quase morte, por inanição, do Fundo de Apoio aos Municípios (FEM). Diz que entre 2015 e 2019 o Governo repassou R$ 200 milhões para as prefeituras. A coluna conversou anteontem com mais de uma dezena de prefeitos e todos disseram que o programa “está morto”.

Uma ninharia

Adilson Gomes Filho, secretário executivo de Apoio aos Municípios da Seplag, afirma que de janeiro a junho deste ano foram repassados R$ 10 milhões para as prefeituras pernambucanas, incluindo emendas parlamentares. Dividindo-se esse dinheiro pelos 184 municípios, dá pouco mais de R$ 50 mil para cada um, o insuficiente para reformar uma estrada vicinal.     

Poder limitado

O presidente da Amupe, José Patriota (PSB), também prefeito de Afogados da Ingzeira, tem muita influência no Governo do Estado mas não teve força suficiente para evitar o fechamento da agência da Caixa Econômica de sua cidade. O fechamento faz parte da política da CEF de enxugar o número de agências e de servidores para melhor competir com os bancos privados.

Na recepção ao presidente

O deputado Pastor Eurico (PAT-PE) foi um dos membros da bancada evangélica que recepcionaram ontem na Câmara Federal o presidente Jair Bolsonaro. O presidente foi fazer o último apelo à sua bancada, constituída majoritariamente por militares da ativa e da reserva, evangélicos e ruralistas, para votarem a favor da reforma previdenciária, que está em discussão no Congresso.

Patrocínio da cultura

Enquanto a Empetur vai patrocinar a tradicional Festa dos Estudantes de Triunfo, de 20 a 27 deste mês de julho, a Fundarpe assumirá os custos do Festival de Inverno de Garanhuns, que se realizará no mesmo período. O problema dessas duas entidades é o atraso no pagamento dos cachês dos artistas, salvo os que vêm de outros estados. Os de Pernambuco penam pra receber.  

Visita protocolar

Amanhã, quando sua indicação para o TCE já estiver sido referendada pela Alepe, o advogado Carlos Neves Filho fará uma visita de cortesia ao presidente Marcos Loreto. Ele será recebido por todos os membros do Conselho: Carlos Porto, Teresa Duere, Valdecir Pascoal, Dirceu Rodolfo e Ranilson Ramos, além de representantes da Auditoria e da Procuradora.

Uma lágrima por Rostand

Cardiologista respeitado, Rostand Paraíso morreu ontem no Recife aos 89 anos de idade. Como médico, cuidou do coração de milhares de pernambucanos, mas não evitou que o dele o levasse à morte. Deu também notável contribuição à cultura estadual através das deliciosas crônicas que escreveu na imprensa regional, o que o levou à Academia Pernambucana de Letras.

Oposição por oposição

Enganam-se deputados da bancada pernambucana que decidiram votar contra a reforma previdenciária para fazer o “jogo” de sindicatos e poderosas entidades de servidores públicos, como o Sindifisco. Aprovar esta reforma é uma questão de responsabilidade com o país, que não é formado apenas por sindicalistas e corporações de servidores públicos. O Brasil é mais amplo. 

Fonte: Blog de Inaldo Sampaio.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||