O ajuste fiscal para o segundo governo Paulo Câmara

Publicado em 30/11/2018 às 10h15

O governador Paulo Câmara foi reeleito sob o mote de ter mantido o estado de pé mesmo diante da maior crise econômica e política dos últimos anos. Em 2015 quando assumiu o governo, Paulo já tinha ideia do que vinha pela frente, pois tinha sido secretário da Fazenda de Eduardo Campos e por isso decidiu enxugar a máquina pública com a não ocupação de parte dos cargos comissionados. Apesar da medida, o governador já no seu primeiro ano de gestão precisou modificar o calendário de pagamentos dos servidores, saindo do final do mês corrente para até a primeira semana do mês subsequente. A decisão do governador permitiu que ele não atrasasse salários e não agravasse ainda mais a crise econômica que ainda assola o estado.

Se de um lado o salário ficou pago, por outro, os fornecedores do estado sentiram e continuam sentindo na pele as dificuldades de fluxo de caixa do governo, que precisa estabelecer prioridades na hora de liquidar empenhos. Os débitos com fornecedores ainda são significativos e muitos deles alegam dificuldades para continuar fornecendo ao governo, e alguns ameaçam até parar o fornecimento pela falta de pagamento.

As dificuldades de caixa levaram o governo a aumentar os impostos de competência estadual, o que naturalmente alteram a competitividade das empresas que funcionam no estado para pior. E ao que parece, o suposto incremento de receita com o aumento de impostos será insuficiente para manter a casa em ordem, exigindo mais esforços do governo para melhorar seu caixa. É possível que o governador precise abordar a previdência estadual, uma vez que os aportes do tesouro estadual para pagar pensionistas e aposentados estão cada vez maiores, mexer na caixa preta da previdência estadual talvez se torne inevitável nos próximos quatro anos devido o tamanho do problema que poderá deixar Pernambuco no mesmo caminho de Rio de Janeiro e Minas Gerais.

O corte do custeio da máquina pública com a redução de secretarias e diminuição de cargos comissionados também deverá ser uma medida necessária a ser adotada pelo governador, uma vez que em 2017 o estado chegou a atingir o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal com gastos de pessoal. Se cortar da própria carne, o governador diminuirá significativamente as resistências ao aumento de impostos, pois o contribuinte perceberá que ele não será o único a ter que sofrer sacrifícios. O exemplo tem que vir sempre de cima.

Rodízio – Com a sinalização de que João Campos será mesmo secretário das Cidades, há informações que haverá um rodízio em relação ao atual secretariado de Paulo Câmara. O PSD, que atualmente ocupa a pasta, poderá ser deslocado para a secretaria de Desenvolvimento Econômico, porém o indicado deverá ser outro nome em vez do atual secretário Francisco Papaléo.

Fundarpe – Agora com a provável saída do PCdoB da Cultura para a Habitação, muitos estão se perguntando como ficará a situação dos débitos feitos por Márcia Solto no comando da Fundarpe. A presidente do órgão contratou empresas em 2016, 2017 e 2018 e não pagou pelos serviços prestados, e muita gente se sentiu lesada pela gestão do PCdoB na área.

Finalista – O prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira, é um dos finalistas do prêmio prefeito empreendedor realizado pelo Sebrae. O gestor concorre com o programa Coleta Seletiva que foi criado para apoiar os catadores do município com bicicletas equipadas com carretas para recolher o material.

Destino – Apesar de ter sido eleito pelo Democratas, sendo o deputado estadual mais votado do chapão da oposição, Gustavo Gouveia estaria em diálogo com o deputado federal André de Paula para filiar-se ao PSD. Se confirmada a informação, Gustavo Gouveia e seu grupo político voltariam a integrar a base governista.

RÁPIDAS

Confiança – A respeito de rumores de que não poderia ser diplomado, o deputado estadual eleito José Queiroz está absolutamente tranquilo que exercerá seu mandato conquistado em outubro. As movimentações do suplente Manoel Jeronimo no sentido de tentar conquistar o mandato no tapetão não passam de desespero, uma vez que ele apostou tudo o que tinha para chegar a um mandato na Alepe e acabou derrotado.

Palestra – Logo mais a partir das 19 horas no Democrático Esporte Clube, estarei ministrando uma palestra em Arcoverde sobre o cenário político para 2020 levando em consideração os resultados obtidos em 2018. Nosso parceiro do Ponto de Vista, Adriano Roberto, também ministrará uma palestra sobre o quadro político.

Inocente quer saber – Além de Gustavo Gouveia, qual deputado(a) eleito(a) no chapão da oposição integrará a base do governo Paulo Câmara na Alepe?

Fonte : Blog Edmar Lyra.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||