O papel estratégico de Luciano Bivar

Publicado em 06/11/2018 às 15h00
Coluna da terça: O papel estratégico de Luciano Bivar

Depois do governador Paulo Câmara (PSB) apoiar formalmente nos dois turnos a candidatura do pestista Fernando Haddad. Resta agora ao comandante do Estado se aproximar do presidente eleito Bolsonaro para garantir recursos importantes e estratégicos para os pernambucanos.

Para que isso aconteça ele precisará de construir pontes para dialogar e a apresentar demandas ao chefe da nação. É justamente nessa brecha que vai entrar o papel estratégico do deputado federal eleito Luciano Bivar. Primeiro, pela moral que ele tem com Bolsonaro – quando ninguém queria ele deu a sigla e garantiu a candidatura -, chegou até de abdicar da vice para trazer mais partidos.

O próprio Bivar disse que o presidente não fará acepção de quem votou ou não nele, “ele governará para todos”, afirmou em entrevista. Porém todos sabem que na prática se não tiver alguém na cola as coisas não acontecem. O sucesso do segundo governo de Paulo Câmara em Pernambuco dependerá dessa relação com o Governo Federal, caso contrário Bolsonaro poderá se tornar um novo “Temer” travando os recursos e não liberando os empréstimos internacionais. Por fim, mais do que nunca a bancada federal desempenhará um papel de suma importância.

Críticas – Líder do Governo na Alepe, o deputado Isaltino Nascimento (PSB) criticou a decisão do juiz federal Sérgio Moro de aceitar o convite do presidente eleito, Jair Bolsonaro, para assumir o comando Ministério da Justiça

Oposição – Depois de apoiar formalmente a candidatura de Haddad nos segundo turno, o PSB bateu o martelo que será oposição ao Governo Bolsonaro. O anúncio foi feito ontem pelo presidente da sigla Carlos Siqueira.

Alepe – O nome do atual primeiro-secretário deputado Diogo Moraes foi descartado para ser reeleito para o posto, revelou uma fonte ligada ao Palácio. Mesmo bom trânsito no comando do Estado essa cadeira terá outro dono.

Rápidas

Olinda – O vereador Jorge Federal foi reconduzido ao posto de presidente da Câmara de Vereadores para mais um biênio. Ele obteve 11 votos e comandará o Poder Legislativo olindense pelo biênio de 2019-2020.

Maia, não! – Os deputados do PSL que compõem uma bancada grande na Câmara dos Deputados a partir de fevereiro não está muito animados para reeleger Rodrigo Maia (DEM), no comando da Casa.

Presidência – Derrotado na eleição presidencial Álvaro Dias (PODE) anunciou que vai concorrer o comando do Congresso Nacional. Renan Calheiros (MDB) sonha em voltar ao posto e estará na distai também.

Pinga-fogo: O que está gerando a antecipação do debate eleitoral municipal em Carpina?

Fonte: Blog do Elielson Lima.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||