Olinda é o espaço do Solidariedade

Publicado em 13/08/2019 às 10h00
Coluna Fogo Cruzado – 13 de agosto de 2019

Quando o governador Eduardo Campos estava no comando da Frente Popular, tinha a compreensão de que o seu partido (PSB) não deveria ser o único a receber atenções do governo estadual. Era preciso garantir espaços aos seus aliados para que eles vencessem também em municípios do seu interesse. Assim, por exemplo, garantiu-se a vitória do PDT em Caruaru em 2008 (José Queiroz), do PCdoB em Olinda (Renildo Calheiros), do PT no Recife (João da Costa). E por aí vai. Foi esse equilíbrio de forças, internamente, que garantiu a hegemonia da Frente Popular em Pernambuco até a presente data. Para as eleições do próximo ano, o deputado federal e presidente regional do Solidariedade, Augusto Coutinho, já deu ciência a Paulo Câmara de que sua única reivindicação é o apoio do PSB à reeleição do prefeito Lupércio Nascimento, conforme ficou acertado nas últimas eleições. É que o PCdoB já está se mexendo para lançar o deputado João Paulo (ex-PT) e o PSB para pôr na disputa o ex-vereador Pedro Mendes. Hora, portanto, de o governador impor-se como líder, afastando de pronto essas pré-candidaturas. Ou faz isto, agora, ou perderá o controle do processo, pondo em risco a unidade da Frente em 2022.

Lei das Licitações

Augusto Coutinho (SD) profere palestra nesta terça-feira (12), em São Paulo, sobre a nova Lei das Licitações, para servidores do TCU. Trata-se da mais importante lei aprovada pelo Congresso depois da reforma previdenciária (o Senado vai repetir o gesto da Câmara), porém pouco explicada à sociedade pelos próprios congressistas.

Para evitar a quebra
         
Deputados da bancada pernambucana que votaram a favor da reforma da previdência vão partir para o contra-ataque ao Sintepe, Sindifisco e outros sindicatos que o criticam. Vão lançar uma campanha explicando à população que o voto a favor da reforma foi, na verdade, a favor dela, para evitar que o Brasil virasse um novo Portugal ou uma nova Grécia.

A favor da elite

Diz o deputado Sílvio Costa Filho (PRB), que votou a favor da reforma, que Portugal, por falta de dinheiro para pagar seus aposentados, cortou 30% do valor das pensões e que a Grécia limitou o saque com cartão eletrônico a 50 euros. Por isso, garante, ao posicionar-se contra a reforma, “o PSB ficou ao lado da elite do serviço público”.

Petista solitário 

Diferentemente do que se disse nesta coluna, o PT tem um representante na Câmara Municipal de Caruaru: Daniel Finizola, líder da oposição à prefeita Raquel Lyra. A cidade tem orçamento de R$ 935 milhões para 2020, mas todo “engessado”. Daí ter pedido empréstimo de R$ 86 milhões à CEF para investir em obras de infraestrutura. 

Festa centenária

A vice-governadora Luciana Santos (PCdoB) esteve no distrito de Jabitacá (município de Iguaracy), no final de semana, a convite do prefeito José Torres Filho (PSB), o “Zeinha”, para participar das comemorações dos 116 anos da festa da padroeira (Nossa Senhora dos Remédios). A festa será encerrada no próximo dia 15 com missa e procissão.

Preços iguais

Pelos cálculos de Daniel Coelho (CID), a “PEC paralela” da reforma da previdência que vai começar a tramitar no Senado será rejeitada na Câmara se “teimar” em incluir estados e municípios. Ele diz que cada governador terá que fazer sua própria reforma, via Assembleia Legislativa, “pagando o mesmo preço” que os deputados pagaram. 

Demissão com atraso

Paulo Câmara consumou ontem, com 15 dias de atraso, a demissão de Roberto Tavares da presidência da Compesa. Substitui-o pela engenheira Manuela Marinho. Tavares será agora assessor especial do secretário Décio Padilha (Fazenda). Geraldo Júlio e Antônio Figueira não fizeram o sucessor (Renato Thiebaut), mas livraram-se de quem não queriam.

Fonte :Blog de Inaldo Sampaio.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||