Oposição segue patinando em Pernambuco

Publicado em 15/08/2019 às 12h00

O grupo formado em 2018 para disputar as eleições do ano passado sofreu uma acachapante derrota para o governador Paulo Câmara, que não só foi reeleito como emplacou seus dois senadores e uma robusta base de sustentação tanto na Assembleia Legislativa de Pernambuco quanto na Câmara dos Deputados.

Coube à oposição uma minoria nas três casas legislativas, e poucos prefeitos relevantes no estado, que já haviam sido eleitos em 2016, alguns deles que integravam a Frente Popular como Edson Vieira, Anderson Ferreira e Miguel Coelho. Passados sete meses do segundo governo Paulo Câmara, e a pouco mais de um ano para as eleições municipais, o que se percebe é uma oposição desarticulada que até agora não conseguiu um entendimento para ampliar seu espaço em Pernambuco.

Dos principais nomes do grupo, Armando Monteiro, Bruno Araújo e Mendonça Filho ficaram sem mandato e não ofertam condições de liderar um projeto que antagonize com o PSB em Pernambuco. Os dois nomes mais fortes, Anderson Ferreira e Fernando Bezerra Coelho, que tiveram resultados expressivos em 2018 na disputa proporcional, têm outras responsabilidades que prejudicam qualquer ação mais efetiva em Pernambuco, como a reeleição de Anderson que lhe tomará tempo, e a liderança do governo no Senado que tem tomado o tempo de Fernando.

Neste segundo semestre, a oposição terá que chegar a um denominador comum quanto as prioridades em 2020, bem como abrir canais de diálogo com lideranças políticas que integram o governo mas podem deixá-lo a qualquer momento como André de Paula, Felipe Carreras, Jarbas Vasconcelos, Raul Henry e Sebastião Oliveira, que detêm representatividade em Pernambuco.

Se continuar desarticulada, a oposição em Pernambuco poderá chegar ainda mais fragilizada em 2020 sobretudo na capital onde é o ponto de irradiação para um projeto consistente em 2022. Sem união e sem organização, a oposição caminha para novas derrotas em Pernambuco.

Copergás – O presidente da Copergás, André Campos, tem sido muito elogiado pela atuação desempenhada no órgão. André está com a missão de ampliar a oferta de gás para várias regiões do estado, e vem conseguindo ter resultados satisfatórios. Com a chegada do gás, amplia-se a capacidade de novos investimentos privados nas cidades atendidas.

Mais Vida nos Morros – Mais um local no Recife recebeu o projeto que vem transformando vidas e comunidades. Na tarde desta quinta-feira, a Vila Burity, no bairro da Macaxeira, celebrará o resultado dessas mudanças em mais uma edição do programa Mais Vida nos Morros, da Prefeitura do Recife, realizado por meio da Secretaria Executiva de Inovação Urbana, com o apoio das Tintas Coral. O prefeito Geraldo Julio vai à comunidade celebrar com os moradores a conclusão de mais um capítulo dessa história que já beneficiou cerca de 15 mil pessoas diretamente em 13 áreas do Recife.

Equívoco – As bancadas do PSOL e do PCdoB na Assembleia Legislativa de Pernambuco decidiram se posicionar contra as comunidades terapêuticas. Elas têm um papel determinante no combate às drogas, e consequentemente na oportunidade de viciados se recuperarem, configurando-se num equívoco absurdo. A pauta das drogas é sempre uma defesa intransigente dos partidos de esquerda.

Encontro – O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, esteve reunido com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto. O encontro ocorreu com a presença do senador Fernando Bezerra Coelho, líder do governo Bolsonaro no Senado, e serviu para destravar ações em prol da cidade de Petrolina.

RÁPIDAS

Diálogo – O deputado Antonio Coelho (DEM) fez uma defesa pelo diálogo e contra a intolerância na política. Citou as vaias ao ex-governador Mendonça Filho (DEM). Foi elogiado por colegas, pois fez a defesa justamente quando apoiadores do PSOL e PT protestavam nas galerias da Alepe contra um projeto do Pastor Cleiton Collins (PP) e gritavam por “Lula livre”.

Mais recursos – O deputado estadual João Paulo Costa (Avante) repercutiu na sessão plenária desta quarta-feira (14), a importância da votação da PEC 04/2019 na Assembleia Legislativa de Pernambuco até o mês de setembro. O projeto trata do reajuste financeiro das emendas parlamentares de 0,4% para 2020. O parlamentar acredita que com a a aprovação da proposta, o papel do deputado estadual será fortalecido, com a destinação de mais emendas para os municípios do Estado.

Inocente quer saber – Quando Bolsonaro vai parar de falar besteira e se preocupar exclusivamente em resolver os problemas do Brasil?

Fonte : Blog Edmar Lyra.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||