Oposição trabalha “anúncio coletivo” da chapa

Publicado em 13/04/2018 às 18h00

A filição do deputado federal Fernando Filho ao DEM abriu, entre lideranças da oposição, a perspectiva de que ele “está no jogo” em relação à possibilidade de encabeçar uma chapa majoritária. “Há essa consideração sobre Fernando Filho”, pondera um dos integrantes do grupo Pernambuco Quer Mudar. O debate sobre os nomes para concorrer ao Governo do Estado e ao Senado se amplia, porque há uma compreensão, observa outro membro desse conjunto em reserva, “de que o anúncio vai ser coletivo”. Em outras palavras, a chapa só deve ser tornada pública quando estiver completa. E, assim, seu anúncio foi postergado. “O candidato a governador quer o jogo inteiro”, observa a mesma fonte. Leia-se: a lógica que prevalece, nas mais recentes conversas, é a de que a chapa deve ser “solidária” de forma que quem aceitar ser candidato a governador já o faça ciente da composição para o Senado e quem aceitar concorrer à Casa Alta já entenda, de antemão, a consistência do cabeça de chapa, assim como quem se dispuser a ser vice. Há uma preocupação de que, nesse desenho, o conjunto “tem que ter tamanho”. Um dos componentes da oposição, resume: “Para um não ser escolhido para uma missão e, no meio do caminho, perceber que ficou para tapar um buraco”. A escolha dos senadores, então, deve ter peso equivalente a do postulante ao Palácio das Princesas. 

A parte da OAB-PE
O presidente da OAB-PE, Ronnie Preuss Duarte, começou, ontem, uma série de três rodadas com especialistas, visando a colaborar com a gestão da segurança pública no Estado. Quer oferecer soluções para o setor, elaboradas com a participação de especialistas da área. 

Ausculta > Para os encontros, fechou uma parceria com a Universidade de São Paulo (USP). À frente, pela instituição, está o professor Leandro Piquet, coordenador do Programa de Pesquisa em Segurança e Criminalidade do Núcleo de Pesquisas em Políticas Públicas (NUPPs). 

Resultado > O material produzido será apresentado no Fórum Estadual de Segurança Pública. O evento é um desdobramento do trabalho iniciado pela Comissão Especial de Segurança Pública da OAB-PE desde o ano passado.

Pagar para ver > O ex-deputado Gustavo Negromonte terminou ficando no MDB. Caso saísse, iria para o PSC, cujo presidente estadual, André Ferreira, é amigo seu de longas datas. “Estou no MDB desde os 16 anos. Uma saída seria bem difícil e optei por ficar e pagar para ver”, registra Gustavo. O partido, hoje, está sob a presidência do vice-governador Raul Henry, mas segue imergido em uma disputa por seu comando.

Título para Occhi > Projeto de Gustavo Negromonte concedendo título de cidadão pernambucano a Gilberto Occhi foi aprovado na Alepe e publicado, ontem, no Diário Oficial. Na proposição, Occhi figura como presidente da Caixa Econômica Federal, mas ele já tomou posse como ministro da Saúde esta semana.

Em pauta > O ministro Raul Jungmann faz exposição sobre Segurança Nacional, hoje, em almoço-debate do Lide-PE, às 12h. No próximo dia 20, quem falará aos líderes empresariais é o ex-presidente do BNDES, Paulo RabelLo de Castro, pré-candidato ao Planalto pelo PSC.

Fonte:Folha de PE.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||