Partidos nanicos perderão atratividade em 2020

Publicado em 17/05/2019 às 15h00

Com a nova legislação eleitoral, apenas 21 partidos atingiram a cláusula de barreira, dos 34 com registro. Esta medida visa reduzir as siglas existentes no país a cada eleição geral, e a consequência para os partidos nanicos é não ter mais acesso a guia eleitoral, fundo partidário e fundo eleitoral, mas eles poderão continuar existindo e disputar as eleições se suas executivas nacionais assim preferirem. Na capital pernambucana, 21 partidos foram representados por vereadores eleitos em 2016, atualmente, somente 18 partidos estão representados na Casa José Mariano, e há um sentimento que os vereadores de mandato em sua maioria trocarão de partido visando a sobrevivência nas eleições de 2020. Os vereadores Eduardo Chera e Aerto Luna já oficializaram a migração para o PSB, e há uma forte expectativa que pelo menos dez parlamentares migrem para partidos que formarão chapas competitivas.

Com a nova legislação, que proíbe a coligação proporcional para 2020, os partidos terão o grande desafio de formar chapas competitivas na capital pernambucana. Serão até 58 candidaturas por cada partido, com a exigência de pelo menos 30% do gênero feminino. Portanto, o pleito municipal de 2020 poderá ter no máximo 2 mil candidatos, devido à necessidade de cada um dos 34 partidos existentes lançar nomes para a disputa proporcional. A nova legislação possibilita que os partidos que não atingirem o quociente eleitoral, estimado em 2020 para algo em torno de 21 mil votos, terão direito a disputar as sobras, esta medida já funcionou em 2018, o que em tese amenizaria a situação dos partidos nanicos, porém para que uma sigla eleja sem riscos dois vereadores, serão necessários algo em torno de 40 mil votos no Recife.

Nesta conta, considerando os partidos nanicos, que historicamente elegem vereadores com votações abaixo de 5 mil, precisarão montar chapas, em abril de 2020, prazo final de filiação. Não haverá mais a oportunidade de coligar aos 45 do segundo tempo, portanto, partidos que elegerão de um a dois vereadores serão um risco muito grande para a disputa, devido à possibilidade de esvaziamento de chapa. O que deverá acontecer é a filiação em massa de vereadores de mandato a partidos governistas, no Recife é o caso do PSB, e de partidos que terão candidaturas próprias competitivas a prefeito para ajudar no voto de legenda. Partidos periféricos, sem qualquer identidade política, perderão a atratividade. Para sobreviver, os vereadores migrarão para partidos já estabilizados, como é o caso do PSB, PP e PT, que terão voto de legenda e puxadores de votos.

Estranheza – Causou estranheza aos integrantes do Parlamento Jovem do Recife o adiamento da edição deste ano, que estava marcada para a sexta-feira da semana passada. Porém, o presidente da Câmara, vereador Eduardo Marques apresentou na pauta de votação um requerimento de reserva do plenarinho, fato que nunca havia ocorrido. A vereadora Ana Lúcia pediu vistas a este requerimento, e com isso inviabilizou a realização da edição de 2019 do evento que visa aproximar os jovens da Câmara Municipal do Recife.

Escada – O secretário de Desenvolvimento Econômico de Escada, Klaus Lima, está ficando cada vez mais fortalecido para disputar a sucessão do prefeito Lucrécio Gomes. A sua atuação à frente da pasta lhe credenciou para ser o nome do prefeito para a disputa. Com bom trânsito dentro e fora de Escada, Klaus, que ainda não tem filiação partidária, poderá ser uma grata surpresa nas eleições de 2020.

Caravana – O governador Paulo Câmara estará, nesta sexta-feira, no município de Belo Jardim, Agreste Central de Pernambuco, para mais uma Caravana da Educação. A ação, que consiste em um circuito de atividades pedagógicas, culturais e esportivas, contemplará a comunidade escolar da Gerência Regional de Educação (GRE) Agreste Centro Norte e chega acompanhada da reunião de Pactuação de Metas, encontro que envolve gestores escolares de todas as escolas da rede. A iniciativa, que em 2018 mobilizou mais de 20 mil estudantes, já passou pelas cidade de Recife, Igarassu, Cabo de Santo Agostinho, Bezerros e Nazaré da Mata.

Suspensão – O deputado federal Túlio Gadêlha (PDT) protocolou um projeto de decreto legislativo na tentativa de suspender o decreto do presidente Jair Bolsonaro que concede à Secretaria de Governo, comandada pelo ministro Carlos Alberto dos Santos Cruz, a atribuição de avalizar nomeação de reitores de instituições federais de ensino e de outros cargos do segundo e terceiro escalão.

Limoeiro – Em reunião informal no Aeroporto de Brasília, entre o prefeito Joãozinho (PSB) e o deputado federal Fernando Monteiro (PP), ficou acertado o empenho do parlamentar em garantir a liberação de recursos nas grandes obras estruturadoras para o município de Limoeiro, que está consolidando muitas ações para a população.

RÁPIDAS

Cadoca – Com a experiência de quem foi vereador, deputado estadual, deputado federal, secretário e candidato a prefeito, Cadoca segue sendo uma das importantes mentes políticas de Pernambuco. Ele vivenciou momentos históricos da política estadual e nacional e tem uma visão ampla e cirúrgica do quadro que enfrentamos neste momento.

Herdeiro – Aliado de Cadoca, o vereador do Recife Samuel Salazar (PRTB) se consolidou como o seu herdeiro político. O parlamentar sempre que pode se aconselha com o aliado, e tem exercido um bom mandato na Câmara Municipal do Recife.

Inocente quer saber – Qual é o impacto das denúncias envolvendo Daniel Coelho na sua carreira política?

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||