Paulo anuncia 2º escalão com Ruy, Cerquinho, Abreu e Barros

Publicado em 12/01/2019 às 17h00
Governador Paulo Câmara (PSB) em entrevista à Rádio Folha
Governador Paulo Câmara (PSB) em entrevista à Rádio FolhaFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O anúncio será feito na segunda-feira, mas os nomes já estão escalados. Entre as escolhas do governador Paulo Câmara para o segundo escalão, estão: Ruy Bezerra, que vai assumir o Instituto de Recursos Humanos (IRH), Leonardo Cerquinho, que comandará o Porto de Suape, Roberto Abreu, a AD Diper, e Marcelo Barros estará à frente da Agência de Crédito. Ruy era o titular da Controladoria Geral do Estado, que passou à tutela de Érika Lacet. Leonardo já presidiu a Ad Diper. Foi levado ao governo pelo, então, vice-governador Raul Henry, que foi secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado. Depois, a pasta passou à cota do PP. Agora, o titular de Desenvolvimento Econômico é Bruno Schwambach. A ida de Cerquinho para Suape representa uma ampliação da representatividade do MDB. A ampliação do tamanho do PP, no ano passado, implicou em redução significativa do MDB, que deu tempo de TV considerável a Paulo Câmara na campanha. Roberto Abreu é fazendário. Marcelo Barros, que foi secretário da Fazenda, vai coordenar o Crédito Popular, uma das promessas de campanha do governador, que visa a beneficiar 40 mil pequenos empreendedores no Estado. Há expectativa dos aliados pela lista que o governador apresentará na segunda-feira.

Nem disfarça
Tem deputado definindo o líder do PCdoB na Câmara, Orlando Silva, como "X-9 de Rodrigo Maia". O parlamentar diz que o comunista vai às reuniões só para ouvir tudo e reportar ao democrata. O PCdoB está no bloco com o PSB, que afastou a chance de apoio a Maia em reunião na última quinta-feira.

Coifa > O leitão à pururuca preparado pelo deputado Fábio Ramalho desperta o paladar de parlamentares, mas há uns se queixando do cheiro que fica no corredor da Câmara em dia de “banquete”. "Parece restaurante chinês!", sapeca um deputado.

Brecha > O deputado Wolney Queiroz realça que o voto é secreto na eleição da Mesa. "Há indicação partidária, mas fica a critério pessoal do parlamentar seguir ou não essa recomendação".
 
Se meu fusca... > Diante das idas e vindas do governo Bolsonaro, o deputado André de Paula faz a seguinte comparação: "Na realidade, Bolsonaro andava num fusquinha. Deram a ele uma Ferrari. Ele ainda não se ajustou com o pedal”.
 
...falasse > "De vez em quando, ele passa da medida e sobra na curva. Daqui a pouco, ele percebe que está numa Ferrari".
 
Caracas 1 > Na avaliação do senador Humberto Costa, a ida de Gleisi Hoffmann à posse de Nicolás Maduro "não tem nada a ver com firmar posição em relação ao Governo Bolsonaro”. Humberto define: "Se trata de firmar posição em relação à tentativa dos EUA junto com outros países, governados pela direita, de derrubar um governo e implantar uma ditadura militar".
 
Caracas 2 > Entre os motivos que a levaram à posse, Gleisi, ao portal G1, relacionara: "Marcar posição desta grosseira relação do governo Bolsonaro com a Venezuela; fala fino com os Estados Unidos e grosso com a Venezuela".
 

Fonte :Folha de PE.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||