PCdoB quer buscar FHC e Dias para "frente antifascista"

Publicado em 03/10/2018 às 09h00
Luciana Santos
Luciana SantosFoto: Paullo Allmeida

O formato para consolidar a aproximação ainda está sendo discutido, mas o movimento em gestação visa ainda ao primeiro turno. Diante do crescimento do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, nas pesquisas, a presidente nacional do PCdoB, Luciana Santos, adverte: "Tem que ter, agora, uma frente ampla antifascista". Os comunistas indicaram a deputada estadual Manuela D'Ávila para a vice do presidenciável Fernando Haddad e Luciana foi uma das principais articuladoras da aliança nacional, que acarretou a neutralidade do PSB na corrida presidencial, em detrimento de uma composição dos socialistas com Ciro Gomes. A costura foi a possível naquele momento, embora a luta original de Luciana fosse para unir também o PDT no mesmo bloco. "É preciso continuar a insistir nisso", sublinha Luciana à coluna. Indagada se há tempo hábil, devolve: "Claro que dá tempo, ainda no primeiro turno". Nessa proposta de aglutinar, ela cita o esforço de abrir diálogo com nomes como: "(o candidato) Álvaro Dias, o próprio Fernando Henrique Cardoso e Eduardo Paes, no Rio de Janeiro, por exemplo". Luciana admite que o "PT já devia ter aberto esse debate antes". E emenda: "A vida está mostrando que há uma necessidade. Agora, estamos diante de uma ameaça entre a civilização e a barbárie". Antes mesmo que as chapas da corrida presidencial fossem formalizadas, Luciana Santos trabalhou pela unidade no campo das esquerdas, mas não encontrou ressonância no PT. Ainda em junho, à coluna, ela fizera a seguinte ponderação: "Se esses atores (Ciro e Lula) se entendessem, a gente poderia vencer a eleição pela quinta vez". E, na mesma ocasião, lamentara: "A gente tem falado sobre isso, mas não está fácil, porque ninguém arreda o pé das duas posições". Ontem, pesquisa Datafolha apontou o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, com 32% (tinha 28%), enquanto o presidenciável petista oscilou negativamente para 21% (tinha 22%). A vantagem do capitão reformado acende o sinal amarelo no campo das esquerdas. Agora, falta menos de uma semana para o pleito.

"O bicho pegou"
O plano original, como a coluna registrara, era que Manuela D'Ávila comandasse, em Pernambuco, hoje, o ato Primavera das Mulheres. Mas diante do cenário que se desenha nas pesquisas, com Jair Bolsonaro contabilizando 11 pontos à frente de Fernando Haddad, a determinação é de que a candidata a vice se concentre no Sudeste e no Sul nessa reta final. "O bicho pegou", avaliam aliados, nos bastidores.

O avesso > A passagem de Manuela por Pernambuco teria ainda o condão de reforçar o vínculo de Haddad, que traçava, até então, curva ascendente nas pesquisas, ao de Paulo Câmara. O socialista, no entanto, abre, agora, 12 pontos, segundo o Ibope, à frente o adversário Armando Monteiro, enquanto Haddad estagnou.

 
Na... > Ainda no dia 18 de setembro, a coluna cantara a pedra sobre o voto útil anti-PT que já se desenhava no ninho tucano em Pernambuco. Ali, tucanos já admitiam votar em Bolsonaro no 1º turno como forma de evitar "o risco" de Haddad ser eleito.
 
...esteira > Ontem, Bruno Araújo divulgou vídeo ao lado do coordenador das carreatas pró-Bolsonaro, Coronel Koury. O PSL está no palanque de Armando Monteiro, mas o petebista não escolheu presidenciável para declarar apoio. No vídeo de Bruno, cujo PSDB tem Geraldo Alckmin no páreo, Koury afirma que "a melhor coligação é a dos senadores Bruno Araújo e Mendonça Filho".
 
Tecla > Depois de Armando Monteiro lembrar, no debate da TV Clube, que Eduardo Campos o indicou como seu senador e que Paulo Câmara votou nele, o governador, ontem, no debate da Globo, afirmou que Armando "traiu" Eduardo, quando “votou contra o trabalhador”. O socialista viu a rejeição de Armando subir desde que começou a bater nessa tecla.

 

Fonte:Folha de PE.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||