Porque Márcio Stefanni saiu do governo estadual

Publicado em 10/01/2019 às 13h00

Stefanni vai retornar ao BNDES após passar por três pastas no governo de Pernambuco

Informa o ex-secretário Márcio Stefanni que a sua não permanência no governo Paulo Câmara foi decedida de comum acordo entre ele e o governador. Se, por um lado, Paulo Câmara queria renovar os quadros do governo, como de fato renovou, por outro havia o desejo expresso do ex-auxiliar de retornar aos quadros do BNDES, sua casa de origem, no Estado do Rio. Não houve estresse, desentendimento, e muitos menos veto do PSB, garante Stefanni, que sempre se deu bem com todos no partido, desde que se licenciou do Banco há 8 anos para trabalhar nos governos de Eduardo Campos, João Lyra e Paulo Câmara, inicialmente como secretário de Desenvolvimento Econômico e depois da Fazenda e do Planejamento, incluída nessa conta a gestão do “Pacto pela Vida”. Antes de licenciar-se do BNDES, era assessor especial do presidente Luciano Coutinho. Agora, na gestão do presidente Joaquim Levy, voltará ao Banco como simples técnico, mas não se arrepende do que fez. Conforta-o o fato de, sendo filho de um “homem do povo”, ter passado por sua mesa de decisões a instalação da fábrica de Fiat no município de goiana e centenas de outras no complexo de Suape. E de estar com o seu nome imortalizado na galeria dos ex-secretários da Fazenda ao lado de pernambucanos ilustres como Barbosa Lima sobrinho, Miguel Arraes, Oswaldo Coelho, Everardo Maciel, Luiz Otávio Cavalcanti, Tânia Bacelar, Pedro Eugênio Cabral e Eduardo Campos.

Origem nordestina

Bolsonaro criou um grupo interministerial para levantar as principais demandas do Nordeste e propor soluções. A intenção pode até ser boa, mas isso só dará certo se tiver a participação dos seus governadores, já que nenhum dos 22 ministros tem origem nesta região. Quem mais se aproxima é o próprio presidente da República, cujo sogro é cearense de Crateús.

Ele não – Depois que Rodrigo Maia (DEM-RJ) fez acordo com Luciano Bivar (PE) para ter o apoio do PSL à sua reeleição a presidente da Câmara, os partidos de esquerda (PCdoB, PSB e PT), que votaram nele em 2016, negam-se a apoiá-lo de novo e estão em busca de outro nome.

Adesões – O ex-prefeito de Belo Jardim, João Mendonça (PSB), está desidratando o DEM, do primo Mendonça Filho, visando à reconquista da prefeitura em 2020. Cooptou o vereador mais votado, Pitomba da Lotação e um suplente do distrito de Xuxuru, onde o DEM sempre cantou de galo.

O dinheirão – Gonzaga Patriota (PSB) esteve em Sertânia, anteontem, para agradecer os votos recebidos e ao lado do prefeito Ângelo Ferreira (PSB) disse aos aliados que, nos últimos 10 anos, arranjou R$ 19 milhões para o município através de emendas parlamentares.

1º lugar – O auditor do TCE, Ruy Bezerra, transmitiu ontem a Controladoria Geral do Estado à Erika Gomes Lacet, servidora da Procuradoria Geral do Estado. Ruy Bezerra foi o responsável pelo lançamento do “Portal da Transparência”, que deu a PE o 1º lugar na avaliação da CGU.

Fonte :Blog de Inaldo Sampaio.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||