PP amplia bancada e reforça plano majoritário

Publicado em 10/04/2018 às 20h00
Eduardo da Fontes
Eduardo da FontesFoto: Divulgação

Passado o prazo de filiações, o PP, nacionalmente, desbancou o PSDB e o DEM tornando-se a segunda maior bancada da Câmara Federal, ficando atrás só do PT. Os progressistas que somavam, inicialmente, 38 deputados, ampliaram esse número para 56. Em Pernambuco, a sigla presidida pelo deputado federal Eduardo da Fonte, já figura, segundo cálculos dos corredores da Assembleia Legislativa, como a maior bancada. O partido possuía seis parlamentares: Cleiton Collins, Claudiano Martins, Everaldo Cabral, José Maurício, Eduíno Brito e Dr. Valdi. Com o encerramento da janela partidária, a legenda acrescentou a esse time ainda: Eriberto Medeiros, Beto Accioly, Vinícius Labanca, João Eudes e Joel da Harpa. Nas coxias da Alepe, falava-se ainda na perspectiva de o partido atrair Roberta Arraes e Antônio Moraes. Na esteira das filiações, o PP fez um trabalho de pulverizar sua influência em todas as regiões do Estado, contemplando com candidaturas cidades como Caruaru, onde atraiu o deputado Erick Lessa, Jaboatão, onde filiou Neco, Petrolina, com Coronel Leite, Araripina, com Doutor Aluizio Coelho. No Cabo, o PP filiou a filha do prefeito Lula Cabral, Fabíola Cabral. Esse novo tamanho reforça os planos da sigla de ter um nome na chapa majoritária de Paulo Câmara. Nas hostes progressistas, trabalha-se com a hipótese do Senado. Para o pleito deste ano, o PP projeta eleger 14 ou 15 deputados estaduais, de forma a se manter na condição de maior bancada da Alepe. O nome do deputado federal Eduardo da Fonte aparece ventilado para integrar a majoritária.

No aguardo de autorização

O governador Paulo Câmara aguarda autorização da Justiça para definir se embarca para Curitiba para visitar Lula. Os três governadores do PT, Wellignton Dias, Camilo Santana e Rui Costa estariam dispostos a ir de toda forma, mas os demais fazem ponderações. A visita poderia ocorrer hoje ou amanhã. 

Não é condição >
 O fato de Álvaro Porto não ser de Garanhuns tem gerado questionamentos ao prefeito Izaías Régis, que declarou apoio à pré-candidatura do deputado de Canhotinho à reeleição. Ele retruca afirmando que local de nascimento não deve ser condicionante para se votar em A ou B. E lembra que ele próprio nasceu em Terezinha e que isso nunca pôs em xeque o seu comprometimento e amor por Garanhuns.

Conta e Risco > O astrólogo Eduardo Maia tem defendido que João Paulo concorra a deputado estadual. A decisão de travessia do ex-prefeito para as hostes comunistas acabou se dando sem consulta ao grupo, que inclui Lygia Falcão - estava ausente por questões familiares - Múcio Magalhães, que viajava com a família, ou ao próprio Eduardo, que estava operado.

Ritmo > Para o deputado Silvio Costa Filho, líder da Oposição na Alepe, os repasses do FEM mostram o ritmo do Governo Paulo Câmara. A edição de 2014, realça ele, só foi concluída este ano. 
“E ainda faltam ser quitados R$ 280 milhões de 2015, já que o governo anunciou que quitou 2014. Pior são as obras de mobilidade prometidas para a Copa de 2014, que nem para a Copa da Rússia ficaram prontas”, compara.

Seis Meses >
 Pela lei eleitoral, Raul Henry e o presidente da Alepe, Guilherme Uchôa, não podem mais substituir o governador, sob pena de se incompatibilizarem para o pleito de outubro. Quem passa a figurar como substituto eventual de Paulo Câmara, então, é o presidente do TJPE, Adalberto Melo.

FonteFolha de PE.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||