Prisão de Lula é mancha eterna na história do PT

Publicado em 06/04/2018 às 13h15

Ao PT só resta agora definir outro candidato a presidente da República

O ex-presidente Lula começa a cumprir a partir de hoje a pena de 12 anos e 30 dias de prisão que lhe foi imposta pelo TRF da 4ª Região. Prisão de ex-chefes de estado não é incomum no resto do mundo. Mas no caso do Brasil é novidade porque esta é a primeira vez que um ex-presidente é condenado por corrupção. Isto manchará definitivamente a história do PT, fundado há 40 anos exatamente para “combater a corrupção”. O partido vai tentar transformar o ex-presidente em “mártir”, dizendo que ele foi vítima de “erro judiciário” e condenado pelo juiz Sérgio Moro “sem provas”. Tem todo o direito de fazê-lo, mas nem os próprios petistas se sensibilizam mais com essas versões. Basta ver as manifestações de “solidariedade” ao ex-presidente convocadas para a última quarta-feira, dia em que o STF negou o habeas corpus em seu favor. Poucos gatos pingados participaram das manifestações, inclusive na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo, onde Lula acompanhou a sessão. Prisão de um ex-presidente é algo que choca qualquer país, ainda mais quando a condenação se dá por improbidade. Isto, por um lado, revela amadurecimento de nossas instituições, mas por outro também deixa claro que ainda estamos muito longe de construir a “Nova República” que nos foi prometida por Tancredo Neves em sua campanha presidencial de 1984. Ao PT só resta agora escolher outro candidato a presidente, e não ficar repetindo bobagens tipo “Lula será candidato de todo jeito”. O “plano B” terá que aparecer, mesmo contra a vontade da presidente Gleisi Hoffmann.

O diálogo continua

Humberto Costa disse em SP que a prisão de Lula não interfere nas conversas do PT com o PSB visando a uma aliança em PE. A aliança, disse ele, está sendo costurada, aos poucos, pelas direções nacionais dos dois partidos. Porém, se o PSB, após a prisão, ainda se interessar por esta aliança, é sinal de que Paulo Câmara deseja a todo custo tirar Marília Arraes do seu caminho.

Degradação – Desabafo de Rodrigo Novaes (PSD), vice-líder do governo na Assembleia Legislativa: “Já disputei 4 eleições, contando com a vice-prefeitura de Floresta. Ganhei três e perdi uma. Sou candidato de novo e nunca vi uma eleição tão degradada como a deste ano”.

O repúdio – Tadeu Alencar (PSB) aproveitou o discurso que fez ontem na abertura do 5º Congresso Pernambucano de Municípios, no Centro de Convenções, para “repudiar” as declarações do general Villas Bôas, comandante no Exército, pressionando os ministros do STF a negarem o habeas corpus em favor de Lula.

Passo em falso – Eriberto Medeiros notabilizou-se na Assembleia Legislativa como o deputado que mais acerta previsão sobre eleições. Mas acaba de cometer um erro. Saiu do PTC, do qual era “dono” em Pernambuco, para se filiar ao PP a fim de ser candidato a deputado federal. Poderia continuar sendo “dono” e fazer aliança com o PP.

E eu? – A coluna noticiou ontem, por equívoco, que o PSB não tinha candidato a deputado estadual em Petrolina. Tem um, Lucas Ramos, que vai disputar os votos de lá com Odacy Amorim (PT) e Antônio Coelho (MDB), filho do senador Fernando Bezerra Coelho.

A estreia – Recém filiado à Rede, o ex-vice-prefeito de Paulista, Nena Cabral, participa hoje no DF do congresso nacional do partido que vai confirmar a candidatura de Marina a presidente da República e a política de alianças da legenda. Nena é candidato a deputado federal.

Fonte :Blog de Inaldo Sampaio.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||