Respeito ao resultado é pauta comum no PT

Publicado em 05/06/2018 às 13h15
Ex-prefeito João da Costa (PT)
Ex-prefeito João da Costa (PT)Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Presidente estadual do PT, Bruno Ribeiro trocou mensagens, ontem, com a dirigente nacional da sigla, Gleisi Hoffmann. Por enquanto, ela não cravou a convocação para que a comissão do diretório local siga para Brasília, visando a debater a estratégia de eleição no Estado. Mas, ontem, em reunião, a executiva estadual estabeleceu um dos membros do comitê que irá a Gleisi. Do lado dos que defendem aliança com o PSB em Pernambuco, o representante será o ex-prefeito João da Costa. Na ala dos que querem candidatura própria, o membro a compor o colegiado ainda está sendo definido. Uma das que trabalham em prol da candidatura de Marília Arraes ao Governo de Pernambuco, a deputada Teresa Leitão tem expectativa de que Gleisi se manifeste hoje ainda, uma vez que o grupo precisa programar deslocamento. Na avaliação dela, sobram casos em que o PT rachou, razão pela qual ela classifica que "não é melhor opção nem para o partido, nem para os aliados, nem é bom para a candidata" uma divisão. Em entrevista à Rádio Folha, Bruno Ribeiro, ontem, fez advertência em relação à necessidade de se prezar pela democracia interna. "Fazer diferente é repetir o que foi feito no impeachment de 2016”, comparou ele, referindo-se ao que petistas definem como "golpe". Bruno resumiu: "No encontro do dia 10, vamos respeitar a decisão da maioria dos delegados e delegadas do partido". E projetou: "Depois da decisão, quem não for vitorioso vai se somar à tese vitoriosa". Teresa realça o mesmo "compromisso de aceitar o resultado". Hoje, quem vai à mesa com Gleisi é o governador Paulo Câmara. Ontem, como a coluna cantou a pedra, ele esteve, à noite, com o governador Márcio França, em São Paulo. Nas coxias do PSB, há quem aposte que o encontro entre Gleisi e Paulo pode ser decisivo.

Histórico de punições computadas
Em 2015, o PT chegou a punir quatro prefeitos que não respeitaram a decisão do partido relativa ao pleito de 2014. Entre eles, estiveram os gestores de Machados, Ibirajuba, Orocó e o pastor Marcos, de Abreu e Lima, seria punido, mas desfiliou-se antes.

Ponte 1 > O porta-voz da Rede em Pernambuco, Clécio Araújo, terá conversa, hoje, com o presidente do PV, Carlos Augusto Costa, sobre possível aliança entre as duas siglas. 

Ponte 2 > Na semana passada, o PTC fechou apoio à chapa da Rede, encabeçada pelo ex-prefeito Júlio Lóssio. Roberto Leandro registra que o partido segue firme na decisão "tomada na conferência estadual", que é ter Lóssio na corrida pelo Campo das Princesas.

Esquizofrênica > À coluna, Lóssio registra que tem conversado "com muita gente, inclusive com pessoas ligadas ao governo". Mas pondera: "Contudo a Rede está construindo um projeto majoritário para Pernambuco, que possa quebrar essa polarização esquizofrênica que se tornou a política brasileira".

Incômodo 1 > Entre os proporcionais do movimento das oposições Pernambuco Quer Mudar, a decisão do deputado Mendonça Filho de lançar o filho, Vinícius, candidato à Câmara Federal, gerou ruídos. Fala-se que essa decisão "atrapalha a vida de muita gente".

Incômodo 2 > Há queixas em relação ao "apetite" do democrata, que "não estaria dando contrapartida". Um oposicionista sapeca: "Ele tem o apoio do Solidariedade, de Augusto Coutinho, mas não está fazendo esforço nenhum para trazê-lo para oposição".

Fonte :Folha de PE.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||