Saída de João Paulo do PT fere de morte o partido

Publicado em 07/04/2018 às 14h00

Quando João Paulo pediu “licença” do PT, duas semanas atrás, alegando que precisava de tempo para concluir uma dissertação de mestrado, já se sabia que estava se despedindo do partido, que vive sua pior crise em Pernambuco desde a sua fundação. Ele já havia acertado sua filiação ao PCdoB com a presidente nacional do partido, Luciana Santos e o vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira, que foi também seu vice durante os 8 anos em que governou a capital pernambucana. No novo partido, que é apêndice do PT no plano nacional e do PSB em nível regional, João Paulo terá grandes possibilidades de receber convite da Frente Popular para ser um de seus candidatos majoritário nas próximas eleições – vice-governador ou senador. Sua saída fere de morte o partido em Pernambuco, que ainda tem uma chance de dar a volta por cima se lançar a candidatura da vereadora Marília Arraes ao governo estadual. Se ela não for ao segundo turno o PT não perderá nada e ainda formará um bom quadro o para o futuro. E, se for, corre o risco de ganhar a eleição.

Crescimento repentino

O Solidariedade tinha em Pernambuco, até ontem, o deputado federal Augusto Coutinho e o prefeito de Olinda, Professor Lupércio. Amanhece hoje com mais um deputado federal (Kaio Maniçoba), um suplente (Cadoca) e um forte candidato nas próximas eleições: o jovem empresário Toninho Rodrigues filho do deputado estadual e ex-prefeito de Caruaru Tony Gel.

Pujança política – O PSB passa a comandar a partir de hoje o poderoso Estado de São Paulo através do ex-vice Márcio França. Ele sucedeu Geraldo Alckmin (PSDB), que renunciou ao cargo para ser candidato a presidente da República mesmo sabendo que suas chances são poucas.

Stand by – O empresário e apresentador de TV Pedro Paulo (TV Nova) filiou-se ontem ao PP a convite do presidente Eduardo da Fonte para ficar de “stand by”. Tanto pode ser candidato a deputado federal como não ser candidato a nada.

Amor à terra – Sebastião Oliveira (PR), que estará de volta à Câmara Federal na próxima segunda-feira, tinha uma enorme vontade de recuperar todas as estradas de Pernambuco antes de deixar a Secretaria dos Transportes para concorrer à reeleição, mas esbarrou na falta de dinheiro para tocar as obras. Entretanto, com dinheiro do Ministério, deixou quase pronto o aeroporto de sua terra, Serra Talhada.

Pela continuidade – O presidente da Amupe, José Patriota (PSB), que está cumprindo o 3º mandato e ficará no cargo até março do próximo ano, valeu-se do 5º Congresso Pernambucano de Municípios, encerrado ontem no Centro de Convenções, para pedir ao seu sucessor, seja ele quem for, que não deixe de fazer o 6º Congresso em abril do próximo ano.

Carta reserva – O PSB só decidirá em julho se lança ou não candidato próprio a presidente da República. Se a decisão for pelo lançamento, o candidato será o ex-ministro Joaquim Barbosa (STF), que se filiou ontem ao partido apesar de ele ter dito que não leva jeito para ser político.

À míngua – O ex-prefeito de Cumaru e secretário da CNM, Eduardo Tabosa (PSD), o “Eduardinho”, afirma que União trata os municípios com desdém porque repassa apenas 36 centavos, por aluno, dia, para compra de merenda escolar.

Convite aceito – O coronel PM (da reserva) Luiz Meira, que é filiado ao PRP, aceitou convite de Bolsonaro (PSL) para ser o candidato dele ao governo de Pernambuco. Ele garante que se for eleito resolverá o problema da segurança no Estado, que se agravou muito nos últimos três anos. Meira afirma que terá o apoio de cinco partidos, mas não sabe se entre eles estará o PSL porque o presidente Luciano Bivar que apoiar Paulo Câmara.

Tática burra – As manifestações promovidas ontem em Pernambuco em “solidariedade” a Lula irritaram milhares de pessoas que estão pouco se “lixando” para a prisão do ex-presidente. Militantes do PT, da CUT e do MST fecharam as BRs 232, 101 e 428, causando transtornos a quem nada tem a ver com o pato.

Na cola – O senador Humberto Costa (PT-PE), logo que foi informado, na última quinta-feira, que o juiz Sérgio Moro expediria o mandado de prisão de Lula mandou-se para SP para ficar ao lado do ex-presidente, que continua “confinado” no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC paulista. Ele tem uma verdadeira adoração pelo ex-presidente, de quem foi ministro da Saúde.

Fonte :Blog de Inaldo Sampaio

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||