Sem Geraldo, Paulo lança sua candidatura a governador

Publicado em 06/08/2018 às 12h00

Representando a Frente Popular que já elegeu Pelópidas da Silveira, Miguel Arraes, Jarbas Vasconcelos e Eduardo Campos, o governador Paulo Câmara lotou o Clube Internacional para a sua convenção que também homologou Luciana Santos candidata a vice-governadora e Jarbas Vasconcelos e Humberto Costa candidatos a senador.

O ato contou com homenagens ao ex-governador Eduardo Campos e teve várias críticas a Michel Temer e seus aliados que compõem a frente Pernambuco vai mudar representada por Armando Monteiro, Mendonça Filho e Bruno Araújo, que disputam o Senado. Primeiro a discursar, o candidato a deputado federal João Campos disse que a escolha de Paulo Câmara foi um desejo pessoal do seu pai pela capacidade técnica e administrativa do atual governador para dar continuidade ao seu legado.

Ausente do ato, Geraldo Julio deixou uma carta alegando compromissos em Brasília na convenção nacional do partido, mas enalteceu Paulo Câmara dizendo que o atual governador venceu a crise e que é a melhor alternativa para comandar Pernambuco. Primeiro a falar, o candidato a senador Jarbas Vasconcelos foi econômico nas palavras dizendo apenas que era fundamental para Pernambuco reeleger Paulo Câmara. Humberto Costa teve que se explicar dizendo que a aliança com o PSB representava um projeto nacional para derrotar o que ele considera que é atraso e responsável, segundo ele, pelo pior governo da história do Brasil. Humberto foi muito aplaudido pela militância do PSB, certamente num reconhecimento da sua atuação para retirar Marília Arraes do jogo.

Candidata a vice-governadora, Luciana Santos relembrou a história da Frente Popular e enalteceu o trabalho de Paulo Câmara nestes quase quatro anos de governo. Luciana foi muito aplaudida pela militância do PCdoB que fez uma festa a parte quando ela foi anunciada e discursou. Por fim Paulo Câmara deu o tom da sua campanha, dizendo que não ia permitir que o time de Temer governasse Pernambuco e que iria sair vitorioso da eleição em outubro.

Na convenção ficou latente a estratégia do PSB de adotar o tom de esquerda da campanha de Paulo Câmara e polarizar a disputa entre o palanque de Lula e o de Michel Temer. O governador tentará a reeleição nacionalizando o discurso, colocando-se como candidato de Lula e empurrando para Armando a pecha de candidato de Temer, resta saber se a medida surtirá efeito, mas uma coisa ficou evidente, o local escolhido para a convenção de Paulo Câmara deu a impressão de que tinha mais calor humano e mais cheiro de povo do que a de Armando Monteiro, que foi feito num local com o dobro da capacidade. Apesar da tentativa de ambos apresentarem que tinham mais pessoas, pareceu que o tamanho do público de cada convenção se mostrou equivalente.

Contraponto – Se na convenção de Armando Monteiro a organização imperou, a de Paulo Câmara foi muito desorganizada. A equipe de campanha do governador ficou expulsando a imprensa do palanque mas foi incapaz de realizar um credenciamento e disponibilizar um espaço para os profissionais. Se pudesse decretar um vencedor em termos de organização, a de Armando ganhou de dez a zero.

Constrangimento – Chamou a atenção o constrangimento do candidato a senador Jarbas Vasconcelos ao lado de seus ex-adversários Humberto Costa e Luciana Santos. Apesar de já ter declarado não ter problemas de pedir votos ao lado de Humberto, Jarbas não conseguiu esconder seu desconforto ao lado daqueles que sempre lhe hostilizaram a vida toda.

Desencontro – Muitos deputados, prefeitos e lideranças da Frente Popular garantiram o empenho e o voto para a reeleição do governador Paulo Câmara, mas se negaram a votar na chapa completa. Uns votam em Jarbas e não votam em Humberto, outros votam em Humberto mas não votam em Jarbas e a maioria disse não votar em nenhum dos dois.

Homenagem – Durante o seu discurso, o governador Paulo Câmara fez rasgados elogios ao ex-presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, deputado Guilherme Uchoa, falecido em julho. Paulo fez questão de reconhecer publicamente a importância de Guilherme para o seu governo durante o período em que atuaram juntos no comando do executivo e do legislativo.

Resposta – O prefeito de Limoeiro, João Luiz, a respeito das críticas que fez num grupo de WhatsApp enviou a seguinte resposta: “A minha insatisfação com determinados órgãos do Governo são explícitas, se minha cidade não é atendida, não me calo. Reclamo, cobro e continuo reclamando. Não baixo a cabeça. Agora fique certo, minha posição política é clara: Sou Paulo, João Campos e Aluísio Lessa”

RÁPIDAS

Chapa – Foi viabilizada de última hora, à revelia do Palácio, a chapa encabeçada por Maurício Rands tendo Silvio Costa em uma das vagas de senador e Isabella de Roldão de vice. Jayme Asfora chegou a ser anunciado como senador mas parece que foi enquadrado pelo PSB e acabou declinando do convite.

Desrespeito – Para o deputado Álvaro Porto (PTB), a presença de Luciana na majoritária significa que Paulo Câmara e o PSB estão de acordo com as agressões que artistas contratados para se apresentar no FIG fizeram a símbolos religiosos no mês passado. Ele lembra que a programação e as atrações do festival foram definidos pela Secretaria Estadual de Cultural, cujo titular é Marcelino Granja, do mesmo PCdoB de Luciana.

Inocente quer saber – O prefeito Geraldo Julio terá os 24 votos necessários na Casa José Mariano para aprovar um empréstimo que permita a conclusão da reforma do Geraldão?

Fonte : Blog Edmar Lyra.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||