Só o recado de Lula não resolve a vida de Marília

Publicado em 07/07/2018 às 14h00

Lula não teria dito explicitamente que apoia Marília para não contrariar Humberto Costa

Da prisão em Curitiba onde se encontra, o ex-presidente Lula teria dito que seu candidato a governador em Pernambuco é a vereadora Marília Arraes. Isso não significa absolutamente nada porque as direções estadual e nacional do PT continuam botando terra na candidatura dela. O que a vereadora precisa, isto sim, é do apoio formal do partido para poder botar seu bloco na rua. Mas os presidentes Gleisi Hoffmann e Bruno Ribeiro só fizeram atrapalhá-la até agora. Ela não pode conversar com ninguém com vistas à celebração de alianças porque o partido a desautorizou quando fechou um acordo com Sílvio Costa para ser seu candidato a senador. Por isso, presume-se que Lula só não falou explicitamente para não desagradar ao amigo Humberto Costa, que é contra a candidatura de Marília porque sonha em se candidatar à reeleição na chapa do governador Paulo Câmara. Porém, se de fato quer a neta de Arraes como candidata, por que o ex-presidente não escreve um texto dizendo isto? Ele não tem mandado carta até para o nosso celebrado Maciel Melo, por que não pega o lápis e manda dizer a Gleisi Hoffmann que deseja ver Marília no páreo? Enquanto isso não ocorrer, Marília continua sendo apenas um projeto de candidata.

Passa por Dudu

Ainda que muitos deputados achem que Cleiton Collins (PP) não tem “perfil” para presidir a Assembleia Legislativa, ninguém de lá se elege presidente sem conversar com o deputado federal Eduardo da Fonte, que preside o PP regional e comanda uma bancada de 14 parlamentares. Ele quer Cleiton de todo jeito e ponto final.

É favorito – Cleiton Collins (PP) só não será eleito presidente da Alepe se houver um grande acordo político entre governo e oposição em torno de um desses cinco nomes: Romário Dias (PSD), Antonio Moraes (PP), Waldemar Borges (PSB), Alberto Feitosa (SD) e Eriberto Medeiros (PP).

Pra estadual – O empresário Guilherme Uchoa Júnior (PSC) vai arquivar o projeto da candidatura à Câmara Federal e iniciar a campanha para deputado estadual. Se herdar todas as bases que eram do pai, a eleição estará garantida.

Sem palmas – No seminário que a CNI promoveu em SP com todos os presidenciáveis, o único que não recebeu aplausos foi Marina Silva (Rede). Ela entende todo sobre meio ambiente e sustentabilidade, mas não entende nada de economia. Daí a frieza com que foi recebida.

Bico calado – É grande a grita na bancada estadual governista pelo fato de Paulo Câmara não estar liberando os recursos das chamadas “emendas impositivas”. Mas, temendo retaliação do Palácio, ninguém abre a boca para reclamar.

Cadê ele? – O deputado Francismar Pontes (PSB) é o estadual do prefeito de Paulista, Júnior Matuto (PSB) e por isso sua ausência foi notada anteontem na inauguração do novo pátio da feira do mercado de Paratibe.

Dos dois – Mendonça Filho (DEM) é um bicho de sorte. Está sendo até agora o 1º senador dos eleitores de Armando Monteiro (PTB) e o 2º dos eleitores de Paulo Câmara (PSB).

Pavio curto – Geraldo Alckmin (PSDB) está ficando irritado todas as vezes que a imprensa o questiona sobre se vai perder para João Doria o lugar na chapa presidencial do partido. Doria lidera as intenções de voto para o governo de SP.

Firme no 2º – Jair Bolsonaro (PSL) é dos 16 presidenciáveis o que parece ter o voto mais consolidado até agora. A imprensa tem mostrado a “agenda negativa” dele a conta-gotas mas o capitão permanece firme no segundo lugar.

Mal de todos – A partir deste sábado, o Brasil começa a voltar à normalidade após a derrota da nossa Seleção para a bem armada Bélgica. O mal de nós, brasileiros, é imaginar que apenas nossos patrícios sabem jogar futebol. Não jogamos mal, mas eles jogaram muito melhor. E mereceram a vitória.

Fonte :Blog de Inaldo Sampaio.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||