Um episódio que pode consolidar vitória de Bolsonaro

Publicado em 07/09/2018 às 14h00

No exercício do sétimo mandato como deputado federal, Jair Bolsonaro sempre foi um parlamentar do chamado “baixo-clero” que começou a ganhar força quando se posicionou fortemente contra o PT e mais precisamente Dilma Rousseff. Desde 2015 que ele vem crescendo nas redes sociais e conquistando adeptos das mais variadas classes sociais. O crescimento de Bolsonaro é diretamente proporcional à insatisfação da sociedade com os últimos acontecimentos da classe política.

Por não ter envolvimento em escândalos de corrupção, ele foi construído como alguém que representa uma ideia, a ideia do basta a tudo que estamos assistindo diariamente na televisão envolvendo a classe política que está apodrecida. Bolsonaro está longe de ser um salvador da pátria, mas o eleitor enxerga nele alguém autêntico que fala o que pensa e se posiciona firmemente naquilo que acredita.

Bolsonaro consegue ser a antítese da classe política, e se assemelha a Lula no quesito empatia com a população, por isso ele é votado por pessoas das mais variadas classes sociais. Líder nas pesquisas, Jair Bolsonaro estava praticamente garantido no segundo turno, uma vez que faltavam trinta dias para o primeiro turno.

Muitos eleitores, por conta de um patrulhamento de esquerda, estavam envergonhados em declarar voto em Jair Bolsonaro, mas as imagens falam mais do que palavras, não foram poucas as vezes que ele juntou milhares de pessoas por onde passou, pessoas que não recebem pão com mortadela, não ganham dinheiro nem transporte para acompanhar suas andanças pelo Brasil. Ele é um verdadeiro fenômeno eleitoral.

Ontem, logo após consolidar a primeira colocação no Ibope, Jair Bolsonaro sofreu uma tentativa de homicídio por parte de um militante de esquerda. O lamentável episódio, que por sorte não terminou em mais uma tragédia não eleição presidencial, certamente terá um efeito imediato, que é o de baixar a rejeição do candidato e ampliar as suas intenções de voto. Mais do que nunca fortaleceu a tese de Bolsonaro contra todos, que é o que está claro a cada pesquisa e a cada posicionamento dos políticos tradicionais.

Se havia qualquer dúvida da possibilidade de Jair Bolsonaro ser presidente do Brasil, ela não existe mais, as chances de vitória no próximo dia 7 ampliaram consideravelmente porque ele materializou a ideia que muitos exigem, que é o de um país com menos corrupção, que seja autêntico e que evite determinadas pautas que não estão na vontade da maioria do eleitorado sejam impostas por minorias que procuram deter o monopólio da opinião. O lamentável episódio encurtou o caminho de Jair Bolsonaro rumo ao Palácio do Planalto.

Datafolha – O Datafolha divulgado ontem consolidou os números divulgados pelo Ibope, confirmando a vantagem de nove pontos de Paulo Câmara sobre Armando Monteiro. No levantamento, a vitória do governador poderá ocorrer no primeiro turno, uma vez que suas intenções de voto suplantam em dois pontos a soma de seus adversários. O guia impulsionou a campanha do governador e evidenciou a fragilidade oposicionista.

Senado – O instituto também apresentou levantamento para senador, confirmando Jarbas Vasconcelos e Humberto Costa na liderança, porém Humberto está tecnicamente empatado com Mendonça Filho que é o terceiro colocado. O petista oscilou positivamente três pontos dentro do margem de erro, enquanto Mendonça subiu dois, Jarbas saltou quatro pontos e consolidou a primeira colocação.

Silvio Costa – Quem tem muito a comemorar é Silvio Costa, que consolidou os dois dígitos nas três pesquisas divulgadas esta semana. Seu objetivo será aproximar-se de Mendonça Filho para depois tentar derrotar Jarbas ou Humberto, que consolidaram seu favoritismo nas pesquisas. Silvio cresce pela sua coerência e pela sua defesa do ex-presidente Lula.

Impugnado – Alguns candidatos no Estado inteiro estão em suspense. Até o dia 17 de setembro o Tribunal Regional Eleitoral dará a decisão final sobre os impugnados. Quem escapar da Justiça Eleitoral segue na campanha. Quem for barrado não vai aparecer na urna. Entre os candidatos a deputado estadual do Sertão do Araripe, por exemplo, Antônio Fernando (PSC), Dr. Aluísio (PSC), Roberta Arraes (PP) e Socorro Pimentel (PTB), já tiveram as candidaturas deferidas pelo TRE. Por lá, o único que não dorme tranquilo é Dr. Anderson Aquino (PCdoB), de Ouricuri. O candidato teve o nome impugnado por várias irregularidades eleitorais e tem grande chance de ficar fora das eleições de 2018.

RÁPIDAS

Comemoração – Nove pontos atrás de Paulo Câmara nas duas pesquisas, Armando Monteiro comemorou a rejeição do governador que é de 32%, e o fato de ter a menor rejeição entre os candidatos com apenas 23%. Armando aposta que poderá haver segundo turno na eleição para o Palácio do Campo das Princesas.

Sucesso – Foi um sucesso a nossa palestra na Universo realizada ontem. O Painel Político, em conjunto com Fábio Lira e Dany Amorim, reuniu dezenas de alunos que nos acompanharam durante duas horas e puderam ouvir nossa avaliação sobre o cenário político e as eleições deste ano. Fica o nosso agradecimento a Bira Tavares e toda equipe da Universo.

Inocente quer saber – O Datafolha apresentará um crescimento de quantos pontos de Jair Bolsonaro?

Fonte : Blog Edmar Lyra.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||