Uma reunião com Lula e dois caminhos seguem abertos

Publicado em 12/03/2018 às 06h15
Reunião PT e PSB
Reunião PT e PSBFoto: Divulgação

Antes de ir à mesa, ontem, com o grupo todo do PT de Pernambuco, o ex-presidente Lula recebeu, na quinta-feira, a vereadora Marília Arraes, o prefeito Luciano Duque, a deputada Teresa Leitão, Sheila Oliveira e Carlos Veras, presidente da CUT. O grupo queria sentir a expectativa do líder-mor do PT em relação a eles, que defendem uma candidatura própria ao Governo de Pernambuco e havia, entre os integrantes dessa ala, ainda uma preocupação em não prejudicar o debate nacional. Deu-se um nivelamento de ideias prévio. No encontro de ontem, na sede do PT, a presidente nacional da sigla, Gleisi Hoffmann, abriu sua fala dizendo que já havia também conversado anteriormente com o ex-prefeito João Paulo, com o senador Humberto Costa, que não descartam uma aliança com o PSB. A reunião, na sede do PT, começou às 11h30 e terminou às 15h30. Como resultado, saiu uma nota, emitida pelo PT nacional. Não há definição explícita em relação à posição que a sigla adotará em Pernambuco, mas os dois lados sairam satisfeitos. Um deles leu que a tese "da candidatura própria de todo jeito" foi desconstruída. O outro entendeu que o texto "botou, no mesmo patamar, o PSB, o PCdoB, o PDT e o PSOL", sem "privilégios para o PSB", fazendo uma interpretação de que "não é prego batido e ponta virada essa composição com socialistas". Nas entrelinhas, a direção nacional admite, mais uma vez, a possibilidade de reaproximação com o PSB, como já havia feito Lula em entrevista recente à Rádio Jornal. A nota diz: "A direção nacional vem trabalhando para construir nacionalmente uma aliança programática e eleitoral com os partidos de centro-esquerda: PCdoB, PDT, PSB e PSOL". Mas também deixa a porta aberta para o projeto majoritário de Marília Arraes ao registrar: "Essa estratégia não impede o PT de Pernambuco de fazer o debate político em torno de uma candidatura própria ao Governo do Estado". Até então, os petistas aguardavam a eleição interna do PSB passar. Agora, é o PT que ganha tempo para cravar sua posição.

4040 pode ficar disponível
Nos bastidores do PSB, já houve quem defendesse que o número 4040, já usado pelo ex-governador Miguel Arraes e por Ana Arraes, pudesse ser usado por João Campos, herdeiro do ex-governador Eduardo Campos. Atualmente, o número está com o deputado federal João Fernando Coutinho, mas pode ser liberado em breve.

Bom para... > Entre governistas, nas coxias, a migração de João Fernando Coutinho para o PROS ganha cada vez mais eco. A travessia estaria dependendo apenas de uma conversa com o governador Paulo Câmara.

todos... > Caso isso se confirme, a despeito do êxodo de JFC, o movimento poderia se configurar em contribuição com a Frente Popular, uma vez João Fernando estaria trabalhando para fazer o PROS engrossar a aliança do governador. O partido, hoje, se encaminha para um campo que inclui Rede e PMN.

Tem quem queira > Circulando por Brasília, ao longo da semana, o deputado estadual Silvio Costa Filho, num roda com Augusto Coutinho, Wolney Queiroz, Silvio Costa e Zé Queiroz, brincou: "O nosso lado aceita chapinha". Fazia referência à celeuma que a chapinha está gerando entre governistas.

Fora do radar > Ministro da Educação, Mendonça Filho sublinha, à coluna, que seu candidato à Presidência da República é Rodrigo Maia. E emenda: "Não existe candidato a vice. Faz a observação ao ser indagado sobre a frequência com que seu nome aparece ventilado para uma chapa de Geraldo Alckmin.

Fonte:Folha de PE.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||