Fux pede que Joesley e delatores da JBS passem para o 'exílio da Papuda'

Publicado em 06/09/2017 às 19h15

Fux comentou citações ao STF em gravação de Joesley Batista, nesta quarta-feira (6) / Foto: Elza Fiuza/Agência Brasil
Fux comentou citações ao STF em gravação de Joesley Batista, nesta quarta-feira (6)

Foto: Elza Fiuza/Agência Brasil
Lucas Moraes
 

Ao ser aberta a sessão desta quarta-feira (6) do Supremo Tribunal Federal (STF), com a presença do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, os ministros do STF comentaram as últimas decisões da PGR e as citações, que envolvem o tribunal, na gravação de áudios entre o empresário Joesley Batista e o ex-diretor da JBS Ricardo Saud. Logo após a leitura da ata, o ministro Celso de Mello aproveitou a ocasião para parabenizar a decisão de Cármen Lúcia em pedir a investigação das citações ao Supremo, e logo foi seguido por Luiz Fux, que pediu o 'exílio da Papuda' aos delatores.

Para Celso de Mello, as citações tratam-se de um "fato gravíssimo". O decano ainda elogiou o posicionamento adotado por Cármen Lúcia, que pediu a investigação das citações. "Refiro-me, eminente ministra Cármen Lúcia, ao fato de que vossa excelência, no dia de ontem, atuando de maneira irrepreensível, no desempenho legítimo de suas altas atribuições, dirigiu-se à nação. E assim procedendo cumpriu o dever impostergável de velar pela preservação e respeito à dignidade do Supremo Tribunal Federal e dos juízes que o compõem", declarou.

Em seguida, o ministro foi acompanhado pelo colega Luiz Fux, que foi ainda mais incisivo sobre as declarações dos colaboradores da JBS. "Eu também fui indagado, ao chegar, sobre essa situação que vossa excelência (Cármen Lúcia) adotou uma providência enérgica e ao mesmo tempo autiva. Eu verifico que esse episódio de ontem revelou que esses participes do delito, que figuraram como colaboradores, eles ludibriaram o Ministério Público, eles degradaram a imagem do País no plano internacional, eles atentaram contra a dignidade da justiça e eles revelaram a arrogância dos criminosos de colarinho branco. De sorte, eu deixo a alvedrio do MP a opção de fazer com que esses participantes dessa cadeia criminosa que eles passassem do exílio nova-iorquino ao exílio da Papuda", disse em referência ao Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.

Gravação

Em trechos da gravação entre Joesley e Saud, os delatores falam em caminhos para chegar até o procurador Rodrigo Janot e citam o ex-ministro José Eduardo Cardozo como pessoa capaz de 'organizar' o Supremo, inclusive elegendo quem está do lado dos delatores. Os áudios agora são alvo de inquérito e podem mudar os termos do acordo de delação premiada fechado com o MPF.

Fonte :JC.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||