Próximo encontro do “Pernambuco quer mudar” será em Ipojuca (dia 7 de abril)

Publicado em 06/03/2018 às 09h00

O 4º é último encontro das oposições, intitulado “Pernambuco quer mudar”, já tem data e local definidos: será na cidade de Ipojuca, no litoral sul do Estado, tendo como anfitriã a prefeita Célia Sales (PTB), ligada ao senador Armando Monteiro Neto.

O 1º se realizou no Recife em dezembro do ano passado, o segundo em Petrolina no dia 26 de janeiro – tendo como anfitrião o prefeito Miguel Coelho (PMDB) e o terceiro em Caruaru no último dia 3 – tendo como anfitriã a prefeita Raquel Lyra (PSDB).

A prefeita Raquel Lyra (PSDB) assumiu pela primeira vez uma postura de oposição frontal ao governo Paulo Câmara (PSB), algo que ainda não tinha feito. “Decidi fazer política porque sei que é através dela que podemos transformar a vida das pessoas, mas não posso fazer isto sozinha. Hoje, não temos ajuda do Governo do Estado. Ele (Governo) está escolhendo a quem pagar ou, simplesmente, não está pagando a ninguém”.

O ministro de Minas e Energia, Fernando Filho (sem partido), disse que atual governador não conseguiu manter unido o bloco político que o ex-governador Eduardo Campos levou anos para juntar. “Hoje, nós da oposição, temos duas certezas: estaremos juntos nas eleições e vamos vencer a disputa”, afirmou.

O ex-governador Joaquim Francisco (PSDB) disse que “mudar” não é apenas um verbo e sim uma proposta de mudança que gera esperança na população. “Por isso eu digo que este palanque veio para ficar. Porque tem gente séria, competente e que sabe trabalhar”, disse ele.

O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), mais uma vez, comparou a situação de Pernambuco com a da Bahia e Ceará para provar que andamos para trás durante o governo de Paulo. “O Brasil está voltando a crescer e nós precisamos escolher quem vai liderar Pernambuco. Eu aprendi que é nas dificuldades que conhecemos uma liderança. Este governador que está aí não demonstrou nenhuma qualidade para merecer novamente o voto dos homens e das mulheres de Pernambuco”, afirmou.

O deputado federal e presidente regional do PSDB, Bruno Araújo, complementou: “Este é um projeto coletivo. O ato do Recife foi um aviso. Em Petrolina, o Sertão se encontrou. Hoje, em Caruaru, temos esse grande ato e o de Ipojuca será ainda maior. É nesse caminho, o caminho da mudança, que vamos seguir. Pernambuco precisa de um líder que devolva aos pernambucanos e pernambucanas o trabalho e a esperança”.

O ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), que igualmente a Bruno Araújo já foi aliado do governador, declarou que Pernambuco está “desgovernado e sem liderança”.

“Falta saúde, falta segurança pública e o Estado tem cada vez mais sua infraestrutura física, como estradas, por exemplo, totalmente deteriorada”, acrescentou.

O senador Armando Monteiro (PTB) disse que os líderes que estão na oposição têm história, experiência, juventude, decência e espírito público. E irá apresentar em abril próximo uma nova agenda para Pernambuco. “Vamos ouvir a população e recolher contribuições para construir um novo projeto para o Estado”, acrescentou.

Último a discursar, o ex-governador João Lyra Neto (PSDB) disse que a publicidade oficial não está em sintonia com a realidade do povo. “É por isso que esse movimento cresce a cada dia porque o povo quer uma nova realidade para o nosso Estado. O crescimento político dessa união terá resultado daqui a alguns meses, quando será eleito o próximo governador de Pernambuco”, afirmou.

Os organizadores do evento calcularam 5 mil pessoas no local, além de aproximadamente 70 prefeitos, além de deputados federais e estaduais, ex-prefeitos, vice-prefeitos e vereadores.

Fonte :Blog de Inaldo Sampaio

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||