PPS de Pernambuco entra na Justiça para reaver comando do partido

Publicado em 04/04/2018 às 20h00
Foto: Leo Motta/JC Imagem
     Foto: Leo Motta/JC Imagem

Após o deputado federal Daniel Coelho se filiar ao PPS e assumir o comando do partido em Pernambuco, o Diretório Estadual da sigla, dissolvido pela Direção Nacional, entrou nessa terça-feira (3) com um pedido de liminar na Justiça para reaver o comando da legenda.

O pedido, protocolado na 6ª Vara Cível do Recife, é uma resposta do até pouco tempo presidente estadual do PPS Manoel Carlos dos Santos, que chegou a anunciar a sua desfiliação do partido após divergências com o deputado federal Roberto Freire (SP), presidente nacional da agremiação.

Manoel Carlos acabou não formalizando sua saída da sigla – como fez o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann. E disse, em entrevista ao JC, que brigaria para voltar a ter o comando do partido no Estado.

. Uma delas é que o  advogado responsável pela ação do PPS Estadual é Carlos Neves, o mesmo que trabalha na defesa da Executiva Estadual do MDB, comandada pelo vice-governador Raul Henry. 

Carlos Neves ressaltou em entrevista ao Blog de Jamildo que o pleito na Justiça não representa “nenhuma aversão a entrada de outras pessoas” na legenda, mas que o presidente Manoel Carlos está “em busca da manutenção do mandato a qual foi eleito”, além de rechaçar que seja uma “disputa para expulsar alguém” da agremiação.

“Estamos buscando uma decisão liminar para restabelecer o mandato dos dirigentes legitimamente eleitos”, disse Neves, que alega no pedido que o PPS nacional “desrespeitou seu próprio estatuto e o direito daqueles que tinha sido eleitos legitimamente” ao dissolver a Executiva Estadual da sigla e nomear uma comissão provisória, presidida por Daniel Coelho.

O advogado comparou ainda o caso do PPS Estadual ao que ocorre no MDB, alvo de disputa pelo grupo de Raul Henry e do deputado federal Jarbas Vasconcelos contra o senador Fernando Bezerra Coelho e a Direção Nacional emedebista, comandada pelo também senador Romero Jucá.

“A gente tem uma experiência parecida com o MDB de Pernambuco que é essa tentativa de um partido nacional querer determinar uma dissolução, ferindo o interesse de pessoas que foram legitimamente eleitas para exercer aqueles mandatos”, afirmou Neves.

Assim como o MDB, o PPS hoje compõe a base do governador Paulo Câmara (PSB). Tanto FBC como Daniel Coelho querem levar seus respectivos partidos para a oposição. Os dois contam com respaldo de Romero Jucá e Roberto Freire, respectivamente. Enquanto Fernando Bezerra é pré-candidato ao governo pelo grupo “Pernambuco quer mudar”, Coelho poderá disputar o Senado ou a reeleição para a Câmara dos Deputados no mesmo palanque.

Fonte:Blog do Jamildo

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||