Pesquisa CNT/MDA: 82,5% desaprovam Temer e 87,8% não votariam nele

Publicado em 14/05/2018 às 16h00
Foto: Guga Matos/JC Imagem
Foto: Guga Matos/JC Imagem

A rejeição ao governo Michel Temer (MDB) se manteve estável na pesquisa CNT/MDA divulgada nesta segunda-feira (14). O percentual dos que afirmaram que aprovam a gestão ficou em 9,7%, uma queda em relação aos 10,3% de março, mas dentro da margem de erro, que é de 2,2 pontos percentuais. Apesar disso, caíram também os que desaprovam, que passaram de 82,5% para 83,6%.

Os que consideram o governo péssimo são 51,6% agora e há dois meses eram 53,6. Mas os que responderam que é ótimo passaram de 0,5% para 0,4%.

 

 
 

Temer aparece como um candidato em que 87,8% dos entrevistados não votariam, em que 7,8% poderiam votar e é a única opção de 0,3%. O presidente é desconhecido para 1,6%. Comparando com o ex-presidente Lula (PT), o petista aparece como a única opção de 25,6% dos entrevistados e em quem 46,8% deles não votariam. Jair Bolsonaro (PSL) é o único em que 13,1% votariam e o que 52,8% não votariam de jeito nenhum.

Foram entrevistadas 2.002 pessoas de 137 municípios selecionados por sorteio em 25 estados, entre os dias 9 e 12 de maio. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais e o nível de confiança é de 95%.

Intenções de voto

Na mesma pesquisa, Temer aparece com 0,9% das intenções de voto no cenário com Lula, à frente de Henrique Meirelles (0,3%), também pré-candidato pelo MDB. O ex-ministro da Fazenda só está à frente de Rodrigo Maia (DEM-RJ), que tem 0,2%, e Paulo Rabello de Castro (PSC), com 0,1%. 

Preso há mais de um mês, Lula continua liderando as intenções de voto. O petista aparece com 32,4% no primeiro turno, uma queda dentro da margem de erro – que é de 2,2 pontos percentuais – em relação aos 33,4% que tinha em março, antes de ser encarcerado na sede da Polícia Federal em Curitiba (PR), para iniciar o cumprimento da pena de 12 anos e um mês na Operação Lava Jato. Com o ex-presidente na disputa, Bolsonaro vem em segundo, com 16,7%. Sem ele, vai para o primeiro, oscilando entre 18,3% e 20,7%.

O número de brancos e nulos sem o ex-presidente aumenta de 18% para até 31,7%. O mesmo acontece com o percentual de indecisos, que vai de 8,7% para até 16,1%.

A pesquisa não inclui mais o nome de Joaquim Barbosa, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) que se filiou ao PSB para disputar a presidência, mas desistiu.

No cenário com Lula, Marina Silva (Rede) mantém a média anterior: agora tem 7,6% e, em março, aparecia com 7,8%. Ciro Gomes (PDT) cresce dentro da margem de erro, passando de 4,3% em março para 5,4% agora. Geraldo Alckmin (PSDB) cai de 6,4% para 4%.

Sem Lula, no cenário com o maior número de candidatos, a queda de Alckmin é ainda maior, passando de 8,6% para 5,3%. Marina vai de 12,8% para 11,2%, dentro da margem de erro. O crescimento de Ciro também é dentro da margem de erro. O pedetista passou de 8,1% para 9%.

A pesquisa CNT/MDA apresenta ainda dois cenários. Um deles com Henrique Meirelles (MDB), ex-ministro da Fazenda, que fica em último, com 1,4%. Nesse, Bolsonaro tem 20,7%; Marina, 16,4%; Ciro, 12%; e Fernando Haddad, considerado ‘plano B’ do PT caso Lula não consiga viabilizar a sua candidatura por causa da Lava Jato, fica com 4,4%. No que tem Alckmin, ele fica com 8,1%, à frente apenas de Haddad, que tem 3,8%.

Fonte:Blog do Jamildo.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||