Diretório nacional do PT mantém Marília fora do páreo

Publicado em 04/08/2018 às 09h45

Marília esmagou Humberto Costa na disputa mas vai ficar fora do páreo

Como já se esperava, por 59 votos a favor e 28 contra, o diretório nacional do PT rejeitou recurso interposto pela vereadora Marília Arraes em defesa de sua candidatura ao Governo de Pernambuco. Com isto, fica mantido o acordo feito entre as cúpulas do PT e do PSB. Por esse acordo, o PT deve apoiar a reeleição do governador Paulo Câmara com direito de indicar o nome do senador Humberto Costa para a chapa majoritária da Frente Popular. Foi uma das maiores aberrações da história do PT, que ignorou o fato de, na véspera, Marília ter obtido 230 dos 254 votos dos convencionais para se tornar candidata a governadora. Entre as signatárias do recurso, estava a deputada federal e ex-prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins. Ela foi candidata em 2014 contra a orientação do partido e venceu a eleição. Marília ainda pode recorrer ao encontro nacional do PT que ocorrerá neste sábado, em São Paulo.

O ocaso do senador

O resultado da convenção estadual do PT, amplamente favorável à tese da candidatura própria ao governo de Pernambuco, simbolizou o fim da liderança do senador Humberto Costa no partido. Foi constrangedora a chegada do senador ao encontro do partido no qual se encontra filiado há 38 anos: vaias e gritos de “golpista”.

Plano B – O deputado Sílvio Costa (Avante) disse ontem que se Marília Arraes (PT) for mesmo impedida de disputar o governo pelo PT, um “plano B” será anunciado, possivelmente reunindo PDT, Avante, PROS e Rede.

Vão no bolo – Com a ascensão de Marília Arraes à condição de nova líder do PT de Pernambuco, vão sair de cena junto com o senador Humberto Costa os ex-vereadores Dilson Peixoto e Oscar Barreto, ambos defensores da aliança com o PSB.

Com Armando – O ex-deputado José Marcos (PR) apoiará Armando Monteiro (PTB) para o governo estadual, caso Marília Arraes (PT) fique fora do páreo. Ele já estava com um pé na campanha da neta de Miguel Arraes.

E Queiroz? – Será uma baita decepção para o ex-prefeito de Caruaru, José Queiroz (PDT), ficar fora da chapa majoritária da Frente Popular. Há 60 dias, ele estava convicto de que seria candidato a senador.

E Caruaru? – Nos primórdios de sua campanha ao governo estadual, o senador Armando Monteiro (PTB) prometeu colocar um político de Caruaru na sua chapa majoritária. Teria convidado a empresária Mércia Lyra, mãe da prefeita Raquel Lyra (PSDB), mas a articulação não deu certo.

Ele e ela – O deputado estadual Odacy Amorim (PT) vai disputar uma vaga na Câmara Federal mas vai deixar a mulher tomando conta dos seus votos para deputado estadual. Ela é candidata em seu lugar.

Decisão democrática – Não foi aleatória a decisão do Solidariedade de ficar com Paulo Câmara. Antes de anunciá-la, o presidente Augusto Coutinho ouviu todas as lideranças do partido.

2º turno – Se Lula tiver forças para carregar um segundo “poste” nas costas (o primeiro foi Dilma), o segundo turno da eleição presidencial poderá ser entre o PT e o PSDB. Mas, para isto, Alckmin tem que passar Bolsonaro (PSL) nas pesquisas.

A convenção – Delegações de Petrolina, Salgueiro, Araripina, Serra Talhada, Belo Jardim, Caruaru, Garanhuns, Lajedo, São Lourenço, Gravatá, Ipojuca, Igarassu e Camaragibe estarão hoje no Recife para participar da convenção de Armando Monteiro (PTB), Mendonça Filho (DEM) e Bruno Araújo (PSDB).

Fonte : Blog de Inaldo Sampaio. 

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||