Estratégia de Júlio Lóssio visa pesca de votos na Região Metropolitana e Agreste

Publicado em 12/08/2018 às 14h00
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Não é apenas Paulo Câmara ou Armando Monteiro que estão apostando alto no Agreste, para dar lastro à campanha estadual deste ano.

O candidato da Rede, Júlio Lóssio, ciente de que sem o Agreste não se vence uma eleição, montou sua chapa com um representante local. O escolhido para a tarefa foi o ex-vereador de Santa Cruz do Capibaribe e contador Luciano Bezerra, nome apresentado na semana passada para compor a chapa como candidato a vice.

Em Santa Cruz do Capibaribe, o vereador Ernesto Maia acaba de anunciar sua adesão ao palanque do ex-prefeito de Petrolina Júlio Lóssio, candidato ao governo do Estado pela Rede. Ernesto Maia foi um dos grandes entusiastas e porta voz do Agreste da pré-candidatura de Marília Arraes na região, antes da degola.

“Os principais motivos que o levaram a tomar essa decisão foram a retirada da candidatura do Partido dos Trabalhadores, que covardemente rifou a neta de Arraes da disputa. Diante dessa negativa, resolvemos apoiar Júlio Lóssio. De forma muito acertada, ele escolheu para vaga de vice o ex-vereador de Santa Cruz do Capibaribe Luciano Bezerra”, afirmou.

“A escolha de um representante do Agreste é um ato de valorização e acima de tudo é reconhecer a importância do Agreste para o desenvolvimento econômico de Pernambuco”, destacou o vereador de Santa Cruz do Capibaribe Ernesto Maia (PT), em discurso na tribuna da Câmara Municipal declarou apoio a Júlio Lóssio.

Com o gesto, a Rede quer que as bases de Marília Arraes migram para Julio Lossio.

“Isto poderá desencadear a adesão de outros petistas que estão se sentindo órfãos pelo assassinato da candidatura do PT”, avalia o comando da campanha. “Com a retirada da candidatura da vereadora do Recife Marília Arraes (PT) da disputa pelo governo de Pernambuco, as bases de apoio de Marília tendem a migrar para o palanque de Júlio Lóssio”

“O Agreste representa 15% do PIB do Estado”, diz Lossio.

Região Metropolitana

Já os outros dois candidatos a senador, a advogada Adriana Coutinho e o pastor Jairinho, amigo de Marina há mais de 25 anos, são os responsáveis pela busca de votos na Região Metropolitana do Recife.

“A estrutura (voto de) não é importante. A mudança é que será o critério mais importante (para o voto). Eles (Paulo e Armando) já provaram o que podem fazer. Vamos viver um novo momento”, disse Jairinho.

Lossio disse que os dois contam com ótimas chances porque o voto para o Senado não deve ser fechado. “Acho que vai ser um voto sepradado, desvinculado. Veja como está uma confusão por aí (disputa entre o primeiro e o segundo senador)”, afirmou Lossio.

Jairinho diz que planeja se tornar o primeiro evangélico eleito como Senado no Estado de Pernambuco.

“Os evangélicos somam 3 milhões em Pernambuco”

Além disto, Jarinho diz que o povo quer ‘renovação diante de tudo isto que está aí’.

“Nós defendemos a família, os princípios éticos, defendemos a Lava Jato e o fim do Foro Privilegiado”.

No meio da igrejas, ele é conhecido por ser cantor gospel e também já trabalhou com Silas Malafaia.

“Ele vai ser o senador da Alma”, batiza Julio Lossio.

Ponte com Marília Arraes usando imagem de Dilma

Na semana passada, na coletiva de imprensa em que anunciou sua chapa majoritária, o candidato a governador pela Rede, Júlio Lossio, deixou evidente sua preocupação de enaltecer a coragem da candidata ao Senado Adriana Coutinho.

Não era um ato aleatório. O objetivo era estabelecer mais uma ponte com a vereadora do Recife Marília Arraes, rifada pelo PT Nacional em um acordo com o PSB de Paulo Câmara.

Desde cedo, na quarta, a assessoria da Rede buscava ressaltar o voto divergente da advogada Adriana Coutinho no conselho federal da OAB, quando da discussão para encaminhar o pedido de impedimento da ex-presidente Dilma.

Adriana é professora de Direito Constitucional e diz que uma decisão deveria ter sido técnica, não baseada na pressão das ruas.

“Lá é uma espécie de Senado da OAB e eu não poderia ter outra posição. Ao longo dos anos, percebe-se uma certa ingerência da OAB nas questões políticas, mas eu sou poderia votar blindada destas questões”, afirmou. De Pernambuco, também votaram dois representantes federais da OAB, Pedro Henrique e Sílvio Carvalho.

“Foi uma posição de coragem. Não se pode mandar para o Senado alguém frouxo”, defendeu Julio Lóssio.

“Por tudo isto, eu digo que não é que a mulher não goste de política. Elas não gostam desta política de hoje. Não acreditam no excesso de judicialização”.

No mesmo evento no Recife, o candidato Júlio Lossio deu sinais claros de que busca o voto dos órfãos de Marília Arraes, seja no PT ou fora dele. O partido da vereadora do Recife pelo PT fechou um acordo nacional com o PSB pelo qual ela teve que ser afastada da disputa ao governo do Estado.

“É uma decisão dela. É uma decisão de foro íntimo”, explicou, ao ser perguntado se estava indo atrás da declaração de apoio da petista.

A ponte entre os dois estaria sendo construída pelo aliado Cláudio Ferreira, ex-procurador geral do município do Recife em gestões petistas e auditor do TCE.

Lossio disse ainda que o presidente do PT de Afrânio havia procurado para declarar apoio.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||