Apoio do PSB ao PT deu-se com advertência implícita

Publicado em 11/10/2018 às 21h30
Carlos Siqueira, presidente nacional do PSB
Carlos Siqueira, presidente nacional do PSBFoto: Humberto Pradera//Divulgação

Uma ponderação em tom semelhante já havia sido feita pela presidente nacional do PCdoB, Luciana Santos. Agora, já no 2º turno, foi a vez do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, fazer advertência similar. O dirigente socialista, ao anunciar a decisão de apoio ao PT no 2º turno, não o fez sem sublinhar o seguinte: "Não estamos apoiando o candidato do Partido dos Trabalhadores. Estamos apoiando uma candidatura que vai enfrentar e vai conduzir uma frente democrática, tentando chegar à Presidência da República". Siqueira fez a ponderação ao ser questionado se a legenda apresentara exigências a Fernando Haddad antes de decidir apoiá-lo. Siqueira acenou com "sugestões". Enumerou assim: "A primeira delas é que, no momento difícil que vive o País, com essa polarização e tendo em vista a necessidade da unidade nacional e unidade das forças democráticas, que a candidatura se transforme numa candidatura de uma frente democrática, que agregue personalidades e instituições que defendam a democracia e que o programa desta frente também não seja um programa de um partido". À coluna, ainda na véspera do 1º turno, Luciana Santos fizeram o alerta ao PT da seguinte forma: "Tem que ter, agora, uma frente ampla antifascista". A dirigente comunista trabalhou para que o bloco das esquerdas contasse com a presença de Ciro Gomes desde o início, o que não foi possível, uma vez que nem petistas, nem pedetistas cederam. Diante do crescimento do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, nas pesquisas, Luciana admitira que o "PT já devia ter aberto esse debate antes". E emendara: "A vida está mostrando que há uma necessidade. Agora, estamos diante de uma ameaça entre a civilização e a barbárie". Na avaliação de Siqueira, feita anteontem, "está na hora de o candidato (Haddad) entender que o momento é grave e o que está em jogo não é o interesse partidário, mas do País e da nossa democracia". Após ver Ciro ser isolado no 1º turno, mediante interferência que atribui ao PT, o PDT, ontem, declarou "apoio crítico" a Haddad. O presidente da sigla, Carlos Lupi, informou que Ciro Gomes não subirá em palanque com o petista e que esta é uma "decisão institucional". O resultado da negociação com o PDT no 1º turno rendeu críticas dos próprios aliados ao perfil "hegemonista" do PT e é contra essa tendência que eles seguem acendendo sinal amarelo, enquanto ainda é tempo.

Um Olhar... 
Com quase 63 mil votos, o deputado estadual reeleito Lucas Ramos, que tem base em Petrolina, comemorou sua posição no ranking dos parlamentares eleitos da cidade. Ficou à frente dos representantes de outros grupos políticos na cidade, como Antônio Coelho (44 mil) e Dulcicleide Amorim (22 mil). 

...em 2020 >
 Lucas Ramos chegou a cogitar disputar a Prefeitura de Petrolina, ainda em 2016, mas o PSB optou, na ocasião, por priorizar o projeto de Miguel Coelho na cidade. Hoje, a família Coelho está na oposição. Os planos de Lucas podem ser reeditados em 2020.

Balança > Segundo o presidente de honra do PSL, Luciano Bivar, o presidenciável Jair Bolsonaro perdeu 15 quilos desde que foi vítima da facada para cá. 
 
Mesa...> O Ipespe realiza, no próximo dia 23, das 14h às 16h, uma mesa redonda intitulada "Brasil Eleição Presidencial 2º Turno: Quem deve ganhar?". O debate se dará no auditório do Empresarial Cervantes, na ilha do Leite.
 
...redonda > Sérgio Buarque, Maurício Romão e Juliano Domingues estarão entre os especialistas do debate cuja coordenação é de Enivaldo Rocha. A entrada franca.

 

Fonte:Folha de PE.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||